conecte-se conosco


Mato Grosso

Lei de desvinculação do Corpo de Bombeiros da PM em Mato Grosso completa 26 anos

Publicado

Lei Complementar nº 32, de 10 de outubro de 1994 de autoria do deputado estadual Romoaldo Júnior, garantiu autonomia administrativa e financeira ao órgão que hoje é subordinado hierarquicamente ao Governador do Estado e vinculado a Sejusp

Por Márcia Martins

No dia 28 de outubro de 1994, há exatos 26 anos, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, desvinculava-se da Polícia Militar, por meio de Lei Complementar nº 32, de 10 de outubro de 1994 (D.O. 10.10.94), de autoria do deputado estadual Romoaldo Júnior (MDB). A separação garantiu autonomia administrativa e financeira ao órgão que hoje é subordinado hierarquicamente ao Governador do Estado e vinculado à Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Em visita ao gabinete do parlamentar, o tenente-coronel, Dércio Santos da Silva, coordenador geral do Comitê Temporário Integrado Multiagências de Coordenação Operacional de Mato Grosso (Ciman) e diretor adjunto operacional do Corpo de Bombeiros – disse que a lei garantiu amparo e legitimidade à corporação, permitindo até mesmo, concurso exclusivo na área.

Leia mais:  Resultados de duas estratégias preventivas são apresentados durante o I Encontro sobre prematuridade

Aprovado na primeira turma de bombeiros de Mato Grosso, chamada de ‘Turma Pioneira’ do CBMMT, o tenente-coronel disse que o concurso foi uma grande oportunidade que se abriu para vários tenentes temporários do Exército Brasileiro, inclusive para ele.

“O deputado Romoaldo é um político visionário, graças à propositura dele, foi realizado o concurso que ocorreu dois meses após a promulgação da lei“, reconheceu Dércio que está à frente da batalha contra os incêndios florestais em Mato Grosso e, em destaque, na Operação Transpantaneira II de combate ao fogo em todo o Pantanal mato-grossense, considerado um dos maiores da história.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Fernando Cadore é eleito presidente da Aprosoja Mato Grosso

Publicado

Por G1 MT

A chapa ‘Aprosoja Decidida, Produtor mais Forte’ foi a vencedora do pleito eleitoral de 2020 da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja). O presidente, Fernando Cadore, de Primavera do Leste, e vice-presidente, Lucas Costa Beber, de Nova Mutum, juntamente com a diretoria eleita, vão administrar a entidade pelos próximos três anos (2021-2023).

Foram 1.900 votos (65%), contra 1.023 (35%) da chapa adversária, encabeçada por Marcos da Rosa (Canarana) e Ricardo Arioli (Tangará da Serra). Este é o resultado parcial das eleições.

Presidente eleito, Fernando Cadore, solicitou aos associados que continuem participantes ativos da entidade, para que a associação continue sendo dirigida conforme os anseios do produtor de soja e milho de Mato Grosso.

Apesar da baixa mobilização por parte dos produtores associados, o candidato a presidente da chapa 2, Marcos da Rosa, avalia positivamente o pleito.

Leia mais:  hoje 26 Estado não paga 13º dos aniversariantes

Este ano 3.005 produtores rurais votaram contra 2.593 na eleição anterior (2017), representando um aumento de cerca de 14% neste pleito.­ Resultado oficial das eleições, inclusive com os nomes dos delegados eleitos de cada núcleo, saem em até sete dias úteis, conforme o regimento interno da entidade.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana