conecte-se conosco


Política

Mendes critica atuação de MP: “Atira primeiro e pergunta depois, igual polícia”

Publicado

O governador Mauro Mendes (DEM) fez uma crítica na manhã desta quarta-feira (22) à atuação do Ministério Público Estadual (MPMT) em relação à aquisição de insumos por parte dos gestores públicos durante a pandemia da Covid-19. Para o democrata, o órgão fiscalizador tem agido muitas vezes como a polícia “que atira primeiro e pergunta depois”.

Em razão do estado de calamidade pública, governadores e prefeitos contam com aval de dispensa de licitação para compra de medicamentos, equipamentos hospitalares e de equipamentos de proteção individual, que por algumas vezes estão com preço acima da média.

Em entrevista à rádio Capital FM, Mendes afirmou que não teme uma penalização no futuro, em relação à compras feitas durante a pandemia. “Eu particularmente não tenho essa preocupação. Porque quando você tem a consciência que está fazendo a coisa correta em tese você não tem que se preocupar”, declarou.

“Agora, o MP tem que agir com seriedade. Tem dúvida? Vai lá, pergunta para o gestor, pede esclarecimento antes de fazer aquelas coisas meio espetaculosas como algumas vezes a gente já viu por aí. Como se fosse polícia que atira primeiro e pergunta depois. Isso não pode acontecer”, declarou.

Leia mais:  "O Globo" denuncia senador de MT por engavetar pedido de cassação de Bolsonaro

O democrata ainda falou sobre o aumento de preços em alguns produtos, como testes rápidos de Covid-19. Ele diz que o governo adquiriu 400 mil testes por R$ 18 cada todos homologados pela Anvisa, entretanto outros estados compraram por R$ 180.

“Se você olhar outros estados e prefeituras, tem gente que pagou R$ 50, R$ 80, R$ 120 e tem gente que pagou até R$ 180. Agora, será que esses ‘caras’ fizeram alguma coisa errada ou naquele momento foi a única alternativa que ele encontrou?”, questiona.

“É um momento que os preços ficaram meio malucos, agora a gente toma todo cuidado, faz cotações com muita gente e quando o preço está muito expressivo se tem opção a gente não compra, volta, cota de novo para tentar sempre economizar o dinheiro público que tem sido uma marca da nossa gestão”, concluiu.

Por: Wellyngton Souza/ hipernotícias

Comentários Facebook
publicidade

Política

Deputado assina TAC e promete não realizar mais festas

Publicado

O deputado estadual Faissal Calil (PV) assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Estadual (MPE) no qual se compromete a não realizar festas em sua residência, localizada no bairro Shangri-lá em Cuiabá, que excedam o volume de som permitido na “Lei do Silêncio”. O desrespeito à norma renderá multa no valor de R$ 3 mil.

“Se abster, a partir desta data, de produzir nos eventos realizados em sua residência ou sob sua responsabilidade, ruídos em níveis tais que possam resultar em danos à saúde humana”, diz o promotor 17ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural de Cuiabá, Gerson Natalício Barbosa.

 

De acordo com o TAC, chegou ao conhecimento da promotoria de Justiça que o deputado realizou uma festa para comemorar a vitória do vereador Marcus Brito Jr. (PV), que é seu aliado político. O termo de compromisso foi assinado no dia 15 de dezembro.

Ainda consta no documento que as celebrações são realizadas com frequência no local. “De acordo com a notícia, as festas organizadas pelo senhor Faissal Jorge Calil Filho são recorrentes e causam grande perturbação à vizinhança”.

Leia mais:  Nininho participa de inauguração e entrega de títulos na região Sul

 

Veja vídeo da festa 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana