conecte-se conosco


Polícia

Investigado por roubos a propriedades rurais em Colíder e Nova Canaã é preso pela PJC

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil prendeu na segunda-feira (22) um homem investigado por comercializar drogas e também participar de diversos assaltos em propriedades rurais localizadas nos municípios de Colíder, Nova Canaã do Norte e Marcelândia.

A captura é decorrente de mandado de prisão preventiva expedido pelo Judiciário, após representação do delegado da Polícia Civil, Ruy Guilherme Peral da Silva, justificada na garantia da ordem pública, de modo a cessar a reiteração criminosa, bem como a resguardar a instrução criminal e aplicação da lei penal.

O suspeito, identificado como Douglas Leite da Silva, possui vasta ficha criminal. Durante as investigações foi constatada também a existência de mandado de prisão preventiva em aberto, originário da Comarca de Marcelândia, em que o criminoso é investigado por tráfico ilícito de drogas e associação para o tráfico.

A prisão do suspeito, reincidente na criminalidade, uniu esforços das delegacias de Colíder e Nova Canaã do Norte, de acordo com o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva.”Os roubos investigados ocorreram em abril deste ano, em Colíder e Nova Canaã do Norte. Nas ocorrências, o criminoso agia com um mesmo modus operandi: durante o dia, amarrava as vítimas e ameaçava voltar”, explica.

Leia mais:  Polícia Civil prende suspeito em Cáceres em posse de veículo roubado em Primavera do Leste

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Delegados de Mato Grosso ganham o maior salário do Brasil

Publicado

Um levantamento realizado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) mostrou que os delegados de Mato Grosso são os que ganham o maior salário da categoria no país. O salário mensal de um delegado da Polícia Civil no estado é de R$ 24,5 mil.

Enquanto o salário dos delegados de Mato Grosso é o maior do país, o vencimento de escrivães e investigadores – as outras carreiras da Polícia Civil-, está bem longe do primeiro lugar.

Para os escrivães, profissionais responsáveis pelo registro de ocorrências e pela documentação das investigações, o salário é de R$ 5,5 mil, o 11º no ranking brasileiro.

Já para os investigadores, policiais que coletam provas sobre os crimes, localizam e interrogam suspeitos e mantém a segurança dos locais de investigação, o vencimento inicial é de R$ 5,5 mil, o 9º maior na comparação com o mesmo cargo em outros estados.

Dados da Polícia Civil mostram que no quarto trimestre de 2020 havia 400 cargos para delegados, porém, 158 estavam vagos. Já para escrivão de polícia, são 1,2 mil vagas, mas só 2.056 ocupados. E para investigador são 4 mil vagas, com 1.944 cargos vagos.

Leia mais:  Autor de roubo a residência tem prisão cumprida após ser identificado pela Polícia Civil

Por ser uma carreira típica de Estado, ou seja, que não podem ser substituída por profissional contratado, os cargos da Polícia Civil só podem ser ocupados através de concurso público. No entanto, para conseguir benefícios com o governo federal durante a crise, o Estado se comprometeu a não criar novos gastos até 2022, o que incluem os concursos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana