conecte-se conosco


Entretenimento

Ken Humano retira “tanquinho” falso e fica longe de parecer com boneco

Publicado

Mesmo depois de já ter feito mais de 70 cirurgias, Rodrigo Alves, também conhecido como Ken Humano, decidiu se submeter a mais uma, mas dessa vez para tirar “taquinho” falso do abdomêm.

Leia também: “Minha vida era cheirar e beber para esquecer”, diz Andressa Urach sobre passado

Ken Humano arrow-options
Reprodução/Instagram

Ken Humano


Em entrevista a revista Quem , o Ken Humano revelou que não gostava mais gda aparência dos gominhos falsos pois já estavam desproporcionais ao corpo.

Leia também: Após conversão, Andressa Urach revela o que a fez cair no pecado

“Tem oito anos que carrego esse abdômen falso . Estava muito feio, desproporcional ao meu corpo. Passava, também, uma imagem muito negativa para o público. As pessoas, hoje em dia, malham bastante e têm uma vida saudável para ter o abdômen natural e o meu era falso. Não estava legal, não combinava com o resto do meu corpo, porque não malho”, declarou ele.

Mas, essa não foi a única decisão tomada por Rodrigo, já que na mesma cirguia irá aproveitar para aumentar volume do bumbum .

Leia mais:  Calendário da Pirelli de 2019 reforça sensualidade como marca registrada

Leia também: “Estou casta há dois anos”, confessa Andressa Urach

“Eu sou muito brasileiro, com muito orgulho, porém nunca tive bumbum brasileiro. Então, fui à Turquia, fiz a lipoaspiração no abdômen, o removi. Fiz lipoaspiração nas costas, e essa gordura toda foi colocada no bumbum. Agora estou com bumbum brasileiro e sem abdômen. Agora estou com o bumbum muito bonito!”, finalizou Ken Humano .

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Instagram proíbe conteúdo que promova a terapia de conversão sexual

Publicado

por

O Instagram proibirá qualquer conteúdo que promova terapia de conversão depois que ativistas pediram que ela impedisse os provedores de anunciar seus serviços online. A plataforma de mídia social informou a decisão à CNN na sexta-feira (10).

A mídia social, de propriedade do Facebook, disse que expandiria suas políticas existentes sobre discurso de ódio em todo o mundo para incluir na política postagens que anunciam ou promovem a prática.

A terapia de conversão ou terapia de reorientação sexual, um processo pseudocientífico que professa mudar a sexualidade de uma pessoa, é amplamente desacreditada e condenada como prejudicial pelas principais associações médicas. Mesmo assim, ela é legal na maior parte do mundo, inclusive nos Estados Unidos e no Reino Unido.

A ação do Instagram segue os apelos dos usuários para remover uma conta usada pelo Core Issues Trust, um serviço de terapia de conversão com sede no Reino Unido.

“Não permitimos ataques contra pessoas com base em orientação sexual ou identidade de gênero e estamos atualizando nossas políticas para proibir a promoção de serviços de terapia de conversão”, afirmou Tara Hopkins, diretora de políticas públicas do Instagram para Europa, Oriente Médio e África, em um comunicado.

Leia mais:  Calendário da Pirelli de 2019 reforça sensualidade como marca registrada

“Removemos o conteúdo violador do perfil @coreissuestrusttv. Estamos sempre revisando nossas políticas e continuaremos a consultar especialistas e pessoas com experiências pessoais para informar nossa abordagem”, acrescentou.

Além disso, a plataforma deixará de recomendar conteúdo relacionado à terapia de conversão, como depoimentos sobre sua eficácia ou postagens com elogio ou apoio à prática, exceto aqueles em um contexto legislativo.

No início deste ano, o Instagram proibiu anúncios pagos desse tipo de serviço.

Terapia de conversão é qualquer tentativa de alterar a orientação sexual ou a identidade de gênero de alguém. Não funciona, e estudos mostram que aqueles que se sujeitam a ela correm um risco maior de depressão e suicídio.

Vários estados dos EUA o proibiram e, em maio, a Alemanha se tornou um dos primeiros países grandes a proibi-la para menores de idade.

No Reino Unido, uma proibição total prometida pela ex-primeira-ministra Theresa May em 2018 ainda não se concretizou e não foi incluída em nenhuma das agendas legislativas do primeiro-ministro Boris Johnson.

O Facebook e o Twitter não responderam imediatamente a perguntas sobre suas políticas.

Leia mais:  Luciano Huck, Claudia Leitte e os famosos que financiaram jatinhos pelo BNDES

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana