conecte-se conosco


Política

Gerente da Caixa é preso por fraudar auxílio emergencial em MT

Publicado

Um gerente da Caixa Econômica Federal foi preso na manhã desta quarta-feira (31) e dois servidores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) foram alvo de mandado de busca e apreensão durante a Operação Et Caterva, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em Mato Grosso e mais 12 estados. O grupo fraudava até mesmo títulos eleitorais para sacar o auxílio emergencial de forma indevida.

Conforme a delegada federal Karoline Araújo Diniz, que está comandando a investigação no estado, 14 pessoas estão envolvidas no esquema nacional – que tem como a liderança central um homem de Goiânia. Por aqui, além dos servidores do TRE e do gerente da Caixa, há ainda um advogado. Os nomes dos alvos não foram informados pela polícia.

A primeira atuação da quadrilha foi com os precatórios e vinha acontecendo há vários anos. Apreensão de um computador em 2018 deu luz ao crime e comprovou que ele vinha ocorrendo. Sendo assim, no final daquele ano, a PF começou a investigar a atuação dos criminosos. Já em 2020, com o anúncio da suspensão dos pagamentos precatórios e com a liberação do auxílio emergencial na pandemia, a quadrilha mudou a forma de atuação.

Leia mais:  1ª dama abre doações da maior campanha de inverno do Centro-Oeste

Consta que os servidores da Caixa compartilhavam os dados dos beneficiários e autorizavam os saques. “Eles ocorriam dia após dia, em lotes com diferença de segundos. Tinha beneficiário já falecido, por exemplo, e os servidores já sabiam disso e ainda assim autorizavam o pagamento. Os servidores foram afastados de suas funções, tanto no banco, quanto no TRE”, disse a delegada.

Para ter uma ideia da atuação da quadrilha, a delegada conta que os servidores do TRE usavam fotos dos criminosos no e-título com dados das vítimas. “Ainda assim, aproveitavam da confiança que tinham por ele ser um servidor público e acompanhava os criminosos nas agências bancárias, apresentando como parentes, amigos”.

Ela apontou que 1.570 saques foram realizados pelos golpistas só de abril de 2020 até março deste ano, resultando em um rombo maior que R$ 1,3 milhão. Os servidores do TRE recebiam esses valores e depositavam em contas de laranjas até chegar no líder da quadrilha, que recebia um valor maior pela fraude.

Leia mais:  Cartórios estão obrigados a aceitar cartão de débito como forma de pagamento

Para o superintendente da PF em MT, delegado Sérgio Mori, com a nova liberação do auxílio emergencial prevista para os próximos meses, a polícia decidiu não ficar de lado e deflagrou a operação. Um dos líderes da quadrilha recebeu o mandado de prisão no leito de uma enfermaria de Goiás, onde se recupera da covid-19.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Governo autoriza vacinar professores após forças de segurança

Publicado

O governador Mauro Mendes (DEM) autorizou a reserva de 10% das vacinas contra a covid-19 que o Estado receber para a imunização dos profissionais da educação das redes públicas e privadas. A informação é do secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho. Segundo Carvalho, a decisão ocorreu na manhã desta segunda-feira (12) durante reunião com os secretários de Saúde, Gilberto Figueiredo (Saúde), e da Educação, Alan Porto.

“Estamos fazendo um ofício para a Secretaria de Saúde, solicitando que após a vacinação dos profissionais das forças de segurança, que também sejam imunizados os profissionais da educação”, disse durante entrevista ao programa Tribuna da rádio Vila Real FM.

A decisão tem por base a pressão por parte dos deputados estaduais e do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep). Isso porque na semana passada, os deputados aprovaram em 1ª votação a educação como serviço essencial na pandemia. Caso seja aprovada em 2ª votação, as aulas presenciais poderão retornar.

Com isso, muitos deputados cobraram que os professores entrassem na lista de prioridades para a vacinação no Estado, já que o retorno das aulas está em votação.  O projeto de retorno às aulas garante que a rede privada pode voltar com as aulas presenciais. Já  na rede pública poderia ocorrer de maneira virtual, até que se criem as condições para o retorno presencial.

Leia mais:  Parlamentar defende manutenção de serviços de assistência técnica e extensão rural

O Sintep chegou ameaça greve em fevereiro, caso o governo determinasse o retorno das aulas presenciais. Atualmente as aulas continuam remotas e o governador Mauro Mendes (DEM) aprovou na Assembleia um projeto para a compra de notebooks e o auxílio internet para mais de 15 mil professores da rede pública estadual.

O valor depositado aos professores é de até R$ 6.020. Os profissionais terão que comprovar a compra dos computadores e a assinatura da internet.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana