conecte-se conosco


Cidades

MP manda investigar padre de MT por apologia ao estupro

Publicado

O Ministério Público do Estado (MPMT) pediu que a Polícia Judiciária Civil (PJC) abra um inquérito para apurar supostos atos criminosos do padre Ramiro José Perotto, diácono que atua em Carlinda (756 KM de Cuiabá). O órgão ministerial aponta a suposta prática de apologia ao estupro.

O pedido de investigação surgiu após Perotto comentar em suas redes sociais que uma menina de 10 anos de idade, que era estuprada desde os 6 pelo próprio tio, “gosta de dar”. Após ficar grávida a criança realizou um aborto com autorização judicial.A promotora de justiça Laís Rezende assina o pedido de investigação. De acordo com informações, o órgão ministerial enviou um ofício à Igreja Católica para informar quais providências administrativas foram tomadas contra o padre.

No início desta semana, o padre Ramiro José Perotto chocou a sociedade mato-grossense ao criticar o aborto realizado por uma criança moradora do Espírito Santo, estuprada desde os 6 anos de idade. Ela teve que realizar o procedimento, autorizado pela Justiça, somente na cidade Recife após um hospital ligado à Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) se recusar a cumprir a decisão judicial.

Leia mais:  Assistência Social recebe 500 cestas básicas da Aprosoja para doação a famílias cadastradas nos Cras

Ramiro José Perotto somou-se a pessoas e grupos religiosos ultraconservadores, de todo o Brasil, para atacar a criança, dizendo nas redes sociais que a vítima infantil “gosta de dar”.

“Você acredita que a menina é inocente? Acredita em papai Noel também. 6 anos, por 4 anos e não disse nada. Ela compactuou com tudo e agora é menina inocente. Gosta de dar então assuma as consequências”, disse ele.

Após os comentários, Perotto sofreu uma “enxurrada” de críticas nas próprias redes sociais e na internet. Ele excluiu sua conta no facebook e divulgou uma carta pedindo perdão “àqueles que se sentiram ofendidos”.

A criança estuprada deixou o hospital no Recife na última quarta-feira (19). De acordo com reportagens publicadas nos últimos dias, ela também recebeu presentes e apoio de vários outros grupos e pessoas que se sensibilizaram com sua história

 

Por:folhamax

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Lotação das UTIs de hospitais particulares chega a 86% em MT

Publicado

Os hospitais particulares de Mato Grosso também estão próximos de não terem mais vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para os pacientes com covid-19. A taxa de ocupação chegou a 86,5%, bem maior dos que os 70% de ocupação das UTIs públicas.

 

Em nota, o Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sindessmat) afirmou que o número de pacientes internados em hospitais particulares por causa do novo coronavírus tem aumentado.

Em 8 de janeiro 80% dos leitos de UTI exclusivos para covid-19 estavam ocupados. Uma semana depois, em 15 de janeiro, essa taxa já era e 86,5%. Já a ocupação geral de leitos para covid-19 (enfermaria e UTI) está em 73%.

 

A situação é de alerta no estado, não só nos hospitais particulares como no Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, apesar das UTIs públicas estarem com 70% de ocupação, o momento é de preocupação, pois na primeira onda da pandemia em 15 dias a taxa de ocupação saiu de 70% para 100%.

Leia mais:  Agentes da Semob são capacitados para utilização de sistema da Serpro

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana