conecte-se conosco


Polícia

Investigações levam à prisão 46 suspeitos de roubos, furtos e tráfico em Rondonópolis

Publicado

Prisões ocorreram no mês de janeiro; entre as apreensões, os policiais recuperaram produtos roubados ou furtados e R$ 15 mil em dinheiro, principalmente do tráfico.
No primeiro mês deste ano, a Polícia Civil de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) do município, levou à prisão 46 pessoas suspeitas de ações criminosas na região. Foram 34 prisões em flagrantes, quatro apreensões de menores por atos infracionais e oito prisões por cumprimento de mandados judiciais.

As ações policiais são decorrentes de investigações realizadas pela Derf de Rondonópolis, diariamente, visando combater crimes de roubo, furto, tráfico de drogas, estelionato, receptação, além de desarticular associações criminosas atuantes na cidade.

No decorrer do mês de janeiro, os policiais civis da Especializada apreenderam 10 veículos, mais de R$ 15,5 mil em dinheiro proveniente de crimes, localizaram 2 armas de fogo e 29 munições, além de substâncias entorpecentes como maconha e cocaína.

Em uma das investigações realizadas, os policiais civis chegaram à identificação e prisão de quatro envolvidos no roubo a uma residência ocorrido no final de dezembro.

Leia mais:  Polícia Civil prende casal de receptadores e recupera televisores furtados de depósito na Capital

Outra investigação resultou na recuperação de diversos objetos comprados por um estelionatário, entre ferramentas, equipamentos veiculares, impressora, bebidas alcoólicas, televisores, aparelhos celulares, videogame, parafusadeira, máquina para corte de cabelo, relógios, além da apreensão de mais de R$ 5,1 mil em dinheiro.

As diligências iniciaram logo após uma vítima procurar a Derf relatando que o seu cartão de crédito havia sido utilizado por uma pessoa que ele não conhecia e fez compras em lojas da cidade, entre elas uma de eletrodomésticos de rede nacional. Um suspeito foi preso e assumiu o crime, revelando em detalhes como agia nas compras pela internet e como tinha acesso aos números dos cartões, senhas e documentos das vítimas.

Conforme o delegado titular da Derf-Rondonópolis, Santiago Rozendo Sanches e Silva, a produtividade apresentada é reflexo do empenho e comprometimento de todos os servidores da unidade, principalmente investigadores e escrivães, os quais não medem esforços nas diligências de combate à criminalidade e violência.

“Iniciamos o ano dando uma resposta estatal firme aos delitos praticados na cidade, chegando aos responsáveis. O nosso compromisso além de elucidar ilícitos penais com identificação, prisão e indiciamentos de criminosos, é proporcionar ao cidadão a sensação de segurança e paz social”, destacou Santiago Rozendo Sanches e Silva.

Leia mais:  Autor de roubo de gados em Acorizal é preso pela Polícia Civil em Cuiabá

Durante janeiro, a Derf-Rondonópolis também realizou a incineração de meia tonelada de drogas, resultado dos trabalhos deflagrados pelas forças policiais nos últimos seis meses de 2020.

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Mulher e detida por venda falsa de “galinhada beneficente”

Publicado

Uma mulher que estava aplicando golpes em Nova Xavantina, a 645 km de Cuiabá, foi presa pela Polícia Civil nessa sexta-feira (5), durante investigação para apurar denúncia sobre a venda falsa de “galinhada beneficente”, que seria realizado para ajudar uma suposta criança com câncer.

A suspeita de 38 anos e com passagens anteriores pelo mesmo crime foi autuada em flagrante pela prática de estelionato.

As diligências iniciaram logo após a proprietária de um buffet procurar a delegacia para informar que uma pessoa estava usando o nome do seu estabelecimento comercial como local do evento beneficente.

De acordo com a vítima, a pessoa estava vendendo uma galinhada solidária que aconteceria no dia 22 de março em prol do tratamento de uma criança com câncer, porém o seu espaço comercial não havia sido alugado para o respectivo evento, que também não poderia ser realizado em razão da proibição de aglomeração por conta da pandemia causada pela Covid-19.

Ela informou também que a pessoa teria confeccionado os convites e vendido 300 ingressos, além de ter procurado a gráfica para produzir mais 300 ingressos, os quais estavam sendo vendidos pelo valor de R$ 15 cada.

Leia mais:  Autor de roubo de gados em Acorizal é preso pela Polícia Civil em Cuiabá

Com base nas informações, os policiais civis iniciaram as diligências para esclarecimento dos fatos, quando localizaram a suspeita na região central da cidade. Ela foi conduzida à Delegacia de Nova Xavantina para prestar esclarecimentos, sendo constatadas as passagens anteriores pelo crime de estelionato.

O mesmo tipo de golpe foi praticado pela suspeita no ano de 2018, no município de Tesouro, quando ela vendia rifas que dizia ser beneficentes, porém eram falsas.

Diante das evidências de prática criminosa, a mulher foi autuada em flagrante pelo crime de estelionato. Após a confecção dos autos, foi arbitrada a fiança no valor de R$ 3 mil, em razão da gravidade e prejuízo coletivo causado pela suspeita.

No entanto, a presa não efetuou o pagamento da fiança alegando que não tinha condições financeiras, sendo então transferida para a Cadeia Pública de Nova Xavantina, à disposição da Justiça.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana