conecte-se conosco


Educação

Novo secretário de Educação diz que ano letivo de 2021 terá 320 horas a mais em MT

Publicado

Alan não deu detalhes de como serão distribuídas as horas, mas afirmou que os dias de aulas serão aumentados, o que resulta em possíveis aulas aos sábados.

Por G1 MT

O novo secretário de Educação de Mato Grosso, Alan Porto, anunciou que o ano letivo de 2021 começará no dia 1° de fevereiro e terá 1.120 horas. Serão 320 horas a mais do que os outros anos.

Alan não deu detalhes de como serão distribuídas as 1.120 horas, mas afirmou que os dias de aulas serão aumentados, o que resulta em possíveis aulas aos sábados.

O secretário disse ainda que as aulas serão presenciais quando tiver o aval dos órgãos sanitários de saúde, garantindo a segurança dos alunos e profissionais da educação.

Segundo Alan, seguindo a decisão tomada pelo estado, as aulas presenciais neste ano estão descartadas. O ano letivo se encerra no dia 18 de dezembro.

O novo secretário assumiu a pasta nessa terça-feira (3). Ele era adjunto executivo da secretaria e assumiu a cadeira após Marioneide Kliemaschewsk pedir exoneração.

Leia mais:  Nota máxima no MEC, Univag abre inscrições para vestibular de Medicina 2019/2 28

Alan Porto é engenheiro civil e está na Seduc desde de 2017. Primeiro, trabalhou como secretário adjunto de Obras e, em seguida, secretário adjunto-executivo. Também foi secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Cuiabá, durante a gestão de Mauro Mendes no Palácio Alencastro.

Comentários Facebook
publicidade

Educação

MEC publica relação de aprovados na segunda chamada do Prouni

Publicado

por

O Ministério da Educação publica hoje (8) a relação de candidatos aprovados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) de 2021. O prazo para que os selecionados comprovem as informações que foram prestadas na inscrição encerrará no dia 24 de fevereiro.

A lista com o nome dos selecionados para o primeiro processo seletivo de 2021, bem como o cronograma do programa, pode ser acessada por meio do site do Prouni.

Prédio do Ministério da Educação

Neste ano, o programa oferece bolsas para 13.117 cursos em 1.031 instituições de ensino, localizadas em todos os estados e no Distrito Federal. Mais de 162 mil bolsas estão sendo ofertadas nesta edição do Prouni. Desse total, 52.839 são para cursos na modalidade de educação à distância.

Critérios

Para ter acesso à bolsa integral, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo (R$ 1.650) por pessoa. Para a bolsa parcial, a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa (R$ 3.300).

Leia mais:  MEC autoriza aulas online no ensino superior até dezembro

É necessário também que o interessado tenha cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou da rede privada, desde que na condição de bolsista integral. Professores da rede pública de ensino também podem disputar uma bolsa, e, nesse caso não se aplica o limite de renda exigido dos demais candidatos.

É preciso ainda que o candidato tenha feito a edição mais recente do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), tenha alcançado, no mínimo, 450 pontos de média das notas e não tenha tirado zero na redação.

Excepcionalmente neste ano, os interessados serão selecionados de acordo com as notas do Enem de 2019, uma vez que as provas do Enem 2020 foram adiadas em razão da pandemia da covid-19 e apenas o primeiro dia de provas foi realizado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana