conecte-se conosco


Polícia

Integrantes de associação criminosa são presos com arma e R$ 4 mil em Rondonópolis

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Duas pessoas acusadas de integrar de uma organização criminosa foram presas em flagrante, na tarde de quarta-feira (13.03), pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis (212 km ao Sul). Além da prisão dos suspeitos, a ação resultou na apreensão de uma arma de fogo e de grande quantidade de dinheiro pertencente ao grupo criminoso.

O casal Elias Barbosa de Arruda, 33, conhecido como “Maxixe”, e Istefania Aparecida Mota, 27, ambos com antecedentes criminais, foram autuados em flagrante pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo e munições e associação criminosa. Além da prisão em flagrante, Elias estava com mandado de prisão decretado pela Comarca de Primavera do Leste, o qual foi devidamente cumprido.

O suspeito conhecido como “Maxixe”, era alvo de investigação da Derf, uma vez que era apontado como importante membro de uma facção. Segundo informações, ele era responsável pela contabilidade e recebimento das mensalidades, referentes aos pagamentos realizados por comparsas, e por comércios que pagam o valor para não ter “problemas” com a criminalidade.

Leia mais:  Polícia Civil prende jovem que atuava em roubos em via pública em Várzea Grande

Durante diligências, foi descoberto que o suspeito comercializava “cremosinho” em uma residência no bairro Ana Carla II, como forma de encobrir sua atuação no crime. Após levantamento do endereço do suspeito, os policiais civis foram até a casa onde encontraram Elias e sua companheira Istefania.

No local, foi apreendido mais de R$ 4 mil em dinheiro, cadernetas e agenda com anotações, uma arma de fogo, além de duas motocicletas (Titan de cor vermelha e Honda Biz de cor preta) e um veículo Ford Fiesta.

Em checagem via sistema, foi constatado que Elias Barbosa possuía passagens por tráfico de drogas, bem como é réu em um processo da Comarca de Primavera do Leste com pedido de prisão preventiva em aberto, por envolvimento com organização criminosa. A companheira identificada como Istefania também tem passagens pela polícia por tráfico de drogas

Diante dos fatos, os dois foram conduzidos à Derf de Rondonópolis, interrogados e autuados em flagrante pelos crimes posse ilegal de arma de fogo e associação criminosa.

Leia mais:  Quadrilha explode caixas eletrônicos do Banco do Brasil em MT

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Idoso acusado de aplicar golpes em fraudes de cheques é preso em Barra do Garças

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Um idoso acusado de aplicar golpes em diversos Estados do País foi preso em flagrante pela Polícia Judiciária Civil, na terça-feira (20.03), em ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Barra do Garças (509 km a Leste). José Oliveira da Silva, 67, foi surpreendido no interior de uma agência bancária da cidade, no momento em que tentava depositar um cheque fraudado no valor de R$ 42.400.

Segundo investigações da Derf Barra do Garças, o suspeito foi preso por diversas vezes pelo crime de estelionato praticados nos Estados do Maranhão, Goiás e Distrito Federal, sendo contumaz na prática delituosa.

Após suspeitar que o cheque era fraudado, o banco acionou os policiais da Derf Barra do Garças, os quais trabalham de forma integrada com as instituições financeiras. O emitente do título creditício disse que o cheque havia sido emitido no valor de R$ 250,00 e foi fraudado, possivelmente utilizando algum tipo de lavagem sofisticada e depois foi preenchido novamente.

Leia mais:  Polícia Civil prende envolvido em chacina decorrente de guerra entre facções

Durante as diligências no local, os investigadores da Derf perceberam a presença de três pessoas do lado de fora da agência, as quais pertenciam a quadrilha do suspeito, e que ao perceberem a presença dos policiais conseguiram fugir. Segundo o delegado, Wilyney Santana Borges Leal, a quadrilha do suspeito é oriunda do Estado de Goiás e Distrito Federal e geralmente age em dois momentos distintos.

Primeiro os integrantes abordam pessoas que estão nas filas das agências bancárias para trocar cheques e acabam trocando o título, ficando assim com a folha. Em um segundo momento, eles fazem a lavagem do preenchimento, alterando o preenchimento para um valor bem maior daquele que constava do cheque.

“No ano de 2011, o suspeito foi preso na cidade de Imperatriz (MA), quando tentava depositar um cheque clonado de uma prefeitura do Estado. Na época à falsificação foi considerada pela polícia como muito sofisticada e quase perfeita”, destacou o delegado

O suspeito foi conduzido a delegacia, onde após ser interrogado, foi autuado em flagrante por estelionato, e em seguida encaminhado para audiência de custódia para deliberação do Judiciário.

Leia mais:  Polícias Civil e Militar recuperam carga de botijões roubada em Várzea Grande

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana