conecte-se conosco


Política

Medeiros diz que vídeo fortalece Bolsonaro e Barbudo apoia ditadura

Publicado

Os deputados federais de Mato Grosso José Medeiros (Podemos) e Nelson Barbudo (PSL) se manifestaram em favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), após repercussão da divulgação do vídeo da reunião ministerial, na sexta-feira (22). Medeiros disse que Moro deu um tiro no pé.

“O ministro que tenta desgastá-lo demonstrou não entender nada de política, porque se ele entendesse de política, ele teria feito a avaliação do vídeo e não teria divulgado. Aquele vídeo só contribui para inocentar o presidente e fortalecê-lo politicamente”, argumentou o deputado.

Para Medeiros, o vídeo mostra que Bolsonaro é a mesma pessoa tanto em público, quanto no privado.

“A publicação fortaleceu o presidente, pois demonstrou que o presidente não arredou o pé dos princípios que levaram ele à vitória nas eleições. Demonstra um presidente de uma cara só, o mesmo que dá entrevista ali no cercadinho, é o mesmo presidente que fala no privado com os ministros”, afirma.

Já Nelson Barbudo, que se manifestou por meio de suas redes sociais, foi mais enfático e disse que apoia a ditadura para manter o cargo de Bolsonaro e, parabenizou o ministro general Heleno.

Leia mais:  Bolsonaro analisará possíveis vetos a projeto de abuso de autoridade

“Parabéns Heleno, uma nota rápida dizendo que a cobra pode fumar. Ó, um aviso, na hora que os homens do botão dourado fizerem igual em 64, não chorem, porque eu estarei do lado do povo. Eu estarei do lado de Jair Bolsonaro. Sou da década de 60. Vivi muito jovem o período em que os militares tomaram conta porque senão vocês, criminosos, teriam implantado a ditadura cubana no Brasil e, pelo que vejo, um conluio para que se retome uma ditadura socialista no Brasil está andando”.

Barbudo criticou o Judiciário e,  ressaltou que o presidente não deve submeter seu celular à investigação. Além disso, afirmou que lutará até a morte em defesa de Bolsonaro.

“O único presidente patriota desde que os militares entregaram o poder, o único. O resto foram todos investigados quando não presos e agora esse homem tentando moralizar essa pátria e o Judiciário querendo atropelara ordem institucional? Não conseguirão. Bolsonaro, conte comigo, conte com o povo de Mato Grosso. Não entregue o celular caso o procurador-geral da República cometa essa besteira. Vai haver consequências das nossas e imprevisíveis como disse o grande general [Augusto] Heleno”, disse.

Leia mais:  Romoaldo defende projeto que garante proteção a animais atropelados

 

Por: RepórterMT

Comentários Facebook
publicidade

Política

Eleições 2020: TSE libera ferramenta para consulta de candidaturas

Publicado

Sistema pode ser consultado por qualquer cidadão

Consultas por município e cargo, acesso à informações detalhadas sobre a situação dos candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador, que pediram registro para concorrer às Eleições Municipais de 2020 já estão disponíveis na plataforma DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ferramenta traz ainda todos os dados declarados à Justiça Eleitoral, inclusive informações relativas às prestações de contas dos concorrentes

Acesso

O sistema é aberto a todos os cidadãos, sem necessidade de cadastro prévio ou autenticação de usuário. Na consulta, basta selecionar a unidade da federação no mapa ou a sigla do estado que quiser informações.

Na página principal do sistema, o interessado encontrará o quantitativo total de candidaturas por cargo (prefeito, vice-prefeito e vereador). No mapa do Brasil, é possível filtrar a pesquisa clicando na unidade da Federação e depois no cargo desejado. Em seguida, aparecerá uma lista com todos os políticos que concorrem ao cargo no estado.

Selecionado o nome do candidato, é possível obter informações sobre o seu número, partido, composição da coligação que o apoia (se for o caso), nome que usará na urna, grau de instrução, ocupação, site do candidato, limite de gasto de campanha, proposta de governo, descrição e valores dos bens que possui, além de eventuais registros criminais. Também é possível acompanhar a situação do pedido de registro e eleições anteriores das quais o candidato tenha participado.

Leia mais:  Câmara de Cuiabá apoia projeto da 13ª edição “Liquida Centro 2019”

Prazo

A ferramenta é atualizada toda hora à medida em que chegam solicitações de registros à Justiça Eleitoral. No dia 26 de setembro, às 19h, termina o prazo para os partidos políticos e coligações apresentarem o requerimento de registro de candidatos e chapas à Justiça Eleitoral.

Caso os partidos políticos ou coligações não tenham requerido o registro de algum candidato escolhido em convenção, a data-limite para a formalização individual do registro perante o TSE ou algum Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é o dia 1º de outubro, também até as 19h.

Situação da candidatura

A situação do registro do candidato aparece ao lado da foto, além do tipo de eleição à qual ele está concorrendo e um guia sobre os termos, inclusive os jurídicos, utilizados para definir a situação dele perante a Justiça Eleitoral.

Quando o processo é registrado na Justiça Eleitoral, é informada a palavra “cadastrado” e, em seguida, “aguardando julgamento”. Isso significa que o candidato enviou o pedido de registro de candidatura, mas o pedido ainda não foi julgado, ou seja, o processo está tramitando e aguarda análise.

Após o processo ser apreciado, o registro pode ser considerado “apto” ou “inapto”. Caso o candidato não tenha nenhuma contestação e o pedido tenha sido acatado, a situação que aparecerá no sistema será “apto” e “deferido”. Candidatos que aparecem como aptos, mas houve impugnações e a decisão é no sentido de negar o registro. Nesse caso, a situação será “apto” e o complemento será “indeferido com recurso”.

Leia mais:  Max Russi pede reformas e adequações no Chapéu do Sol, em Várzea Grande

Há ainda candidatos que apresentaram o registro e as condições de elegibilidade avaliadas foram deferidas pelo juiz e, no entanto, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ou o partido recorreu da decisão. Nessa hipótese, a condição será “apto” e “deferido com recurso”.

Na situação de registro julgado como apto, ainda há possibilidades de situações como “cassado com recurso” ou “cancelado com recurso”. Isso ocorre quando o candidato teve o registro cassado ou cancelado pelo partido ou por decisão judicial, porém apresentou recurso e aguarda uma nova decisão.

Por fim, também consta do sistema a condição de “inapto”, com os complementos: “cancelado”, quando o candidato teve o registro cancelado pelo partido; “cassado”; “falecido”; “indeferido”, quando o candidato não reuniu as condições necessárias ao registro; “não conhecimento do pedido”, candidato cujo o pedido de registro não foi apreciado pelo juiz eleitoral; e “renúncia”.

Contas

O sistema também disponibiliza as informações relativas às prestações de contas dos candidatos das eleições. O usuário pode fazer a pesquisa das receitas dos concorrentes por doadores e fornecedores, além de acessar a relação dos maiores doadores e fornecedores de bens e/ou serviços a candidatos e partidos políticos.

Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana