conecte-se conosco


Cidades

Mais 80 famílias recebem cartão de crédito definitivo para reforma de suas residências

Publicado

“Um verdadeiro gesto de um pai e uma mãe que quer sempre o melhor para o seu filho”, essa foi a definição dada pelo prefeito Emanuel Pinheiro, ao lado da primeira-dama Márcia Pinheiro, para a entrega de mais 80 cartões do programa “Bem Morar – A Prefeitura reforma a sua casa”. O ato aconteceu na noite de quarta-feira (06) e beneficiou moradores do bairro Planalto. O programa, idealizado pela primeira-dama, integra as ações realizadas pela gestão municipal visando levar qualidade de vida à população.

“Sei que existem muitas pessoas que precisam desse apoio da Prefeitura de Cuiabá e esse é apenas o começo. Vamos continuar trabalhando, pois é missão da nossa administração pública, investir em bem-estar social. Não vamos medir esforços para fazer Cuiabá uma cidade melhor para se viver ao lado do bem mais precioso de cada pessoa, que é a família”, disse o prefeito.

Emocionado sem esconder tamanha satisfação de ter sido um dos contemplados, Odenir Pereira, ao receber o cartão definitivo fez questão de agradecer ao prefeito. “O meu prefeito é o Emanuel Pinheiro, que fala e cumpre. Ele realmente ajuda quem mais precisa. A Prefeitura de Cuiabá tem realmente feito aquilo que anuncia, que é trabalhar e cuidar da gente”, declarou o contemplado.

Já são 120 famílias da região Leste atendidas pelo programa, sendo que 40 estão com as obras em andamento. Os beneficiados recebem um crédito que vai de R$ 2 a 12 mil reais, totalmente gratuitos para a realização de reparos nas residências. O valor repassado é calculado a partir das necessidades apontadas no projeto e deve ser destinado 25% para mão de obra e 75% para aquisição de material de construção civil. O recurso para atender a demanda é oriundo da Fonte 100 do Município.

Leia mais:  Primeiro de março e João Bosco Pinheiro recebem obra de pavimentação

Nesta primeira edição, moradores de cinco bairros da Capital, com regularização fundiária em dia e que se encontram dentro de Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS) foram inclusos na ação. São eles: Vale do Carumbé, Planalto, Altos da Glória, Jardim Umuarama e Três Barras. A atividade acontece com base no projeto de Lei de nº 6.380 de 18 de abril de 2019, aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal de Cuiabá.

Dona Lenir da Rocha, 71 anos, que é uma das fundadoras do bairro Planalto, disse que se não fosse o prefeito Emanuel Pinheiro não teria condições. “Vou fazer de tudo na minha casa. Parece que estou vivendo um sonho. Acredito que o prefeito esteja no caminho certo”, destacou ela.

“Este programa é um sucesso e os bons resultados estão sendo constatados. Estamos trabalhando para melhorar a quantidade de habitações, mas principalmente a qualidade, exatamente o que diz a Constituição Federal: moradia digna. E é isso que o prefeito briga e impõe: condição de cidadão!”, comentou o secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Air Praiero.

Leia mais:  Semana da Transparência é ferramenta para inserir crianças no controle social

O programa pioneiro se inicia com beneficiários residentes na região Leste da Capital, mas o prefeito Emanuel Pinheiro afirmou que o objetivo é expandir o “Bem Morar” para todas as regiões de Cuiabá. Serão 300 famílias beneficiadas.

A avaliação da situação do imóvel é feita por equipe de professores do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que identifica as necessidades de melhorias e elaboram um projeto para a obra.

“A minha gestão é popular. É voltada para quem depende da Prefeitura de Cuiabá, do poder público, de um prefeito que olhe para as pessoas, que olhe para os mais carentes, que busque a justiça social, a inclusão social, que olhe para quem merece uma vida digna e com qualidade, com valorização, com humanização. Sou prefeito dos 700 mil cuiabanos, mas os mais carentes, os menos favorecidos são prioridades para mim e para a minha gestão, porque são os que mais precisam de mim como prefeito e os que mais precisam dos serviços da Prefeitura de Cuiabá”, concluiu Pinheiro.

 

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Saque emergencial do FGTS, no valor de R$ 1.045, estará disponível no dia 15

Publicado

por

A Medida Provisória (MP) 946/2020, publicada no Diário Oficial da União no último dia 7 de abril, extinguiu o Fundo PIS-Pasep, transferiu o seu patrimônio para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e liberou saque emergencial do FGTS por conta da pandemia do novo coronavírus e as consequentes crises de saúde e econômica.

Com a data prevista para o início dos saques se aproximando (15 de junho), já é possível esclarecer algumas dúvidas sobre como o processo será realizado. O limite será mesmo de R$ 1045 por contribuinte, sendo que qualquer brasileiro com saldo nas contas do FGTS poderá sacar.

Entre as contas, poderão ser sacados valores inativos (de empresas que trabalhou no passado) ou ativos (da companhia que trabalha agora). O dinheiro será descontado em ordem crescente, da conta com menos dinheiro em diante. É possível sacar ainda valores inferiores aos R$ 1045 se o trabalhador não possuir o valor cheio.

Os saques devem seguir cronograma da Caixa Econômica, que “divulgará o calendário de pagamento e demais informações nos próximos dias”. Segundo a MP, os pagamentos serão realizados até dia 31 de dezembro.

Leia mais:  Projetos para Dutrinha e Mercado Municipal serão escolhidos por concurso

 

Se o trabalhador não se manifestar negativamente até o dia 30 de agosto, o crédito será automático, depositado na conta poupança de sua titularidade. Caso ele opte por ter seu dinheiro depositado em outra instituição financeira, a MP proíbe que o banco cobre tarifa pela operação.

PIS-Pasep

A MP 946 extingue o Fundo PIS-Pasep, instituído pela Lei Complementar 26/1975. O fundo vale para quem trabalhou com carteira assinada na iniciativa privada ou foi servidor público civil ou militar entre 1971 e 1988. O que o governo faz é utilizar esse dinheiro para dar liquidez ao FGTS, mas preserva o patrimônio das contas individuais desses trabalhadores.

As contas vinculadas individuais dos participantes do Fundo PIS-Pasep, mantidas pelo FGTS após a transferência, passam a ser remuneradas pelos mesmos critérios aplicáveis às contas vinculadas do FGTS e poderão ser livremente movimentadas, a qualquer tempo, de acordo com a lei. O exercício financeiro do PIS-Pasep, iniciado em 1º de julho de 2019, fica encerrado em 31 de maio de 2020.

Os recursos remanescentes nas contas serão tidos por abandonados a partir de 1º de junho de 2025 e passarão a ser propriedade da União. Para saber se tem direito, o trabalhador ou seus herdeiros devem consultar a Caixa Econômica Federal, responsável pelo pagamento do PIS, e o Banco do Brasil, no caso do Pasep.

Leia mais:  Espaço Cuiabá 300 anos tem programação especial para o final de semana; confira

*Com Agência Senado

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana