conecte-se conosco


Entretenimento

HBO faz esquenta de “True Detective” com maratona de documentários

Publicado

Neste segunda-feira (07), uma maratona da HBO apresentará alguns dos crimes mais famosos da história com oito produções do canal.  A sequência de documentários servirá como um aquecimento para a chegada da terceira temporada da série ” True Detective
“.

Leia também: HBO aposta no hype em 2019 com “Game of Thrones”, “Watchmen” e “Big Little Lies”


HBO prepara maratona para esquenta de
Divulgação

HBO prepara maratona para esquenta de “True Detective”

Os documentários da maratona da HBO
  começam com  “America Undercover – Paradiset Lost: child Murders At Robin Hills”, que fala sobre o julgamento de Jessie Misskelley Jr., Damien Echols e Jason Baldwin – três jovens acusados do assassinato e mutilação de três crianças pré-adolescentes, em 1993. Depois será a vez de “America Undercover – Paradise Lost: Revelations, a segunda parte da trilogia, que revisita a história cinco anos após a sentença.

“America Undercover – Paradise Lost 3: Purgatory”, que mostra a conclusão da trilogia também será exbida. Em seguida, será a vez de “Valentine”, documentário que investiga o assassinato de um jovem que começou a explorar sua identidade sexual, revelando os motivos por trás do crime horrível e, além disso, narrando suas complexas consequências.

Leia mais:  Atriz afirma que Tom Cruise punia membros da Igreja da Cientologia

Depois, será a vez de “The Cheshire Murders”” mostrar acontecimentos de  23 de julho de 2007, quando dois ex-condenados assassinaram brutalmente uma família em Cheshire, seguido por “Beware The Slenderman”, que mostra um olhar sobre o terrível caso de duas meninas de 12 anos, em Wisconsin, que esfaquearam uma colega 19 vezes em uma tentativa de homenagear Slenderman, um monstro fictício da internet. 

Por fim, “Mommy Dead & Dearest” e “Thought Crimes: The Case of The Cannibal Cop” fecham a maratona antes de “True Detective” do canal com suas histórias.

“Dragon Ball Super Broly” bate recorde



Divlugação

“Dragon Ball Super Broly” é sucesso nas bilheterias

“Dragon Ball Super Broly” chegou aos cinemas brasileiros há três dias e já chegou quebrando recordes. Em sua estreia, o longa baseado na célebre série “Dragon Ball Super”, bateu recorde de bilheteria no Brasil com mais de 106 mil ingressos vendidos e R$ 1.618,451 arrecadados.

Leia também: Vivendo auge da internacionalização, fenômeno do K-Pop Busters chega ao Brasil

Leia mais:  Geisy Arruda é detonada por não saber matemática básica: “Nem lembro como faz”

Com isso, o filme teve o maior dia de abertura da franquia Dragon Ball no Brasil, se tornando o maior filme japonês da história no país. O longa segue em cartaz em grande parte do território nacional. 

“Encontros Provocadores”


2019 Começa com Provocações no Sesc Ipiranga
Divulgação

2019 Começa com Provocações no Sesc Ipiranga

Entre os dias 12 de janeiro e 09 de março o Sesc Ipiranga recebe os Encontros Provocadores, a atividade, que é parte da programação da exposição “Rigor e Caos – Antônio Abujamra”, propõe discutir o papel provocador dos comunicadores na atualidade. Os bate-papos focam as ações dos convidados em redes sociais, mídias tradicionais e na vida pública, para entender os processos de criação e difusão de conteúdos e seus desdobramentos e impactos na sociedade.

Leia também:  HBO
bota banca e garante maior painel de “Game of Thrones” na CCXP 2018

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Bruna Marquezine promove festança para comemorar inauguração da nova casa

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Geisy Arruda é detonada por não saber matemática básica: “Nem lembro como faz”

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana