conecte-se conosco


Polícia

Irmãos acusados de integrar facção criminosa são detidos com armas e munições em Sorriso

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Dois irmãos, um deles menor de idade, foram detidos em poder de armas de fogo e objetos de origem ilícita, na terça-feira (21.05), em ação desencadeada pela Polícia Civil de Sorriso (442 km ao Norte). O suspeito, Vandeillton Gomes da Cruz, 19, foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e munições e receptação. O menor, J.C.M.C., 17, responderá por atos infracionais análogos aos mesmos crimes.

As investigações iniciaram após os policiais da Divisão de Roubos e Furtos da Delegacia de Sorriso receberem informações sobre dois jovens que estavam transportando uma televisão de 60 polegadas, no bairro São Domingos. Imediatamente a equipe de investigadores saiu em diligências, conseguindo localizar os suspeitos já em sua residência.

Em buscas na casa, os policiais encontraram a televisão que deu base à denúncia, duas armas de fogo, sendo uma calibre 38 e outra calibre 32 com numeração raspada, 07 munições calibre 38, 04 munições calibre 32 (03 intactas e uma deflagrada), além de videogame, capacetes, celulares, faca, relógio e R$ 150 em dinheiro.

Leia mais:  “Volta às aulas em segurança” é tema de palestras da PRF em apoio à campanha do Detran-MT

Segundo o delegado André Eduardo Ribeiro, os irmãos possuem passagens anteriores por crimes de tráfico de drogas e eram alvo de investigação da Polícia Civil de Sorriso. “Os suspeitos foram identificados como integrantes de uma facção criminosa e atuam com violência e grave ameaça, sempre em posse de armas de fogo”, disse o delegado.

Diante das evidências, foi lavrado o flagrante contra os irmãos que responderão por posse ilegal de arma de fogo e munições de uso restrito e de uso permitido e por receptação.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Polícia Civil prende autor da morte da companheira em 2018 na Capital

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

O suspeito de assassinar a jovem Vanessa Tito Poquiviqui, 21, ocorrido em 31  de janeiro de 2018, no bairro Três Barras, em Cuiabá, foi preso pela Polícia Civil, na região do Coxipó do Ouro, na capital, na manhã desta quinta-feira (19.09). A vítima  não tinha nenhum registro de violência praticada contra ela anteriormente. 

Maycon  Junior da Silva Dantas, 32, estava com mandado de prisão preventiva, pelo  crime de feminicídio da companheira, expedido pela Segunda Vara de Violência Doméstica e Familiar de Cuiabá.

O suspeito era o último autor de feminicídio do ano de 2018, que estava foragido. No ano passado, em Cuiabá, foram registrados 11 mortes de mulheres, dos quais sete foram enquadrados na lei do feminicídio (13.104/2015), em inquéritos conduzidos pela DHPP.

Em Várzea Grande, foram 10 vitimas femininas mortas, das quais 4 foram tipificadas como feminicídios. Os dados são da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal, da Secretaria de Estado de Segurança Pública, no período de janeiro a dezembro de 2018.

Leia mais:  Policial Civil cria aplicativo de celular que compartilha localização para garantir segurança dos usuários  

O preso foi entregue na Polinter que deve apresentá-lo em audiência de custódia, nesta quinta-feira (19). O inquérito desse crime foi concluído pela DHPP.

A morte

Na ocasião, a vítima foi localizada pela mãe do suspeito, que acionou a Polícia. No local, equipe de plantão da DHPP encontrou a jovem na cama do quarto do casal. O corpo apresentava lesões no rosto, um corte de faca no supercílio e outro corte superficial no queixo. A vítima estava com a blusa levantada, seios amostra e só de calcinha.

A vítima morava há cerca de 1 mês na casa dos pais do namorado, Maikon Junior da Silva Dantas, à época com 30 anos. O suspeito tem quatro passagens, sendo três por violência doméstica, com vítimas diferentes, mas nenhuma contra a jovem morta. A primeira foi registrada em 2009, por lesão corporal, com procedimento realizado pela Delegacia da Mulher de Cuiabá, tendo sido condenado nesse processo e, posteriormente, beneficiado com uso de tornozeleira.

Em 2011 respondeu procedimento na 2ª Delegacia de Polícia do Carumbé, por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, Lei 10826/03.

Leia mais:  Polícia invade escritórios de advogados envolvidos em fraude ambiental em Mato Grosso

A terceira incidência criminal tramitou pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), no crime de lesão corporal e injúria contra uma menor de idade.

A quarta passagem também está inserida na violência doméstica, no crime de lesão corporal. A autuação ocorreu no dia 5 de outubro de 2017, em inquérito na Delegacia da Mulher de Cuiabá.

Legislação

Os assassinatos de mulheres marcados pela condição de gênero passaram a ser enquadrados com a Lei 13.104/2015, que atribuiu punição especial pelo fato do homicídio ser praticado contra mulheres pela condição do sexo feminino. Foi acrescentado o inciso VI (Contra a mulher por razões da condição de sexo feminino) ao  § 2º do art. 121 do Código Penal. No § 2º- considera-se que há “razões de condição de sexo feminino” quando o crime envolve: I – violência doméstica e familiar; II – menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana