conecte-se conosco


Política

Maluf faz defesa contra o fim do MT Saúde durante sessão

Publicado

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) fez uma ampla defesa durante a sessão matutina desta quarta-feira (31), em torno da permanência do MT Saúde. “Da forma como está o MT Saúde não tem futuro, mas sou terminantemente contra o fim de um plano de saúde dos servidores”, disse o parlamentar que presidia a sessão legislativa.

Conforme Maluf, se o MT Saúde não é viável economicamente da forma como se encontra hoje, há necessidade de se fazer uma reformulação. “É preciso que se façam ações, como exemplo, passar o MT Saúde para outra bandeira”.

Guilherme Maluf apresentou três pontos para a garantia do equilíbrio fiscal do MT Saúde: a questão dos restos a pagar, a necessidade de maior participação dos servidores no conselho de gestão do plano e que o MT Saúde seja ampliado para os servidores municipais, para as cidades do interior de Mato Grosso.  

“Não é justo que os prestadores de serviço do plano de saúde amarguem qualquer prejuízo com a passagem desse plano para uma bandeira. O MT Saúde precisa ter uma nova forma, mas a gestão do conselho tem de ser dos servidores públicos”, afirmou.

Leia mais:  Obras de recuperação da MT-358 entre Barra do Bugres e Tangará da Serra começam nesse mês

Para Guilherme Maluf, o plano precisa ser estendido para os municípios de Mato Grosso. “O plano tem que ser estendido. Hoje são 30 mil usuários, número insuficiente para garantir o equilíbrio fiscal do MT Saúde. O dinheiro recolhido com os usuários do plano, atualmente, não é suficiente para bancar os custos”, disse.

As despesas do MT Saúde giram em torno de R$ 11 milhões e o valor pago por todos os servidores não passa de R$ 5 milhões. O MT Saúde existe desde 2004. Parte do plano é paga pelos servidores e tem a contrapartida do Governo do Estado.

 

 

Comentários Facebook
publicidade

Política

Deputado assina TAC e promete não realizar mais festas

Publicado

O deputado estadual Faissal Calil (PV) assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Estadual (MPE) no qual se compromete a não realizar festas em sua residência, localizada no bairro Shangri-lá em Cuiabá, que excedam o volume de som permitido na “Lei do Silêncio”. O desrespeito à norma renderá multa no valor de R$ 3 mil.

“Se abster, a partir desta data, de produzir nos eventos realizados em sua residência ou sob sua responsabilidade, ruídos em níveis tais que possam resultar em danos à saúde humana”, diz o promotor 17ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural de Cuiabá, Gerson Natalício Barbosa.

 

De acordo com o TAC, chegou ao conhecimento da promotoria de Justiça que o deputado realizou uma festa para comemorar a vitória do vereador Marcus Brito Jr. (PV), que é seu aliado político. O termo de compromisso foi assinado no dia 15 de dezembro.

Ainda consta no documento que as celebrações são realizadas com frequência no local. “De acordo com a notícia, as festas organizadas pelo senhor Faissal Jorge Calil Filho são recorrentes e causam grande perturbação à vizinhança”.

Leia mais:  Comissão de Constituição, Justiça e Redação pauta 22 proposições à ordem do dia

 

Veja vídeo da festa 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana