conecte-se conosco


Política

Mato Grosso recebe 113.250 doses de vacina contra Covid-19 nesta quinta-feira

Publicado

Por G1 MT

Uma nova remessa de vacinas chegou em Mato Grosso nesta quinta-feira (1º), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, por um voo da Azul. O Ministério da Saúde informou o envio de 113.250 mil doses para a imunização dos grupos prioritários da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19.

Para Mato Grosso, foram enviadas 104.000 mil doses da CoronaVac e 9.250 mil doses da vacina da AstraZeneca.

Mato Grosso recebeu 113.250 doses de vacina nesta quinta-feira (1°)  — Foto: Michel Alvim

Mato Grosso recebeu 113.250 doses de vacina nesta quinta-feira (1°) — Foto: Michel Alvim

As unidades da CoronaVac contemplarão trabalhadores da saúde, idosos entre 65 e 79 anos e força de segurança, salvamento e forças armadas. Já as unidades da AstraZeneca imunizarão trabalhadores da saúde que precisam receber a segunda dose da vacina.

Conforme orientação do Ministério da Saúde, as unidades da CoronaVac poderão ser utilizadas como primeira ou segunda dose. Já a vacina da AstraZeneca deverá ser destinada exclusivamente à segunda dose do público-alvo.

Leia mais:  Deputado cobra cumprimento da lei de despesca

Para a vacina CoronaVac, o prazo de aplicação da segunda dose varia entre 14 e 28 dias; para o imunizante da AstraZeneca, o prazo é de até 90 dias.

Imediatamente após a chegada do imunizante, as equipes da Vigilância Estadual trabalharão no recebimento das doses, na conferência da quantidade, na catalogação dos imunizantes e no encaixotamento para distribuição e retirada dos municípios.

Simultaneamente à operação logística, as equipes administrativas trabalham na resolução da Comissão Intergetores Bibartite (CIB), colegiado que oficializa o quantitativo de doses a ser destinado para os 141 municípios.

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 447.960 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Secretário vê risco em reabrir escolas e afirma que neta estudante foi infectada

Publicado

Andhressa Barboza/ rdnews

O retorno das aulas presenciais em Mato Grosso não deve ocorrer em breve. Com risco alto de contaminação pela Covid-19, as escolas são locais críticos para espalhar o vírus e preocupa autoridades como o secretário chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho. Ele relata ter visto toda sua família ser infectada após sua neta de apenas 4 anos, que estava frequentando a escola, ficar doente e acabar contaminado parentes próximos.

Na minha família, até dias atrás, estavam todos contaminados e quem trouxe o vírus para casa foi minha neta de 4 anos que estuda em uma escola privada

Chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho

Ele contou o caso, que é recente, após ser questionado sobre um Projeto de Lei que tramita na Assembleia que prevê a inclusão das instituições de ensino públicas e privadas na lista de serviços essenciais.

“Eu tenho muita dúvida com relação a isso. Na minha família, até dias atrás, estavam todos contaminados e quem trouxe o vírus para casa foi minha neta de 4 anos que estuda em uma escola privada. Então, tenho muita dúvida com relação ao retorno das aulas”, alertou.

Leia mais:  PLDO 2020 e proposta de reinstituição dos incentivos fiscais estão na agenda de debates da ALMT nesta semana

Na última semana, o governador Mauro Mendes (DEM) sinalizou que não deve sancionar o projeto que já passou em primeira votação pela AL. Ele também alertou, sem citar o caso de Carvalho, que crianças podem ser infectadas e contaminar parentes.

“Você pega uma escola estadual como a presidente Médici, tem 2 ou 3 mil alunos uma escola dessa. Como vamos fazer? Temos que avaliar cientificamente e eu não gostaria de dar a minha opinião, até pelo que aconteceu com a minha família, mas é uma situação que vamos avaliar com muito carinho”, ponderou Mauro Carvalho.

Em relação ao PL, o secretário preferiu não ser direto em defender uma postura contrária. Mas quis deixar evidente o risco de abrir escolas em um momento crítico para a saúde pública que está em colapso há mais de um mês. Já são mais de 8,4 mil mortos pela doença no Estado e, diariamente, a fila de espera de pessoas graves que aguardam vaga em UTI passa de 100 pessoas.

Leia mais:  Câmara aprova 14 requerimentos e quatro projetos de leis em sessão

“Eu não conversei com o governador sobre essa situação (do PL), mas isso merece um estudo bem aprofundado para que a gente não cometa nenhum ato que vá prejudicar as pessoas. Os critérios precisam ser pensados com muito equilíbrio”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana