conecte-se conosco


Polícia

Força-tarefa prende três que tentavam arrombar banco na Capital

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Uma tentativa de furto mediante quebra de parede foi frustrada na noite desta segunda-feira (08), pela força-tarefa composta pela Polícia Judiciária, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Polícia Federal, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (Saap) e Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Seop/MJSP). 

Três suspeitos foram presos em flagrante na ação que envolveu policiais da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Polícia Federal e Gerência de Operações Especiais (Goe), após monitoramento da força-tarefa, que identificou que os criminosos planejavam furtar a agência do Banco do Brasil da Avenida Carmindo de Campos, em Cuiabá.

Foram presos: Bruno Figueiredo de Carvalho, 19 anos, que foi baleado na ação e encontra-se hospitalizado no Pronto Socorro Municipal de Cuiabá; e Geovanni Mesquita Jesus e Adriano Atislan da Silva, ambos são maiores de idade. Todos os três tem passagens criminais, sendo Giovanni por tentativa de furto de uma agência do banco do Brasil, em Cuiabá, pela qual havia sido preso em 2018.

Leia mais:  DERF Cuiabá conclui ano de 2019 com 308 prisões e desarticulação associações criminosas de roubos e furtos

Os três serão autuados em flagrante por tentativa de furto triplamente qualificado e associação criminosa.

 

No domingo, por volta das 21h30, os policiais identificaram que criminosos estavam escondidos dentro de uma restaurante, ao lado do Banco do Brasil, na Carmindo de Campos, fazendo um buraco na parede para ter acesso ao dinheiro dos caixas eletrônicos e cofre da agência. Os suspeitos usavam várias ferramentas (furadeiras, discos de corte, martelos) e outros equipamentos para abrir a parede, mas foram interceptados pelos policiais que cercaram toda a quadra da agência.

Oito equipes fizeram o cerco na área e no momento que os criminosos tentavam fugir,  pulado os muros das casas, dois deles foram flagrados em cima do telhado de um imóvel. Um estava com um simulacro de arma nas mãos e foi atingindo com um disparo na perna e outro se rendeu aos policiais.

O terceiro criminoso foi preso na frente do banco. Ele fazia  a vigilância do local e com um telefone passava o tempo todo conversando com os comparsas nos fundos do restaurante.  

Leia mais:  Polícia Civil cumpre prisão de autores e violência doméstica e de estupro de vulnerável em Várzea Grande

O delegado adjunto da GCCO, Frederico Murta, informou que os dois criminosos que estavam dentro do estabelecimento já tinham conseguido quebrar boa parte do concreto da parede dupla do banco, quando interceptados pelas equipes policiais. A parede dava direto à área dos caixas eletrônicos do banco, a qual não tiveram acesso.

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Jovem morre durante protesto por homem negro morto por policial branco nos EUA

Publicado

por

Na madrugada deste sábado (30), a polícia de Detroit (EUA) confirmou a morte de um jovem de 19 anos, baleado durante protestos pelo assassinato de George Floyd, um homem negro de 46 anos que foi asfixiado até a morte por um policial branco de Minneapolis.

Os tiros foram disparados por um suspeito desconhecido, que dirigia um Dodge Durango cinza. A vítima chegou a ser encaminhada para um hospital da região, mas acabou morrendo. A polícia de Detroit não confirmou se o jovem participava dos protestos, mas disse que estava em meio a um tiroteio que aconteceu no centro da cidade, onde as manifestações seguem ocorrendo.

Mais cedo, o chefe da polícia de Detroit, James Craig, disse que uma pessoa havia sido presa depois de tentar atropelar um policial. “Não vou ficar parado e deixar que uma pequena minoria de criminosos entre aqui e ataque nossos policiais. Não vamos tolerar isso ”, disse Craig.

Protestos pelos EUA

Na madrugada de sábado (30), as manifestações se espalhavam por 17 estados americanos, atingindo cidades como Nova York, Los Angeles, Washington e São Francisco.

Leia mais:  Em rápida ação em Cuiabá Rotam desarticula tráfico de drogas

O governador de Minnesota, Tim Walz, afirmou que a situação no estado continua “incrivelmente perigosa” durante uma entrevista coletiva nesta madrugada. A capital Minneapolis, onde cerca de 50 pessoas foram presas durante a madrugada, ainda é considerada o epicentro dos protestos mesmo após decretado um toque de recolher.

No início da noite de sexta-feira (29), a polícia de Washington precisou formar um cerco de proteção à Casa Branca.

Em Atlanta, manifestantes arremessaram bombas, tijolos e estilhaços de vidro na sede da CNN. A fachada do edifício também foi pichada e uma bandeira dos Estados Unidos foi queimada em frente ao prédio. Os manifestantes exibiram placas com a mensagem #BlackLivesMatter (“vidas negras importam”, em português).

Durante uma transmissão ao vivo dos protestos na cidade de Minneapolis, Omar Jimenez, um repórter da CNN, negro e latino, foi detido pela polícia, mesmo após se identificar como jornalista. O produtor Bill Kirkos e o fotógrafo Leonel Mendez, membros da equipe de Jimenez, também foram presos. O jornalista Josh Campbell, que é branco e estava no local, chegou a ser abordado, mas, diferente de Jimenez, não foi levado para a delegacia. Cerca de meia hora depois, todos foram soltos.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre prisão de autores e violência doméstica e de estupro de vulnerável em Várzea Grande

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana