conecte-se conosco


Política

MT tem dois mil servidores aposentados com menos de 45 anos

Publicado

O governo apresentou ao Conselho da Previdência de Mato Grosso, a proposta de reforma estadual que prevê mudanças que seguem o molde da reforma da previdência nacional, recém promulgada pelo Congresso Nacional. A reunião que aconteceu na manhã desta quarta-feira (13), no Palácio Paiaguás, contou com a presença de chefes dos Poderes, e representantes de servidores.

O principal ponto da reforma prevê o aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%. Conforme o governador Mauro Mendes, a mudança deverá ser feita obrigatoriamente, já que nenhum estado poderá manter para os servidores uma contribuição menor do que a do governo federal.

Ao todo, 15 unidades da federação já ajustaram a alíquota. “Se não fizermos os ajustes aqui colocaríamos o governo de Mato Grosso em uma situação de inadimplência, o que traria sérias consequências ao Estado, como a vedação de recebimento de recursos do governo federal”, fala sobre o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP).

Pediram vista do projeto os conselheiros José Antônio Borges, do Ministério Público; Orlando Perri, do Tribunal de Justiça; Carlos Roika, representante dos segurados da Defensoria Pública; Lázaro da Cunha Amorim, dos segurados do MP; e Luiz Cláudio Scheffer, dos segurados do Executivo. Após nova apreciação do Conselho, a proposta seguirá para a Assembleia Legislativa. O governador ressalta a necessidade da urgência da pauta para que o Estado possa recuperar o mais breve possível o equilíbrio fiscal.

Leia mais:  Agora CLT, William Bonner apresenta novo adorno aos colegas do “Jornal Nacional”

A reforma deve conter o déficit da previdência que acumula um saldo negativo de R$1,3 bilhão ao ano, conforme estudo apresentado pelo presidente do Mato Grosso Previdência (MT Prev), Elliton Souza. Na ocasião, o deputado João Batista reconheceu os avanços do governo que possibilitaram uma melhora da situação financeira do Estado, e afirmou que os servidores concordam que deve haver mudança para garantir a aposentadoria no futuro, mas que precisam de participar desse processo de discussão em torno da reforma da previdência.

Um dos exemplos citados fdoram servidores que se aposentam em plena idade plena de trabalho. Mato Grosso tem hoje dois mil servidores públicos com menos de 45 anos aposentados.

Outras opções apresentadas, como corte de investimentos, congelamento do duodécimo dos Poderes, aumento de impostos, ou diminuição das aposentadorias, não seriam suficientes pra cobrir o valor necessário para pagar os aposentados e pensionistas. O presidente conta que, mesmo antes da aprovação da reforma nacional, quando a Emenda Constitucional 103 de 2019 ainda estava em tramitação, a equipe do MT Prev começou os estudos de impacto aplicando as mesmas regras federais no Estado.

Leia mais:  Fávero defende o campo e diz que problemas ambientais estão nas cidades

Os resultados foram apresentados na reunião do Conselho. “A potência econômica da reforma no Estado geraria um valor de R$ 25 bilhões acumulados ao longo dos próximos dez anos. Ou seja, no ano de 2020, já zeraríamos o déficit financeiro da reforma, e sobraria algo na ordem de R$ 600 milhões para ser investido”, afirma sobre os relatórios financeiros.

No entanto, ao final de 10 anos, com o número de aposentados que deve superar o que o número de ativos até 2023, e conforme a projeção, a previdência voltará a apresentar déficit acumulado de R$ 6 bilhões. Sem a reforma, o montante chegaria a R$ 31 bilhões em 10 anos.

O Conselho de Previdência é o órgão de deliberação superior da Previdência Estadual, vinculado ao Governador do Estado, tendo por finalidade assegurar o regime de previdência de caráter contributivo e solidário, garantindo o equilíbrio financeiro e atuarial. Tem cadeira no Conselho os chefes dos Poderes, e representantes dos segurados.

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Barra do Garças e Serra do Roncador estarão em destaque na sexta-feira no Globo Repórter

Publicado

por

Uma equipe da Rede Globo esteve gravando na serra do Vale dos Sonhos; na cidade de Nova Xavantina e com a comunidade Eubiose. O programa irá ao ar nesta sexta dia 6/12.Será na sexta feira, 06/12, a apresentação do programa Globo Repórter da Rede Globo de Televisão enfocando a região da Serra do Roncador, e nela, o Templo da Sociedade Brasileira de Eubiose, em Nova Xavantina, bem como a filosofia da Instituição em si, com entrevistas com seus membros e discípulos e imagens de um Ritual no Templo especialmente feito para o programa.

As gravações em Nova Xavantina aconteceram no último dia 28 de agosto e tiveram o estilo e voz marcantes de Francisco José nas reportagens, que foram feitas também em Barra do Garças e Canarana.

Bastidores

“Este é o meu 102º Globo Repórter” disse o renomado profissional da Rede Globo durante almoço com a equipe no Restaurante Águas do Manso, após as filmagens. Naquele dia, segundo ele, Sergio Chapelin estava gravando o último programa de sua carreira, que foi ao ar há poucas semanas atrás.

Leia mais:  Procon faz alerta aos consumidores para dia do Black Friday

O programa enfocou as belezas e mistérios da Serra do Roncador, que povoam o imaginário popular, como o desaparecimento do Coronel Percival Henry Fawcett na região nos idos de 1920, cuja história inspirou o cineasta Steven Spielberg na criação do personagem Indiana Jones.

Casa do Coronel Vanique

As filmagens em Canarana e Barra do Garças buscaram mostrar as belezas naturais da Serra e sua interligação com os primeiros habitantes da região, os indígenas Xavantes, considerados os guardiões do Roncador.

Em Nova Xavantina, a equipe filmou também a casa onde morou o Coronel Flaviano Mattos Vanique, Chefe da Expedição Roncador Xingú, que está sendo totalmente restaurada pela Prefeitura Municipal.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana