Domingo, 16 de Janeiro de 2022
24°

Alguma nebulosidade

Cuiabá - MT

Geral Mato Grosso

Governo de MT paga verba indenizatória aos profissionais de saúde este mês

Projeto de lei prorrogou o pagamento do adicional até o mês de junho de 2022

11/01/2022 às 14h30
Por: Redação Fonte: Secom Mato Grosso
Compartilhe:
- Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT
- Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT
O Governo de Mato Grosso paga, neste mês de janeiro, a verba indenizatória extraordinária aos profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19. O adicional permanecerá a ser pago até o mês de junho deste ano.

 

O governador Mauro Mendes destacou que o adicional valoriza o trabalho prestado pelos profissionais da saúde que estão diretamente envolvidos no combate à pandemia.

 

"Estamos passando por um momento de aumento no número de casos da Covid-19 em todo o Estado e os profissionais da saúde prestam esse serviço importantíssimo para a população. O adicional vai permitir a manutenção dos profissionais em seus postos, valorizando esse trabalho prestado e garantindo o atendimento de qualidade aos mato-grossenses", afirmou o governador.

 

O Projeto de Lei que prorroga o pagamento do auxílio foi aprovado pela Assembleia Legislativa, em unanimidade, nesta terça-feira (11.01), e está previsto na Lei nº 667 de julho de 2020.

 

Até o momento, já foram beneficiados cerca de 4,2 mil servidores da Rede Estadual de Saúde. O benefício é destinado especificamente aos servidores que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 em unidades hospitalares, ambulatoriais e finalísticas da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

 

A verba indenizatória não é fixa e está relacionada à situação de cada profissional junto às unidades. O benefício também não é válido para os profissionais contratados e remunerados exclusivamente pelo sistema de plantão, pois o valor a ser recebido é exatamente aquele previsto em edital do Processo Seletivo correspondente.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias