conecte-se conosco


Economia

Governo publica calendário da 2ª parcela do Auxílio Emergencial

Publicado

Pagamentos, que estão mais de 2 semanas atrasados, começam a partir de segunda-feira (18) e seguem até 13 de junho. Governo também alterou recebimento para quem indicou conta já existente, e restringiu uso da poupança digital da Caixa.

O calendário do pagamento da 2ª parcela do Auxílio Emergencial foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (15). O cronograma começa a partir de segunda-feira (18) e seguirá até 13 de junho. O calendário da terceira parcela, que estava prevista para maio, continua sem definição.

O calendário da segunda parcela também vale apenas para quem recebeu a primeira parcela até 30 de abril. O governo não informou quando vai pagar a segunda parcela para quem receber a primeira depois desta data.

Mudanças no recebimento

A portaria que definiu o calendário também alterou a forma de recebimento dos recursos pelos dos trabalhadores: a segunda parcela será depositada em poupança digital na Caixa para todos.

Esses recursos vão poder ser usados, inicialmente, apenas digitalmente (para pagamentos de contas, boletos e compras por meio de cartão de débito virtual)

A partir de 30 de maio (veja o calendário 3 abaixo), a Caixa começa a liberar saques e transferências a partir dessas contas. Para os trabalhadores que receberam a primeira parcela em outra conta, o dinheiro que ainda estiver na poupança digital será transferido automaticamente nas datas desse mesmo calendário.

Leia mais:  Segurança na fronteira irá receber novos investimentos

Mudanças no uso da poupança social

No pagamento da primeira parcela, a Caixa informou que com o aplicativo Caixa TEM, por meio do qual o trabalhador movimenta os recursos da poupança digital, o trabalhador poderia efetuar transferências ilimitadas entre contas da Caixa ou realizar gratuitamente até três transferências para outros bancos a cada mês, pelos próximos 90 dias. Além disso, poderia pagar boletos e contas de água, luz, telefone, entre outras.

A portaria atual, no entanto, define que os recursos “estarão disponíveis apenas para o pagamento de contas, de boletos e para realização de compras por meio de cartão de débito virtual.” As transferências serão liberadas nas mesmas datas dos saques.

São 3 calendários:

  1. um para recebimento em poupança social
  2. um para saque em espécie para beneficiários do Bolsa Família
  3. um para saque em espécie para poupança social e transferência de recursos
Leia mais:  Senadores querem pensão especial para profissionais que atuam contra covid-19

Segundo portaria sobre o calendário, assinada pelo ministro Onyx Lorenzoni, quem recebeu a 1ª parcela até 30 de abril receberá o crédito da segunda parcela em poupança social digital a partir de quarta-feira (20), de acordo com a data de nascimento.

Inicialmente, os recursos estarão disponíveis apenas em na poupança social digital para movimentações digitais: pagamento de contas, de boletos e realização de compras por meio de cartão de débito virtual. Os saques em espécie para esse público poderão ser feitos só a partir de 30 de maio, também de acordo com a data de nascimento.

Para quem recebe o Bolsa Família, o calendário é diferente. Os beneficiários vão receber nas mesmas datas e da mesma forma em que recebem esse benefício, nos últimos 10 dias de maio. Já os saques em espécie começam na segunda-feira (18) para beneficiários com Número de Identificação Social (NIS) 1.

VEJA OS CALENDÁRIOS

1. Calendário para depósito em poupança social

 — Foto: Economia G1

— Foto: Economia G1

2. Calendário para pagamento aos beneficiários do Bolsa Família

 — Foto: Economia G1

— Foto: Economia G1

3. Calendário para saque e transferência da poupança social

Auxílio Emergencial segunda parcela - saque e transferência da poupança social — Foto: Economia G1

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Imposto de Renda 2020: consultas ao 1º lote de restituição começam nesta sexta

Publicado

por

A Receita Federal abre, a partir das 9h desta sexta-feira (22), as consultas ao primeiro lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) 2020, relativo a 2019. As consultas podem ser realizadas no site da Receita, em aplicativos do órgão para tablets e smartphones ou pelo telefone 146.

A expectativa é que 901.077 contribuintes recebam restituições no primeiro lote, que deve somar cerca de R$ 2 bilhões e ser depositado em 29 de maio.

O primeiro lote contempla aqueles contribuintes com prioridade legal, que são: idosos acima de 80 anos, contribuintes entre 60 e 79 anos e contribuintes portadores de alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Segundo o cronograma disponível no site da Receita, os próximos pagamentos serão realizados em 30 de junho (segundo lote), 31 de julho (3º lote), 31 de agosto (4º lote) e 30 de setembro (5º lote). As consultas são abertas alguns dias antes.

O prazo de entrega das declarações começou em 2 de março e vai até as 23h59min59s de 30 de junho. Inicialmente, o prazo acabaria no fim de abril, mas a data foi prorrogado por dois meses por causa da pandemia de coronavírus.

Leia mais:  Projeto de lei impõe multa a proprietários que não limparem imóveis desocupados

Menos da metade dos contribuintes entregou declaração

Em balanço divulgado na quarta-feira, a Receita Federal informou que, após três meses de entrega da declaração do IRPF, menos da metade dos contribuintes havia acertado as contas com o Leão. Na data, 14.786.867 de pessoas haviam enviado o documento à Receita Federal.

O total enviado equivale a 46,2% dos 32 milhões de declarações esperadas para este ano.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana