conecte-se conosco


Esportes

Flamengo continuará pagando salários das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu

Publicado


Nesta segunda-feira (11), representantes do Flamengo deverão participar de uma reunião no Ministério Público para tentar esclarecer o que ocorreu
Tomaz Silva/Arquivo/Agência Brasil

Nesta segunda-feira (11), representantes do Flamengo deverão participar de uma reunião no Ministério Público para tentar esclarecer o que ocorreu

A diretoria do Flamengo comprometeu-se a manter o pagamento dos salários às vítimas do incêndio de sexta-feira (8) em um dos alojamentos do clube, no Ninho do Urubu, como é conhecimento popularmente o Centro de Treinamento Presidente George Helal. A informação está em nota divulgada pelo clube neste domingo (10).

Leia também: Presidente do Flamengo lamenta mortes: “Maior tragédia do clube em 123 anos”

“O Flamengo gostaria de reiterar que, independentemente de qualquer investigação, vem prestando todo o amparo às famílias dos atletas vitimados pela tragédia ocorrida no centro de treinamento, assim como aos feridos e sobreviventes. Neste momento, o clube, de pleno, assume o compromisso de manter a remuneração paga aos atletas vítimas do incêndio, sem qualquer prejuízo de outras ações adicionais de apoio que estão sendo implementadas”, diz a nota.

Em outro trecho da nota, a diretoria do Flamengo ressalta que, de acordo com a empresa NHJ, responsável pelo alojamento de contêiner , a espuma usada no isolamento térmico e acústico não era inflamável. “Vale ressaltar que representantes da empresa NHJ – em reunião realizada na manhã deste domingo, na sede da Gávea – esclareceram que o poliuretano utilizado entre as chapas metálicas não é propagador de incêndios, por ter característica auto-extinguível.”

Leia mais:  Torcedor do River Plate é preso por ataque ao ônibus do Boca Juniors

Leia também: Ao som de “Parabéns a você”, jovem vítima de incêndio no Flamengo é enterrado

Nesta segunda-feira (11), representantes do Flamengo deverão participar de uma reunião no Ministério Público (MP) para tentar esclarecer o que ocorreu no Ninho do Urubu . Também estarão presentes à reunião representantes de diversos outros órgãos da Justiça e da prefeitura do Rio.

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, já havia dado a entender que daria amparo às famílias das vítimas. “Obviamente estamos todos consternados. Essa é a maior tragédia que esse clube passou nos últimos 123 anos (anos de existência do clube, fundado em novembro de 1895)”, disse o mandatário do clube, eleito recentemente.

“O mais importante agora é a gente se dedicar a tentar minimizar o sofrimento de todas essas famílias. O Flamengo está cuidando disso e estamos fazendo com que isso seja minimizado ao máximo”, completou o cartola.

As chamas tomaram conta do alojamento dos jogadores do base do Flamengo , no centro de treinamento Ninho do Urubú, ocalizado em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, na madrugada desta sexta-feira (8). Dez atletas com idades entre 14 e 15 anos acabaram morrendo no incêndio. Três seguem internados, um deles em estado grave.

Leia mais:  Organizadores planejam mudanças para o calendário da Fórmula 1. Saiba quais

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Aos 44 anos, Anderson Silva luta pelo espetáculo – e que mal há nisso?

Publicado

por


Anderson Silva agachado
Divulgação

Anderson Silva, lutador brasileiro do UFC

Onde você estava aos 44 anos? Onde estará? Com essa idade recém-completada, Anderson Silva mostrou à imprensa presente no seu treino dessa quarta-feira (17), no Rio de Janeiro, que ainda tem ‘lenha para queimar’. E nós, da Ag. Fight, pudemos acompanhar de perto um treino leve do ex-campeão dos pesos-médios (84 kg).

Clique aqui e leia mais colunas da Ag. Fight

Com o característico bom humor, Anderson Silva já chegou à Escola de Boxe Cesário Bezerra fazendo brincadeiras com os parceiros de treino.

Após se aquecer no tatame, ‘Spider’ recebeu instruções e testou algumas posições com o mestre de jiu-jitsu Ricardo de la Riva. Depois disso, foi se experimentar contra os colegas.

Ao som de música instrumental que remetia a trilhas sonoras de filmes épicos, Anderson mostrou que continua afiado no jiu-jitsu.

Apesar de a arte suave não ser a sua especialidade, durante o ‘rola’ ele foi claramente superior aos parceiros, apesar de não deixar as brincadeiras de lado. “Tem uma parada aqui”, falou, apontando para o rosto do colega. Desprevenido, o companheiro de treino abaixou a guarda
e deixou o pescoço à mostra para o ‘Spider’ encaixar um ‘mata-leão’.

Leia também: Conor McGregor erra ainda mais ao não aprender com os erros

Leia mais:  Torcedor do River Plate é preso por ataque ao ônibus do Boca Juniors

A provocação aos oponentes, aliás, foi uma constante durante o trabalho. Muito criticado por parte dos fãs e da imprensa por fazer uso exagerado desse artifício em algumas de suas lutas, no treino dessa quarta, Anderson não poupou seus parceiros de suas brincadeiras – mesmo diante de um grande número de jornalistas atentos a cada movimento do lutador.

“Vem tranquilo”, provocou o atleta do UFC, em referência a um ‘meme’ que recentemente viralizou nos aplicativos de mensagem e nas redes sociais.

Após o ‘rola’ do jiu-jitsu, o ‘Spider’ descansou um pouco, antes de mostrar a sua maior especialidade: o chute. A idade não parece ter afetado a potência e a precisão do golpe do campeão do Ultimate de 2006 a 2013, mas o passar dos anos fez com que ele adaptasse o seu
treinamento.

“O que eu faço é me expor menos. Tem coisas que a gente não tem mais como fazer. Antigamente, eu fazia esse treino e a gente saía no soco ali, um cortava o outro, machucava o braço, e no outro dia eu estava zerado. Hoje em dia, tenho que ter um pouco mais de cuidado e toda a equipe tem essa consciência”, relatou Anderson após o treino.

Agendado para voltar ao octógono no próximo dia 11 de maio, no Rio de Janeiro, contra o pouco conhecido Jared Cannonier, o ex-campeão dos médios parece ter consciência de que o final da carreira está próximo, mesmo persistindo no discurso pouco plausível de que pode disputar o cinturão nas “três ou quatro lutas” que ainda restam em seu contrato.

Leia mais:  Organizadores planejam mudanças para o calendário da Fórmula 1. Saiba quais

“Eu acho que todo lutador que está no UFC pensa no título. Já tive toda essa experiência (…), então nada disso é novo. Tudo o que vier agora a gente absorve como conhecimento. Então, o objetivo é estar bem, ir lá fazer o que eu amo”, concluiu.

O que muitas vezes não fica suficientemente claro aos fãs – e até aos jornalistas, que insistem em cobrar do Spider os resultados dos velhos tempos – é que é justamente o clima de brincadeira, bom humor e show que dá sentido à carreira de Anderson hoje em dia.

Leia também: Doping de campeões mancha esporte, mas enaltece esforço do UFC

Aos 44 anos, sem os mesmos reflexos de antes e ultrapassado por muita gente mais nova e no auge, não haveria qualquer razão para que o ex-campeão entrasse no octógono se não fosse a sua vocação para o espetáculo.

E quem for ao UFC 237, no Rio de Janeiro, terá a chance de assistir à luta que, muito provavelmente, será o fechar das cortinas do ‘Spider’ Anderson Silva no Brasil.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana