conecte-se conosco


Polícia

Juiz nega recurso e Arcanjo pode perder benefício em pena

Publicado

O juiz Geraldo Fidelis, da Vara de Execuções Penais de Cuiabá, negou um recurso do ex-comendador João Arcanjo Ribeiro e manteve a decisão que determinou o novo cálculo de sua pena.

Atualmente, Arcanjo cumpre prisão no regime aberto. A recontagem será realizada nos próximos dias pela Vara e o ex-comendador poderá voltar ao semiaberto. Nesse regime, ele terá que usar tornozeleira eletrônica e cumprir outras restrições.

O novo cálculo foi determinado por Fidelis em dezembro do ano passado após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reestabelecer o júri que condenou Arcanjo a 44 anos e dois meses de prisão por um duplo homicídio e uma tentativa.

O crime aconteceu em 2002. Na ocasião, Rivelino Brunini e seu amigo Fauze Rachid Jaudy foram mortos. Um terceiro homem, Gisleno Fernandes, ficou ferido.

O júri havia sido anulado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso em 2019.

A defesa de Arcanjo entrou com um agravo em execução contra a decisão de recontagem, mas teve o recurso negado.

“As informações trazidas não ensejam qualquer mudança no entendimento deste juízo de instância singela. Assim, mantenho a decisão agravada pelos seus próprios fundamentos”, decidiu o juiz.

Leia mais:  Abertura da 9ª edição dos Jogos da Polícia Civil é nesta quinta-feira

Histórico

Considerado o chefe do crime organizado nas décadas de 80 e 90 em Mato Grosso, o ex-comendador foi condenado por crimes que vão de assassinatos a lavagem de dinheiro e contrabando.

O crime de maior repercussão atribuído a João Arcanjo é a morte do empresário Domingos Sávio Brandão de Lima Júnior, dono do jornal Folha do Estado, em 2002.

Por ser o mandante do crime, Arcanjo foi condenado a 19 anos de prisão.

Ele passou 15 anos preso e deixou a cadeia em fevereiro de 2018.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MidiaNews

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Ladrão invade casa, faz reféns e tenta estuprar jovem

Publicado

por

Um jovem, 19 anos, por invasão de domicílio, tentativa de roubo e tentativa de estupro, no bairro Aurília Salies Curvo, em Várzea Grande.

Os militares foram informados que o suspeito tinha pedido água para dois irmãos que estavam em casa, uma jovem e um adolescente. Aproveitando da situação, ele rendeu as vítimas e as levando para o quarto. Ele ainda tentou violentar a jovem, mas ela resistiu.

Durante a ação criminosa, chegou o padrasto dos jovens que sem perceber o que estava acontecendo foi recepcionado pelo suspeito que vestia uniforme de uma empresa de distribuição de água. Logo que a testemunha entrou na casa, o criminoso fugiu em uma bicicleta levando bijuterias e dinheiro. As vítimas foram encontradas trancadas em um dos quartos.

O padrasto fez o trajeto do suspeito e já no bairro Santa Barbara, encontrou a bicicleta usada na fuga e acionou os policiais.

Em diligência, moradores identificaram a bicicleta e o suspeito e passaram seu endereço. Na residência, o denunciado foi rendido e encontrado em seu quarto o uniforme usado no crime. Questionado sobre os objetos roubados, ele disse que tinha dispensado durante a fuga.

Comentários Facebook
Leia mais:  Operação conjunta cumpre 3 mandados e combate o tráfico de drogas em Jaciara
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana