conecte-se conosco


Agricultura

HF BRASIL/CEPEA: Pequenos mercados prometem ganhar mais espaço no BR

Publicado

Clique aqui e baixe o release completo em word. 

 

Cepea, 8/04/2019 – Na edição de “Pequenos Mercados” deste ano, a equipe da revista Hortiftruti Brasil, publicação do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, levantou os principais desafios e oportunidades de seis culturas ainda não acompanhadas regularmente pelo projeto Hortifruti/Cepea. São elas: ameixa, berinjela, brócolis, couve-flor, mirtilo e pitaia (ou pitaya). Essas frutas e hortaliças, apesar de fazerem parte dos pequenos mercados, prometem ganhar ainda mais espaço no Brasil nos próximos anos.

 

Segundo pesquisadores da equipe, as frutas selecionadas para esta edição chamam atenção pelo alto valor agregado e também pelos benefícios nutricionais e sabor, além de também serem foco de consumidores mais ávidos e conscientes por saudabilidade. No grupo das hortaliças, os destaques da revista deste mês foram as mais versáteis na culinária e as queridinhas dos adeptos a refeições à base de vegetais.

 

Pesquisadores alertam, que, apesar de serem diversas as oportunidades, muitos são os desafios para expansão do mercado desses produtos e para a manutenção da rentabilidade. Todos estes cultivos esbarram na dificuldade de acesso a conteúdos técnicos, agronômicos e econômicos. A falta de insumos registrados, principalmente para o controle de pragas, também é um forte entrave à produção. Para mirtilo e ameixa, além dos desafios domésticos à produção, desenvolver uma logística de cadeia de frio e vencer a concorrência com as frutas importadas é outra dificuldade. É preciso, ainda, ampliar o processamento dos HF’s destacados nesta edição.

Leia mais:  ALGODÃO/RETRO 2018: Indicador se mantém em patamar elevado ao longo de 2018

 

FÓRUM – O entrevistado da edição de abril é Leonardo Miyao, diretor comercial da central do Rio de Janeiro da rede Hortifruti. Miyao indica que há uma grande oportunidade de incrementar as vendas e consumo no Brasil de pequenos mercados.

 

“PEQUENOS MERCADOS” – A revista Hortiftruti Brasil recebe muitos pedidos de ampliação do número de frutas e hortaliças analisadas. Diante disso, nos últimos anos, a equipe tem produzido uma edição dedicada aos hortifrútis que ainda não fazem parte do acompanhamento diário, a chamada “Pequenos Mercados”. Somando-se todas as edições em que “Pequenos Mercados” foram abordados aos 13 produtos já acompanhados pelo Hortifruti/Cepea, pode-se dizer que 85% do volume total de frutas e hortaliças comercializadas nas Centrais de Abastecimento nacionais (média entre 2016 e 2018) estiveram nas páginas da HF Brasil.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Outras informações sobre o mercado de hortifrúti aqui e por meio da Comunicação do Cepea, com a pesquisadora Margarete Boteon: (19) 3429 8836 / 8837 e [email protected]

Leia mais:  Propriedade rural elimina erosões e reduz período de seca com o uso de plantio direto

Comentários Facebook
publicidade

Agricultura

Portaria libera uso de agrotóxicos para combater nuvem de gafanhotos

Publicado

por

O Ministério da Agricultura autorizou, em caráter emergencial, o uso de determinados agrotóxicos para o controle da praga de gafanhotos que ameaça as colheitas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Pela portaria publicada nesta terça-feira (30), o uso de inseticidas biológicos, à base de fungos e bactérias, e outros produtos podem ser usados no caso de surto comprovado da praga de gafanhotos. Entre os princípios ativos autorizados em caráter temporário, estão o acefato ou organofosforato, a cipermetrina, deltametrina, melationa, entre outros.

Os responsáveis pelo registro dos produtos ficam desobrigados de modificar a bula para o uso desses inseticidas. A portaria do Ministério da Agricultura ainda determina que o plano para o controle da praga deve ser estabelecido pelo Órgão de Defesa Agropecuária de cada estado a partir de procedimentos gerais determinados pela Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério.

 

Os órgãos estaduais devem apresentar ainda a instância federal do setor relatórios trimestrais com todas as ações realizadas durante o período emergencial, incluindo a quantidade de agrotóxico usado nas plantações.

Leia mais:  Projeto Amazônia 4.0 sugere utilização da tecnologia para exploração sustentável da biodiversidade

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana