conecte-se conosco


Mato Grosso

Incêndios no Pantanal em MT prejudicaram milhares de répteis, diz pesquisadora

Publicado

Pesquisadores estão catalogando animais atingidos pelo fogo. Já foram encontrados roedores e serpentes com vida. Mas a grande maioria morreu.

Os incêndios no Pantanal em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul prejudicaram milhares de répteis. É o que dizem pesquisadores.

Caíram chuvas esparsas no bioma, mas ainda há focos de incêndio sendo combatidos.

O Pantanal é a maior planície inundável do planeta. Um dos animais mais resistentes desse ambiente é o jacaré.

Dezenas de jacarés mortos em busca de água e alimento chocam até mesmo quem já está há meses fazendo regastes no pantanal.

Voluntários ainda estão ajudando os animais com alimento e com água.

Pesquisadores estão catalogando animais atingidos pelo fogo. Já foram encontrados roedores e serpentes com vida. Mas a grande maioria morreu.

“Nós temos visto que tanto no Pantanal Norte quanto em Mato Grosso do Sul o grupo das serpentes é o mais atingido. Poderíamos falar na casa de milhões de serpentes, especialmente de duas espécies de serpentes aquáticas”, disse a pesquisadora da Universidade Federal de Mato Grosso, Cristiane Strussmann

Leia mais:  MTI troca experiências com Serpro sobre adequação à nova lei

Além da falta de chuva, o calor voltou com força nesta semana, o que facilita o surgimento de novos focos de queimadas. Segundo estimativa do Ibama e da UFRJ, o fogo já destruiu mais de 2,2 milhões de hectares no Pantanal em Mato Grosso.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Igrejas e templos religiosos de Mato Grosso estão com o horário de funcionamento limitado

Publicado

Igrejas e templos religiosos de Mato Grosso estão com o horário de funcionamento limitado, por conta do novo decreto governamental com medidas de contenção à Covid-19. As celebrações e outras atividades nesses locais só podem ocorrer entre às 5h da manhã e às 19h, de segunda a sexta-feira. Nos finais de semana, o horário permitido é entre 5h e 12h.

Além disso, os líderes de cada segmento religioso devem ficar atentos às regras que limitam a quantidade de pessoas que podem participar de cada reunião. Conforme o decreto assinado pelo governador Mauro Mendes (DEM),  são permitidas, no máximo, 50 pessoas por encontro, respeitando sempre a ocupação de apenas 30% da capacidade do local.

Os cristãos católicos, neste momento, vivem o importante período religioso que antecede a Páscoa, conhecido como quaresma, que rememora os dias em Jesus ficou no deserto, jejuando e orando e foi tentado pelo diabo antes de iniciar sua vida como líder religioso.

De acordo com o censo de 2010, os católicos representam a maior população religiosa em Mato Grosso, com quase 2 milhões de fiéis. Em seguida vem os evangélicos, com quase 800 mil.

Leia mais:  Polícia Civil deflagra operação para prender suspeitos de matar empresário na Capital

Apesar de o decreto ter ganhado respaldo jurídico do Tribunal de Justiça (TJ), devendo ser seguido em todos os municípios do estado, diversas lideranças têm pedido a flexibilização das normas para garantir a normalidade no funcionamento das atividades religiosas.

Na Câmara Municipal de Cuiabá, tramita um projeto de lei apresentado pelo vereador Eduardo Magalhães (Republicanos), que prevê a inclusão das igrejas e templos de qualquer denominação religiosa entre as atividades essenciais.

“As igrejas e templos realizam trabalhos de voluntariado na comunidade dando amparo a pessoas normalmente de baixa renda, incluindo aí população carcerária e indivíduos em situação de vulnerabilidade. Além da evangelização, as denominações religiosas mobilizam-se para auxílio de pessoas atingidas pela crise econômica ora em curso em função da pandemia da Covid 19”, argumenta o parlamentar.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana