conecte-se conosco


Cidades

Governo zera imposto de importação da soja e do milho

Publicado

Maior exportador mundial de soja, o Brasil decidiu suspender a cobrança de impostos de importação do grão, bem como do farelo e do óleo de soja, até 15 de janeiro de 2021. A decisão da Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia, se aplica também à importação de milho, cuja alíquota de importação será zerada até 31 de março do próximo ano.

As medidas temporárias foram foram aprovadas ontem (16), durante reunião do Comitê Executivo de Gestão – órgão da Camex responsável por, entre outras coisas, estabelecer o percentual ou valor aplicado no cálculo de um tributo e formular diretrizes da política tarifária na importação e na exportação.

A proposta de reduzir as alíquotas da soja partiu do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, enquanto o Ministério da Economia propôs à Camex que zerasse o tributo cobrado das importações de milho como forma de conter a alta de preços dos alimentos.

No fim de setembro, quando teve início o plantio da safra de soja para 2020/2021, a Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) estimou que a área semeada com a principal commoditie brasileira deve aumentar 3,8% em comparação ao ciclo 2019/2020, e que a produção crescerá 3,4% relação ao período anterior, podendo superar 129 milhões de toneladas.

Leia mais:  Sine oferece 50 vagas para vendedor em quadro com 103 postos de emprego; confira

De acordo com a Confederação Nacional da Agricultura (CNA), a soja em grãos, o farelo de soja e o milho estão entre os cinco principais produtos exportados pelo Brasil durante o mês de setembro, junto com o açúcar de cana em bruto e a carne bovina in natura. Somados, os cinco produtos representam mais da metade (55,4%) de toda a exportação nacional mensal – que foi 4,8% superior ao resultado do mesmo mês de 2019. Além disso, a soja em grãos ocupa o topo do ranking dos produtos exportados que o país vendeu para outras nações entre janeiro e setembro, com um acréscimo de US$ 5,9 bi em relação ao período anterior, o que representa um ganho da ordem de quase 28%.

Arroz

No começo de setembro, o governo já havia adotado medida semelhante em relação ao arroz em casca e beneficiado, cujo imposto de importação foi zerado até 31 de dezembro deste ano. Na ocasião, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que a medida era necessária para tentar conter a alta do preço do produto e evitar um eventual desabastecimento.

Leia mais:  Fiscalização de veículos pesados na área central é reforçada pela Semob

“As medidas que podiam ser tomadas, foram tomadas, para fazer a estabilidade e o equilíbrio para esse produto”, disse a ministra em um vídeo publicado em suas redes sociais. “O Brasil abriu mão, tirou a alíquota de importação, para que o produto [arroz] de fora pudesse entrar e trazer um equilíbrio para os preços. Abrimos somente uma cota, porque não temos necessidade de muito arroz, mas isso é uma cota de reserva, para que possamos ter a tranquilidade de que o preço vai voltar, vai ser equilibrado, e que o produto continuará na gôndola para todos os brasileiros”, disse Tereza Cristina, à época.

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Servidores do Estado e Prefeitura tomam ruas de Cuiabá em apoio a Emanuel

Publicado

Carreta partiu do Centro Político Administrativo e seguiu até o Porto com cerca de 2 mil carros, segundo organizadores

O Centro Político Administrativo, sede dos órgãos estaduais de Mato Grosso, foi tomado nesta manhã de sexta-feira (30) por centenas veículos de servidores estaduais e municipais, que promoveram carreata em apoio à reeleição do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB).

O movimento de apoio dos servidores chamou a atenção pelo fato do governador Mauro Mendes (DEM) apoiar a candidatura de um dos principais adversários de Emanuel, o ex-prefeito Roberto França (Patriota), que busca o terceiro mandato.

Puxado por um trio e som, o movimento iniciou percorrendo a região do CPA, e seguiu para a Avenida Miguel Sutil e vai até a região do Porto, percorrendo a cidade de um lado ao outro.

Os servidores estaduais e municipais estão de folga nesta sexta-feira (30) devido aos decretos do Estado e do Município que adiaram o ponto facultativo de quarta-feira (28), referente ao Dia do Servidor Público, para esta sexta.

A duas semanas da eleição, que ocorre no próximo dia 15 de novembro, as campanhas dos oito postulantes ao comando do Palácio Alencastro devem ficar mais acirradas. Três candidatos aparecem liderando as pesquisas: o prefeito Emanuel, Roberto França e o vereador Abílio.

Leia mais:  Sine oferece 50 vagas para vendedor em quadro com 103 postos de emprego; confira

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana