conecte-se conosco


Política

Governo prevê queda de até 30% na receita a partir de abril

Publicado

residente da Assembleia, Eduardo Botelho (DEM) revelou que o governo Mauro Mendes, do mesmo partido, já trabalha com uma queda de até 30% na receita do Estado para o mês de abril.

 

“A queda de arrecadação vai ser avaliada durante os meses. Provavelmente o mês de abril deve ser o mês mais crítico, março nem tanto, pois praticamente não teve queda de arrecadação. Mas abril vai ter uma queda grande, e o governo terá sérios problemas com o caixa”, disse Botelho.

A informação foi dada após a aprovação pela Assembleia Legisaltiva do decreto de calamidade pública que flexibilizará o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O parlamentar lembra que o decreto permite ao governo extrapolar todas as metas fiscais sem sofrer sanções por parte da União.

 

O decreto de calamidade ainda garante que o Estado fique isento por 90 dias de pagar a dívida com o governo federal.
A tendência é que o o Estado tenha uma redução de gastos de até R$ 1 bilhão nos próximos 3 meses.

Leia mais:  Aras diz que PGR priorizará combate “intransigente à corrupção"

 

O governador já descartou garantir o pagamento da reposição inflacionária aos servidores públicos alegando a possível queda receita. Porém, nos dois primeiros meses deste ano, a arrecadação foi de R$ 700 milhões a mais do que o mesmo período do ano passado.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

A cada três dias, um veículo é incendiado por falta de manutenção na rodovia 163

Publicado

por

Um incêndio a veículo é registrado a cada três dias, em média, na BR-163/MT, colocando em risco a segurança de quem trafega pela rodovia e prejudicando o meio ambiente. A situação poderia ser evitada com a realização da manutenção preventiva antes de seguir viagem. Desde o início do funcionamento dos serviços operacionais da Rota do Oeste, em setembro de 2014, as equipes atenderam mais de 800 ocorrências desta natureza, 52 delas somente este ano, de 1º de janeiro a maio.

Com a aproximação do período de estiagem em Mato Grosso e o consequente aumento no número de queimadas no estado, o gerente de Operações da Concessionária, Wilson Ferreira, chama a atenção para a situação e reforça aos motoristas a importância da manutenção veicular, especialmente quando for percorrer longas distâncias.

“A incidência de registros não é irrisória e chama a atenção a exposição ao perigo, tanto do motorista quanto de terceiros. Como estamos no período mais seco do ano, devemos ficar mais atentos, pois a vegetação fica mais seca e a umidade do ar muito baixa, o que pode agravar a situação em um caso de incêndio a veículos às margens da rodovia, especialmente com as características da BR-163, que conta com vegetação intensa”, explica.

Leia mais:  Justino Malheiros elogia preocupação do secretário Stopa com o meio ambiente local e região pantaneira

Na maioria dos casos, as chamas nos veículos são provocadas por curto circuito e problemas na parte elétrica. Situações que poderiam ser sanadas em uma revisão veicular de rotina ou antes de seguir viagem. Ferreira alerta ainda sobre a importância de os motoristas recorrerem a empresas que oferecem serviço especializado e de qualidade para evitar transtornos.

“A instalação de equipamentos e acessórios adicionais também podem resultar em sobrecarga do sistema elétrico e iniciar um incêndio. Por isso, a orientação é sempre procurar um profissional de confiança para evitar um problema maior, como ficar parado na rodovia ou mesmo correr o risco de ter o veículo danificado pelas chamas”, orienta.

Atendimentos – Se durante a viagem pela BR-163 o motorista perceber fumaça no motor do veículo, a recomendação é estacionar em local seguro, se afastar do veículo e acionar as equipes da Rota do Oeste para adotar as providências cabíveis. Os serviços da Concessionária podem ser solicitados por meio do 0800 065 0163, nas bases de atendimento ao usuário ou nas praças de pedágio.

Leia mais:  AL cria três câmaras setoriais temáticas

A empresa dispõe de viaturas de inspeção, caminhões pipa e unidades de atendimento médico ao longo dos 850,9 quilômetros sob concessão. Os serviços prestados são custeados pelo valor arrecadado nas praças de pedágio, sem qualquer cobrança adicional ao motorista.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana