conecte-se conosco


Entretenimento

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz cativam cena fashion e inspiram rivalidade

Publicado

O mundo das celebridades caminha lado a lado ao mundo da moda
. Diante disso, Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz são duas das celebridades mais influentes da atualidade. Em meio à looks
alternativos e elegantes, as atrizes lançam tendências e arrasam em suas escolhas.

Leia também: “Não sei se tenho talento, mas tenho vocação”, diz Marina Ruy Barbosa


Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz: Quem é melhor na moda?
Montagem por reprodução

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz: Quem é melhor na moda?

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz
, que são contratadas da Rede Globo
, despertam muitos flashes por serem donas de belezas exuberantes e estilos marcantes. Alvos almejados no universo fashion, as atrizes possuem mais semelhanças do que muitos imaginam. 

Leia também:Poderosa! Marina Ruy Barbosa posta look sexy e leva fãs a loucura

Básicas, clássicas e românticas, são alguns dos estilos que definem os looks tanto de Camila quanto de Marina. Elas misturam peças confortáveis de cores neutras para o dia-a-dia, e combinações ousadas com transparências e tons vibrantes nos eventos noturnos. Mas o que causa uma grande curiosidade é que Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz têm aparecido por aí com peças muito parecidas, tanto no estilo, como também nas tonalidades.

Fato um tanto quanto interessante já que as duas são garotas propagandas de uma campanha de uma marca de shampoo e ainda possuem uma história com o ator Kleber Toledo. Marina que atualmente está casada com o empresário Alexandre Negrão, namorou Kleber, atual marido de Camila, durante três anos.

Sintonia nos looks de Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz


Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz
Montagem por reprodução

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz

Com apenas dois anos de diferença em suas idades, Marina, de 23, começou na televisão ainda criança e fez seu primeiro trabalho de destaque no papel de Aninha na novela “Começar de Novo”. Enquanto Camila, de 25, desde que apareceu em “Verdades Secretas”, vem impressionando com seu charme e sofisticação.

O fato é que o mundo dos famosos é bastante movimentado, e desde que Marina deixou sua imagem de criança e passou a mostrar uma personalidade forte, começou a ganhar destaques em eventos de muitas grifes. Dona de um dos cabelos mais elogiados do Brasil e cuidadosa na hora de planejar um look – já que ao contrário de muitas atrizes, não tem personal stylist e geralmente escolhe as roupas com ajuda da mãe – a atriz conquistou literalmente o título de It Girl.

Leia mais:  Dentro do “BBB”, Manu Gavassi faz pedido de namoro a engenheiro

Já Queiroz que apesar de ter tido o início de sua carreira aos 14 anos, em meio às passarelas, começou a ganhar notoriedade em relação aos seus looks recentemente. Vale lembrar que, por conta do trabalho como modelo, a atriz já morou no Japão e em Nova York, onde participou de campanhas internacionais que estimularam o seu olhar fashion. 


Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz
Montagem por reprodução

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz

Assim sendo, entre as produções escolhidas, os vestidos dão um show à parte: estampas, rendas e diferentes tipos de comprimentos estão em evidência no guarda-roupa das atrizes. As duas também despertam grande interesse em roupas com cores fortes como é o caso do vermelho.

Entre suas elaborações ainda estão looks com uma pegada moderna e delicada. Blazers, cortes retos, golas, cinturas altas e roupas monocromáticas também são uma das opções mais presentes nas escolhas das atrizes. Será que Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz estão combinando?

No entanto, parece que as semelhanças vão muito além do estilo. Apesar de uma ser morena e outra ruiva, recentemente Camila Queiroz postou uma foto em sua conta oficial no Instagram onde apareceu com os cabelos mais claros por conta da luz do local. A imagem repercutiu tanto que houve fãs que confundiram a atriz com Marina.

Leia também:Camila Queiroz relembra pedido de namoro: “me tirou do fogão e falou vem cá”

Presença forte nas novelas da Globo


Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz
Montagem por reprodução

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz

Outra semelhança forte entre as duas é que ambas possuem uma presença forte nas novelas. Desde que foi contratada pela Rede Globo
, Camila não ficou um ano sem trabalhar. De 2015 para cá a atriz já atuou em “Verdades Secretas”, “Êta Mundo Bom!” e “Pega Pega”. Em novembro ela também começa a gravar “Verão 90”, a próxima novela das sete da emissora, que irá mostrar o Rio de Janeiro na década de 90.

Leia mais:  Rachel Sheherazade diz sofrer ataques de aliados de Bolsonaro: “violento”

Da mesma forma acontece com Marina, considerada uma das queridinha da Globo
, a ruiva é uma das atrizes que sempre emenda um trabalho atrás do outro e tem poucas férias. Prova disso, é que logo após seu papel em “Deus Salve o Rei”, a jovem descansou poucos dias antes de começar as gravações de “O Sétimo Guardião”, que estreia no dia 12 de novembro.

Destaques em semanas de moda


Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz
Montagem por reprodução

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz

Outra prova que Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz são grandes influências no mundo da moda é a presença de ambas no São Paulo Fashion Week. Todos os anos muitas marcas renomadas convidam celebridades para desfilarem com suas coleções e mostrarem as novas tendências.

Este ano, Camila foi a estrela que brilhou na passarela representando a grife do estilista João Pimenta. Com grande personalidade a atriz apareceu usando um vestido com estampas geométricas, uma das novas apostas dos estilistas.

Já Marina Ruy Barbosa é uma das famosas que há anos comtempla o evento com sua beleza. Além de ser uma das atrizes mais cogitadas e vista como um ícone fashion no evento aqui no Brasil, a ruivinha ainda faz sucesso na semana de moda de Paris.


Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz
Montagem por reprodução

Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz

Na maquiagem
as estrelas também aparecem com uma grande semelhança. Com uma personalidade forte, Marina e Camila investem em produções leves para o cotidiano e batom e olhos marcantes para a noite. Entre as opções na paleta de cores, vermelho e rosa são os mais usados.

De fato ambas estão excelentes no cenário fashion. É claro que se o tempo for um critério vantajoso, Marina vem mostrando o seu telando na hora de se vestir em um ciclo muito maior. Entretanto, Camila tem conseguido se consagrar, em um curto prazo, um posto muito paralelo ao da ruivinha. Mas o que se pode esperar, sem dúvidas alguma, é que tanto Marina Ruy Barbosa e Camila Queiroz
continuem por um longo período se destacando no universo da moda.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Peladão, Léo Rosa mostra “espada” e agita seguidores

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Tereza fala de seu quarto paredão: “Já sabia que eu ia sair”

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana