conecte-se conosco


TCE MT

Idealizada no Planejamento Estratégico, Biblioteca de Juína recebe prêmios e se torna referência para o país

Publicado

 PRÊMIO
 A biblioteca é reconhecida por contribuir com avanço do programa de desenvolvimento da ONU e transformação social de suas comunidades

A Biblioteca Municipal de Juína é finalista do Prêmio MuniCiência – Municípios Inovadores, ciclo 2019-2020, realizado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) e a União Europeia. No início de fevereiro deste ano, a Prefeitura Municipal de Juína recebeu a equipe técnica da CNM em um evento realizado na Casa da Cultura. A equipe foi conferir in loco as atividades do Programa “Arte, Leitura e Cultura: uma bela mistura!” e irá produzir um guia de reaplicação da biblioteca, que será disponibilizado para os municípios de todo Brasil, em versões online e impressa.

 CASE DE SUCESSO
 Programa da Biblioteca de Juína é novamente selecionado para prêmio nacional

No ano passado, a Biblioteca Municipal de Juína alcançou fama internacional. No dia 5 de agosto, o programa foi apresentado em São Paulo como uma das 15 melhores práticas de Bibliotecas Públicas da América Latina. O sucesso da Biblioteca Municipal de Juína é resultado do Planejamento Estratégico do município, produzido e desenvolvido desde 2012, por meio do Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI) do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT). Ao aderir ao programa, o município estabeleceu uma série de metas e ações para diversas áreas, entre elas o Programa “Arte, Leitura e Cultura, uma Bela Mistura!”, na área cultural.

Em 2013, a Secretaria de Articulação Institucional e a Secretaria de Apoio às Unidades Gestoras do TCE realizaram oficinas para que os conselhos municipais funcionassem efetivamente como instrumentos de controle social e participação democrática. A partir daí, a revitalização da biblioteca de Juína passou a ser meta do Planejamento Estratégico e diversos segmentos da comunidade se uniram para criar projetos, entre eles o “Amigo do Livro e da Leitura”, em parceria com o Poder Judiciário e as oficinas na aldeia Pé de Mutum, do povo Rikbatsa, para professores indígenas.

  BIBLIOTECA ITINERANTE
  Entre as iniciativas desenvolvidas,destaca-se as atividades integradas, como contação de histórias, oficinas artísticas e exibição de filmes

Foram doados para a comunidade mais de três mil livros e em três anos a biblioteca passou de 600 usuários para oito mil pessoas que buscam a leitura como entretenimento.

Leia mais:  Suspenso pregão para compra de combustível em Rosário Oeste
 TRANSFORMAÇÃO
 O projeto atendende também as populações ribeirinhas e comunidades indígenas

Quando o Planejamento Estratégico e a participação cidadã são utilizados no cotidiano da gestão pública como ferramentas decisórias para otimizar recursos e oportunidades, amplia-se a visão e o espaço, os atores e os parceiros do processo. É o que aconteceu em Juína, conforme relata a secretária de Articulação Institucional e de desenvolvimento da Cidadãnia do TCE, Cassyra Vuolo.

Abre-se as portas para a inovação e para o futuro em sintonia com a realidade local. A ação estratégica de repensar o significado de uma biblioteca pública para cidade é um dos “cases” de sucesso de Juína, que compreendeu a importância do saber, do fazer e do buscar qualidade na gestão dos recursos”, diz Vuolo.

O trabalho da biblioteca fortaleceu o sentimento dos juinenses em relação à literatura

As propostas classificadas para o Prêmio MuniCiência – Municípios Inovadores, ciclo 2019-2020 foram escolhidas após análise criteriosa da Comissão Técnica Avaliadora e do Conselho Político da CNM. No total, esta edição recebeu 235 inscrições homologadas – prefeituras e consórcios municipais concorrem ao prêmio. Agora, os selecionados têm de 12 de agosto a 2 de setembro para complementar informações e evidências, além de enviar um depoimento do prefeito em um vídeo de até dois minutos.

Em etapa futura, a comissão vai selecionar dez iniciativas para a reta final do MuniCiência. Cada uma delas receberá a visita técnica da CNM para elaboração do Guia de Reaplicação, que terá versões impressa e online. As dez finalistas seguirão ainda para votação popular, pela internet, no período de 7 de outubro a 31 de março, que definirá as cinco vencedoras. Os gestores das primeiras colocadas participarão de um seminário internacional para troca de experiências. O resultado final será anunciado na XXIII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.

Planejamento

 ESTRUTURA
 A biblioteca passou por processo de revitalização, atualmente é composta pelo salão de acervo, pelas salas infantil, juvenil e de estudo e varanda

A Biblioteca de Juína se filiou ao Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Mato Grosso (SEBPMT) e, com esse suporte, realizou a sua primeira revitalização, que deu início a uma grande transformação, apesar do curto espaço de tempo. Basta lembrar que, em janeiro de 2017, a Biblioteca Municipal estava com as portas praticamente fechadas, com apenas 700 usuários cadastrados. Em seis meses já havia quase cinco mil usuários inscritos e hoje já são mais de sete mil.

Leia mais:  Responsáveis são multados por falhas em licitação de gerenciamento de resíduos

Cassyra Vuolo
Secretária de Articulação Institucional

Abre-se as portas para a inovação e para o futuro em sintonia com a realidade local. A ação estratégica de repensar o significado de uma biblioteca pública para cidade é um dos “cases” de sucesso de Juína, que compreendeu a importância do saber, do fazer e do buscar qualidade na gestão dos recursos”


Além da transformação física, a Biblioteca Municipal de Juína também passou a acolher os movimentos sociais e a levar o programa de arte e leitura a todos os eventos do município, tanto na zona urbana quanto na zona rural. E mais: também chegou aos rios e à floresta, atendendo populações ribeirinhas e comunidades indígenas.

Por desenvolver um trabalho cultural e ao mesmo tempo social, a Biblioteca de Juína vem conquistando espaço no cenário nacional e internacional. Ficou em segundo lugar em uma premiação por atender a Agenda 2030 da ONU, um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade, que também busca fortalecer a paz universal com mais liberdade.

Acesse a página da biblioteca no Facebook e conheça o projeto

Em 2018, a Biblioteca Municipal de Juína “Professora Maria Santana” conquistou o segundo lugar no concurso nacional “Conecta Biblioteca”, que premia as dez bibliotecas públicas brasileiras que mais contribuem com o avanço dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU e com a transformação social de suas comunidades.

Este ano, o modelo de biblioteca municipal voltado para as aldeias indígenas ganha um nome especial: BibliOca. A extensão do programa “Arte, Leitura e Cultura: uma bela mistura!” para as comunidades indígenas estava previsto no Planejamento Estratégico do município desde 2017. A região foi primeiramente habitada por povos das nações cinta-larga, rikbatsa e ena-wenê-nawê. O território do município de Juína abriga duas enormes áreas indígenas e a população indígena é de mais de 1.008 pessoas.

Comentários Facebook
publicidade

Política

TCE envia à Assembleia projeto para pagar verba indenizatória de R$ 35 mil a cada conselheiro

Publicado

por

Por G1 MT

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) enviou à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) um projeto de lei que regulamenta a verba indenizatória aos conselheiros do órgão. O valor, que antes de R$ 23 mil, pode subir para R$ 35 mil, se o projeto for aprovado.

Em nota, o TCE informou que o objetivo do projeto é ‘regulamentar à luz da lei’ a instituição da verba indenizatória para os membros do órgão como compensação pelo não recebimento de diárias, passagens, transporte e demais gastos no exercício das atividades relativas à função.

A verba está suspensa desde novembro de 2019 por determinação judicial. O juiz Bruno D’Oliveira Marques, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, determinou a suspensão do pagamento da verba de natureza indenizatória dos conselheiros, conselheiros substitutos e procuradores do TCE, com base em um pedido do Observatório Social.

Leia mais:  TCE ensina gestor público a usar o Radar, que pesquisa preço de agulha a avião

O Observatório é composto por cidadãos com o intuito de monitorar os gastos públicos – se manifestou contrário ao projeto.

“O problema é que a verba indenizatória tem um valor muito alto. Serão R$ 35 mil sem prestação de contas. Não tem como o conselheiro provar e demonstrar que está usando [a verba] para o trabalho dele. Acaba virando uma remuneração disfarçada, que tem que obedecer o teto e pagar imposto”, declarou ao G1 a presidente do Observatório Social, Elda Valim Fim.O cargo de conselheiro é vitalício e tem diversos benefícios. Além do salário de R$ 39,2 mil, cada um dos sete conselheiros recebe gratificação de R$ 3,2 mil, auxílio-moradia no valor de R$ 4,3 mil, auxílio livro no valor de R$ 39,2 mil, duas vezes por ano, e verba indenizatória de R$ 23 mil.

“Se é uma verba indenizatória, tem que prestar contas e não pode exceder. Não será usado no trabalho e para a finalidade que é custear a atividade do controle externo”, finalizou Valim.
De acordo com o projeto de lei encaminhado à ALMT, tem direito a verba indenizatória, os conselheiros, os procuradores de contas e os auditores substitutos de conselheiro.

Leia mais:  São Pedro da Cipa tem parecer favorável à aprovação das contas de governo

Contudo, o projeto só deve começar a ser analisado pelos deputados na próxima semana, porque eles estão de recesso de Carnaval.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana