conecte-se conosco


Brasil / Mundo

MPs e Defensorias vão à Câmara de Curitiba contra projeto de Greca sobre entrega de alimentos

Publicado

Texto prevê multa de R$ 150 a R$ 550 para quem distribuir comida a pessoas em situação de rua sem autorização

Os ministérios públicos Federal e do Trabalho e as defensorias públicas da União e do Paraná pediram, nesta sexta-feira, 2, à Câmara Municipal de Curitiba, que não coloque em votação o projeto sobre entrega de alimentos a moradores em situação de rua. A proposta foi enviada à Casa pelo prefeito Rafael Greca e tem gerado polêmica. O texto prevê multa para quem distribuir comida sem autorização. No oficio apresentado nesta sexta, defensores e procuradores sugerem ao presidente da Câmara de Curitiba, Tico Kuzman, que segure a tramitação até que a população seja consultada em audiência pública.

O grupo afirma que o projeto avança contra ações organizadas da sociedade civil imprescindíveis para suprir as deficiências das politicas publicas. Além de que centenas de pessoas que não são assistidas adequadamente pelo poder público são beneficiadas por essas ações voluntarias e humanitárias — desenvolvidas com demonstrado zelo, dedicação e responsabilidade social. A ideia da prefeitura é criar o Programa Mesa Solidária, com cadastro de grupos para doações que seriam previamente agendadas. Pela proposta, quem distribuir alimentos em desacordo com horários, datas e locais autorizados pelo município poderá ser multado de R$ 150 a R$ 550.

Leia mais:  Mega-Sena acumula e deverá pagar R$ 12 milhões no próximo sorteio

Atualmente, segundo a prefeitura, são quase 3 mil sem tetos na capital paranaense. A gestão Greca afirma que o projeto foi pensado para garantir eficiência e adequação sanitária para a distribuição de alimentos. Diz também que, pela ausência de controle sanitário, os alimentos distribuídos nestas circunstancias carregam riscos biológicos, químicos e físicos a um grupo populacional que apresenta agravos de saúde. E que as situações que os alimentos são distribuídos em exagero e outros em falta.

Comentários Facebook
publicidade

Brasil / Mundo

Lula ultrapassa Bolsonaro na corrida para 2022

Publicado

A nova rodada da pesquisa XP-Ipespe sobre a disputa presidencial para 2022 mostra que, a cerca de um ano e meio da eleição presidencial de 2022, o ex-presidente Lula e o presidente Jair Bolsonaro permanecem tecnicamente empatados na liderança, mas agora com o petista numericamente à frente. Ele tem 29% das intenções de voto ante 28% de Bolsonaro. Sergio Moro e Ciro Gomes vêm na sequência, com 9% cada. No levantamento anterior, Lula tinha 25%, e Bolsonaro, 27%. Nas simulações de segundo turno, Lula também está numericamente à frente de Bolsonaro, com 42% a 38% — na pesquisa do início de março, Bolsonaro tinha 41% e Lula, 40%. Em outros cenários testados, o presidente Bolsonaro aparece empatado com Moro, ambos com 30%, e com Ciro Gomes, ambos com 38%. Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional nos dias 29, 30 e 31 de março. A margem de erro máxima é de 3,2 pontos percentuais para o total da amostra.

Comentários Facebook
Leia mais:  Mega-Sena acumula e deverá pagar R$ 12 milhões no próximo sorteio
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana