conecte-se conosco


Brasil / Mundo

Médium diz que jogador está arrependido.

Publicado

Morto no último dia 27, o jogador Daniel, de 24 anos, ainda tem o seu crime investigado pelas autoridades. Seu assassino, Edison Brittes, está preso. Se no plano real, o caso segue indefinido, no plano espiritual também. De acordo com a médium clarividente Hadassa, o meia a procurou uma semana depois de ter sido morto.

“Postei o vídeo no qual relato a mensagem de Daniel Freitas sobre o fato de sua morte, seu arrependimento e pedido de justiça. Mensagem recebida no dia 02/11/18 às 6:12 da manhã. Orem pela alma deste jovem e lutem por justiça”, disse Hadassa em vídeo postado no YouTube.

De acordo com a médium, Daniel era um desconhecido que veio pedindo ajuda para ela, após sua morte. Hadassa afirmou que o jogador está triste pela repercussão da sua morte.

“Eles que vêm e dão a mensagem. Eu não preciso mentir, não quero nada, não procuro fama, tenho uma vida boa e estável, mas esse rapaz pediu para passar essa mensagem, porque está tendo muita difamação. Tem muita gente xingando Daniel e deve ter sido por isso que o ele me procurou. Só sei que esse moço se arrependeu de tudo o que ele fez. Eu nem sabia o que tinha acontecido, nem no Brasil eu moro. Meu marido me contou sobre a morte do jogador, falou detalhes. E eu criei uma empatia com a vítima, porque 19 anos atrás tive um parente que foi assassinado assim, decapitação”, disse.

Leia mais:  Parentes de integrantes dos Tribunais de Justiça não poderão compor lista tríplice para vagas de advogados nos TREs

Segundo ela, sempre aconteceram esses tipos de premonições e que não consegue falar com uma pessoa desencarnada se alguém pedir. “Eles que vêm e dão a mensagem. Eu não preciso mentir, não quero nada, não procuro fama, tenho uma vida boa e estável, mas esse rapaz pediu para passar essa mensagem, porque está tendo muita difamação”.

A médium ainda descreveu como teria sido a morte do jogador. Ela afirmou que o jogador teria visto uma mulher tentando cortar o seu pescoço.

“Ele não foi morto dentro daquela casa. Ele tomou um ‘sossega leão’, desmaiou e ele se engasgava muito com sangue. No meu sonho não conseguia nem respirar. Ele disse que estava tudo bem escuro e escutou que iriam arrancar as pernas dele, mas alguém disse que era melhor matar senão ele escaparia. A última visão que eu tenho, que foi o que ele viu, era alguém cortando o pescoço. E o que pareceu para mim, e que foi o que ele pensou, é que seria uma mulher tentando cortar”, concluiu.

Leia mais:  Para ter estabilidade social, política e pacificação, é preciso cumprir rigorosamente a Constituição', diz Temer

Comentários Facebook
publicidade

Brasil / Mundo

PEC do Fundeb deve voltar a ser discutida na Câmara dos Deputados

Publicado

por

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (13) que vai instalar, nos próximos dias, uma comissão especial para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/15, que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O fundo é usado por estados e municípios para cobrir grande parte dos gastos com educação pública.

O assunto foi tema da reunião de Maia com o ministro da Educação, Ricardo Vélez, na tarde desta quarta-feira. O ministro compareceu à Câmara para tratar de assuntos de interesse da pasta. Segundo Maia, o Fundeb foi o principal tema. “Ele veio se apresentar. Está preocupado com a pauta do MEC. Eu disse que deveremos instalar, nos próximos dias, a comissão especial da PEC do Fundeb, que é tema fundamental e que tem prazo, porque vai vencer”, disse Maia à Agência Brasil.

Com o fim da última legislatura da Câmara dos Deputados, a PEC 15/15, que vinha sendo discutida em comissão especial, foi arquivada. No último dia 4, em sessão plenária, a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), que foi relatora da proposta, apresentou requerimento para desarquivar a PEC, mas, até o momento, a Proposta de Emenda à Constituição ainda não foi desarquivada.

Leia mais:  Jornalista da Globo é critica por cobertura do desastre em Brumadinho

Outra pauta que é defendida pelo governo desde a campanha eleitoral é o Escola sem Partido, que também foi arquivado com o fim da última legislatura. Segundo Maia, o projeto não foi assunto da reunião de hoje com o ministro.

Comissões

Apesar de não haver prazo regimental, líderes e presidência negociam a instalação das comissões permanentes da Casa até o final do mês. Já as comissões especiais são criadas conforme a necessidade. Maia garantiu que será criada uma comissão especial do Fundeb.

O Fundeb, criado em 2006, deixará de existir em 2020, caso não seja prorrogado o prazo de vigência. A PEC 15/15 torna o fundo permanente. O Fundeb é formado por parte da arrecadação de estados e municípios, além de complementação da União. Os recursos devem ser investidos tanto no pagamento de professores quanto em melhorias nas escolas. A estimativa de receita do fundo para este ano é de R$ 156 bilhões.

Um dos pleitos de estados e municípios é que a União, ente que mais arrecada impostos, aumente a porcentagem de transferência de recursos, que atualmente é equivalente a 10% das contribuições dos demais entes.

Dorinha propõe o aumento da complementação da União para o fundo, de 10% para, no mínimo, 30% da participação dos estados e municípios. Esse aumento deverá ser feito de forma gradual.

Leia mais:  China planeja lua artificial para iluminar zonas urbanas

O assunto é de interesse de deputados recém empossados, como a deputada Tabata Amaral (PDT-SP), que tem a educação como prioridade no mandato. “Não é uma pauta super polêmica, não é a pauta ideológica que viraliza nas redes, mas é uma pauta com potencial de impacto gigantesco na qualidade e equidade da educação. A comissão avançou muito no ano passado, então acho que não vai começar do zero, temos meio caminho andado já”.

A deputada irá propor que entes que tenham boas práticas de ensino e que apresentarem melhora no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) – que mede por avaliações nacionais o desempenho das escolas – sejam recompensados por isso. “O Fundeb nos dá a possibilidade de criar mecanismos para que aqueles municípios que acabarem com a indicação política [para a direção da escola], aqueles municípios que garantirem uma formação continuada séria dos professores, que melhorarem o Ideb, consigam ter um incentivo fiscal. Acho que é uma inovação que a gente não pode perder a oportunidade de apresentar”, diz.
Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana