conecte-se conosco


Agricultura

Mapa investirá R$ 7 milhões em inovação tecnológica na produção de caprinos e ovinos no Nordeste

Publicado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo, irá investir R$ 7 milhões na inovação tecnológica na produção de caprinos e ovinos no Nordeste, uma das principais fontes de renda na região. As ações, no âmbito do programa AgroNordeste, serão executadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

O Termo de Execução para implementação do programa AgroNordeste Agroindústria foi assinado nesta quarta-feira (11) pela ministra Tereza Cristina, pelo presidente da Embrapa, Celso Moretti, e pelo secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa, Fernando Schwanke.

O programa vai trabalhar com polos produtivos de caprinos e ovinos da Bacia do Jacuípe (BA), Cariri Paraibano (PB), Sertão de Pernambuco (PE), Sertão dos Inhamuns (CE) e Vale do Itaim (PI), abrangendo uma rota de apoio tecnológico de mais de 3 mil quilômetros, além da montagem de 20 unidades de referência tecnológica.

A ideia é incentivar soluções inovadoras, junto com assistência técnica e cooperativismo, para a produção sustentável e agregação de valor aos produtos de carne, leite e derivados, contribuindo para o aumento da renda dos pequenos produtores, público-alvo do programa.

Leia mais:  Conselho Monetário Nacional autoriza a prorrogação das parcelas das operações de crédito rural de custeio da cultura do arroz

Segundo o secretário Fernando Schawnke, o desenvolvimento do semiárido passa pelo investimento na pecuária, principalmente na caprinovinocultura. Os recursos, de acordo com ele, serão importantes para aprimorar a produção na região e incrementar a renda dos produtores.

Algumas das ações previstas são: implantação de estratégias para controle de parasitoses; capacitação de 550 técnicos e produtores locais em inseminação artificial de caprinos leiteiros, assessoramento nutricional e orçamentação forrageira e implantação de unidades com sistemas de integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) para recuperação de áreas degradadas.

Os recursos aplicados nos polos produtivos permitirão ainda mais de 30 mil análises laboratoriais para controle de doenças, instalação de uma central para certificação da qualidade do leite e serviço de assessoria nutricional na elaboração das dietas dos rebanhos.

Outra meta é a integração entre agentes de pesquisa, técnicos de extensão e produtores rurais por meio de videoconferências, canais permanentes de diálogo e intercâmbio de informações.

 

* Com informações da Embrapa Caprinos e Ovinos

Informações à imprensa:
[email protected]

Embrapa Caprinos e Ovinos
[email protected]
(88) 3112.7413

Leia mais:  Comitê gestor do Selo Mais Integridade se reúne nesta quinta para definir premiação

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
publicidade

Agricultura

Preço da carne bovina desacelera e segue em tendência de queda

Publicado

por

A redução na demanda pelo consumidor e no volume de exportações da carne bovina para a China têm provocado o recuo no preço do produto no varejo. Esse movimento reflete a variação no preço da arroba do boi gordo ao produtor que, em média, já caiu em torno de 5% desde o início do ano, segundo levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os preços do boi gordo nesta sexta feira (24) estavam cotados entre R$ 170 e R$ 180.  Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, foi registrada uma queda 10,5%, na comparação entre o preço de R$ 190, em 30 de dezembro de 2019, e o fechamento na sexta-feira, em R$ 170.

A redução se torna ainda maior ao avaliar o comportamento do mercado em relação ao início de dezembro, quando a arroba chegou a R$ 216, conferindo uma queda da ordem de 21% em relação a esta sexta-feira.

O recuo no preço da carne também foi verificado no levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na quinta-feira (23). O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), a prévia da inflação, captou uma forte desaceleração no valor do produto. De uma alta de 17,71% em dezembro, a variação no preço da carne chegou a 4,83% em janeiro, puxando a inflação para baixo.

Leia mais:  PIB-Agro/CEPEA: Pecuária sustenta crescimento do PIB Agro no 1º semestre

Para o coordenador-geral de Apoio à Comercialização da Agricultura Familiar do Mapa, João Antônio Salomão, além da questão das exportações, outros fatores contribuíram para pressionar o preço para baixo. “Neste período, há uma tendência de menor consumo de carne bovina, em virtude das férias e houve também uma mudança de hábito do consumidor, que migrou para a compra de outros tipos carnes, como frango e peixes”, observa.

No varejo, os preços devem seguir tendência de queda, em virtude da demanda enfraquecida. O valor de cortes traseiros, que têm cotações mais altas e mais sensíveis à variação do mercado, registrou forte queda, como a alcatra. Enquanto em dezembro esse corte teve uma variação de 21,26%, neste mês, foi 4,49%, de acordo com o IPCA-15, do IBGE.

Informações à imprensa[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana