conecte-se conosco


Polícia

Galli é exonerado da assessoria especial de Jair Bolsonaro

Publicado

O ex-deputado federal Victório Galli (PSL) foi exonerado do cargo de assessor especial da Presidência da República.

Conhecido por declarações polêmicas, principalmente no que diz respeito à homossexualidade, Galli busca apoio para conseguir emplacar candidatura à Prefeitura de Cuiabá, caso as pesquisas indiquem cenário favorável.

Recentemente Galli foi condenado, pela juíza Celia Regina Vidotti a pagar R$ 100 mil por danos morais coletivos, por declarações consideradas homofóbicas, contra o personagem da Disney, Mickey Mouse.

Ele pediu Justiça gratuita alegando que não tem como pagar advogado.

Todas as fichas

Na semana passada o partido Patriota em Mato Grosso apostou todas as fichas no nome de Galli, chegando a entregar o partido em suas mãos. Atual presidente estadual do Patriota, Adalto de Freitas, o Daltinho, deve deixar o posto para compor aliança com o ex-deputado estadual Victorio Galli. Hoje atual assessor especial da Presidência da República, Galli estaria pronto para sair do PSL. Além de liderar o partido em Mato Grosso, ele seria lançado como candidato a prefeito de Cuiabá, em 2020.

Leia mais:  Autor de homicídio no Pará tem prisão cumprida em Barra do Garças

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Equipe Especial interroga esposa de cabo em investigações das interceptações ilegais

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Civil, por meio da Equipe Especial, designada exclusivamente para conclusão dos inquéritos sobre as interceptações ilegais, ouviu em interrogatório, na tarde desta quarta-feira (18), a esposa do Cabo Gerson Correa, para esclarecimentos sobre questões apuradas nas investigações.

A delegada Ana Cristina Feldner informou que a mulher (E.M.O) aparece em algumas situações, como assinatura de fiadora no contrato de locação da sala usada para fazer as escutas ilegais, além da conta de internet usada no escritório clandestino estar em seu nome. Também por ter levado um aparelho celular ao cabo quando ele estava preso na Rotam. E ainda sobre a origem de um valor de R$ 35 mil, emprestado pelo cabo a um amigo.

Conforme a delegada, todas as informações serão analisadas, inclusive se  a mulher  tinha conhecimento e envolvimento com a organização criminosa investigada. Ela  alegou que acredita na inocência de seu marido.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Operação Polygonum cumpre cinco prisões contra envolvidos em fraudes ambientais
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana