conecte-se conosco


Entretenimento

Nicolas Prattes como serial killer? Detalhes em vídeo de “O Segredo de Davi”

Publicado

 “O Segredo de Davi”  é protagonizado por Nicolas Prattes
e tem data de estreia prevista para o dia 22 de novembro em todos os cinemas do Brasil.

Leia também:  “O Grande Circo Místico” é escolhido para representar o Brasil no Oscar 2019


Nicolas Prattes interpreta um serial killer no novo filme de terror brasileiro chamado
Divulgação

Nicolas Prattes interpreta um serial killer no novo filme de terror brasileiro chamado “O Segredo de Davi”. Longa estreia no dia 22 de novembro

Em “O Segredo de Davi”,
o ator dá vida a um anti-herói cheio de mistérios. A trama foca no jovem universitário que se transforma num famoso serial killer. Davi é um menino tímido que esconde um passado sombrio. No vídeo exclusivo abaixo é possível saber sobre a trama e o trabalho do ator no personagem.

Leia também:  22 obras de Spike Lee ganham destaque em retrospectiva no CCBB de São Paulo

O personagem de Nicolas Prattes começa a seguir numa jornada de crimes que revelará sua verdadeira natureza.  O roteiro original do filme foi criado pelo diretor Diego Freitas, que já foi premiado internacionalmente como melhor diretor pelo curta “Sal”. Ao lado do diretor, estão coproduzindo o filme Elisa Tolomelli, Luciano Reck, Amadeu Alban e Marcio Yatsuda.

Leia mais:  Isabella Santoni e Fernanda de Freitas recolhem lixo em praia no Rio

Mais detalhes de “O Segredo de Davi”



Divulgação

“O Segredo de Davi” chega aos cinemas no dia 22 de novembro de 2018. Longa tem como protagonista o ator Nicolas Prattes

Leia também:   A história por trás da máscara de Michael Myers, o vilão da franquia “Halloween”

O filme é o único brasileiro selecionado para o Festival Internacional de Cinema de Montreal em 2018. Além de Nicolas Prattes, o longa conta no elenco com os atores Prattes, André Hendges, Neusa Maria Faro, Eucir de Souza, Cris Vianna, Bianca Muller, Giselle de Prattes e entre outros.  “O Segredo de Davi”
chega aos cinemas brasileiros no dia 22 de novembro. 

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  “Refugiados: A Última Fronteira” recompõe crise dos refugiados sob olhar único

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Luana Piovani curte e responde comentário criticando Anitta na web

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana