conecte-se conosco


Cidades

Fiocruz recomenda que Mato Grosso adote lockdown e ações mais rígidas

Publicado

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) recomenda que Cuiabá e Mato Grosso adotem medidas mais rígidas para bloquear a transmissão do coronavírus.

A Capital e o Estado estão em estado de alerta crítico por conta da alta ocupação de leitos de UTIs, casos e mortes. Entre as recomendações, está o lockdown com o fechamento de serviços não-essenciais por cerca de 14 dias.

As recomendações saíram em boletim extraordinário, nesta terça (23), sobre o avanço da pandemia no país. Além do lockdown, as principais medidas apontadas são o uso obrigatório de máscaras por pelo menos 80% da população, suspensão de atividades escolares e de eventos presenciais.

Nesta última terça feira  (23), a Assembleia Legislativa rejeitou a proposta do governador Mauro Mendes (DEM) para se criar um “lockdown branco” com a antecipação de feriados.

“Estas medidas deveriam ser mantidas até que tivéssemos a vacinação da maior parte da população”Diz nota da Fiocruz
O boletim considera “o agravamento do cenário nacional, que apresenta valores extremamente altos de casos e óbitos diário por Covid-19”, “a preocupação é a permanência da tendência de aleceração da transmissão do coronavírus” e o “quadro muito crítico das taxas de ocupação de leitos de UTI para adultos no sistema SUS em todo o Brasil”.

Leia mais:  Apenas Justiça pode bloquear bens de devedores do governo, decide STF

Segundo a publicação, a restrição das atividades pode reduzir aproximadamente 40% da transmissão. A Fiocruz destaca que Cuiabá tem uma taxa de ocupação de UTI de 99% e está entre as capitais do país com o sistema de saúde em colapso.

Os pesquisadores da Fiocruz apontam que as medidas rigorosas para controlar a doença “são fundamentais para interromper a tendência de descontrole da pandemia, mitigando efeitos sobre o sistema de saúde e, especialmente, poupando vidas”.

Na parte de recomendações, a Fiocruz destaca que, desde o início da pandemia, os estudos científicos apontam a necessidade de medidas não farmacológicas prolongadas. Entre elas, está o uso de máscaras, higienização das mãos e ações intermenetes de bloqueio com restrição da circulação e fechamento de todos os serviços não-essenciais.

“Estas medidas deveriam ser mantidas até que tivéssemos a vacinação da maior parte da população e tinham como objetivos a preservação da vida e não exceder as capacidades instaladas dos serviços de cuidados intensivos”, traz boletim.

O boletim destaca também a ausência de articulação entre municípios de uma mesma região e até com a União e Governo para decretar medidas de prevenção.

Leia mais:  Município assina Termo de Cooperação com ABIN- MT

Governo de MT esclarece

O Governo de Mato Grosso acompanha em tempo real a evolução dos casos de Covid-19 no Estado. Medidas restritivas foram determinadas de forma impositiva aos 141 municípios, desde o início de março. O decreto permanece vigente, com toque de recolher a partir das 21 horas e fiscalização intensa das forças de segurança para coibir aglomerações, inclusive com multas para quem descumprir as regras.

As multas são de R$ 500 para pessoas físicas e de R$ 10 mil para empresas, podendo ser triplicadas em caso de reincidência, conforme lei aprovada nesta terça (23). Os estabelecimentos também podem ser fechados por 30 dias e os proprietários, detidos caso se recusem a cumprir as normas.

Em 2020, o governo distribuiu mais de 100 mil máscaras de tecido para servidores estaduais e população.

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Governador de MT declara situação de emergência para ajudar os municípios

Publicado

O governador Mauro Mendes declarou situação de emergência no Estado de Mato Grosso por conta do avanço do coronavírus, de forma a auxiliar os 141 municípios a enfrentar a pandemia.

O decreto foi publicado nesta quarta-feira (14.04) e ainda deverá passar pela validação do Governo Federal.

A situação de emergência atendeu solicitação da Defesa Civil do Estado e terá validade de 30 dias, podendo ser prorrogada por mais 180 dias.

Conforme o governador, a declaração de emergência ajuda os municípios a conseguirem, com menos burocracia, realizar as ações de enfrentamento à covid-19.

“A maioria dos municípios está com classificação de risco alta ou muito alta, com UTIs na capacidade máxima. Com o decreto, as prefeituras conseguem fazer aquisições e investimentos emergenciais com mais agilidade, tendo em vista a urgência em salvar vidas”, explicou.

Outras ações

O Governo de Mato Grosso tem tomado uma série de providências para o combate à pandemia. Confira as principais:

SAÚDE

Abriu o Centro de Triagem Covid-19 na Arena Pantanal, que oferece consulta, testes, medicamentos e até tomografia. Já foram mais de 146 mil atendimentos
Abriu 608 leitos de UTI em 1 ano, entre pactuados, próprios e em parceria com municípios de todas as regiões do Estado.
Construiu o maior número de UTIs por 100 mil habitantes entre os estados do Centro-Oeste, segundo o Ministério da Saúde.

Ampliou o Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, de 38 leitos, para 278 leitos (238 clínicos e 40 UTIs)
Ampliou o Hospital Regional de Cáceres, com 30 novos leitos covid (10 de UTI e 20 de enfermaria)
Paga, em parceria com os municípios, as despesas de 899 leitos de enfermaria para covid.

Leia mais:  Servidores se mobilizam pelo 2º ano para incentivar arrecadação do Natal Sem Fome

Está em processo de abertura de mais leitos de enfermaria, em parceria com municípios.
Repassou verba extra de R$ 69,8 milhões a todos os 141 municípios para ajudar no tratamento da covid.
Distribuiu 600 mil testes para todos os municípios e está comprando mais 550 mil. É o segundo estado do país que mais testa a sua população.
Comprou 239 respiradores e 326 monitores.
Entregou 20 ambulâncias para os municípios do interior.
Enviou 12,9 milhões de medicamentos aos municípios.
Paga verba extra aos profissionais de Saúde da linha de frente.
Comprou EPIs para os profissionais de Saúde
Distribuiu 360 mil litros de álcool 70% e mais 60 mil litros de álcool gel para unidades de saúde, prefeituras, órgãos estaduais e forças de segurança. Tudo produzido em parceria com instituições privadas e de ensino.

EDUCAÇÃO

Distribuiu 342,3 mil kits-alimentação a alunos de baixa renda
Entregou 850 mil apostilas aos alunos sem acesso à internet
Instituiu ajuda de custo para 15,9 mil professores comprarem notebooks e planos de internet

MEDIDAS ECONÔMICAS

Prorrogou e parcelou o ICMS de 180 mil empresas inscritas no Simples Nacional
Isentou o IPVA de 2021 aos setores de bares, restaurantes, eventos, motocicletas de até 160 cc, e motoristas de aplicativo.
Isentou o IPVA do 1º emplacamento até dezembro de 2023
Prorrogou o pagamento do IPVA
Prorrogou o pagamento do licenciamento
Manteve a isenção de ICMS sobre os produtos da cesta básica
Isentou o ICMS da energia elétrica a 147 mil famílias de baixa renda em 2020
Isentou o ICMS sobre os produtos usados no combate a covid em 2020
Reduziu o ICMS de 7% para 3% a bares, restaurantes e similares
Concedeu R$ 55 milhões em linhas de crédito para socorrer micro e pequenas empresas e setor de bares, restaurantes e eventos.
Parcelou dívidas pendentes de ICMS para o setor de bares, restaurantes e eventos por 60 meses e postergou os novos pagamentos por 3 meses.
Isentou o ICMS para transporte escolar e fretamento turístico em 2020
Prorrogou o pagamento das parcelas dos financiamentos do Fundeic contraídos com a Desenvolve MT
Isentou a Taxa de Serviços Estaduais para abertura de novas empresas
Prorrogou a validade de certidões negativas de débitos em 2020
Prorrogou as licenças de operação, outorgas e CC-Sema em 2020

Leia mais:  Consultório Itinerante leva atendimentos para mais comunidades

AÇÃO SOCIAL

Implantou programa que ajuda 100 mil famílias de baixa renda, com auxílio mensal de R$ 150
Distribuiu 330 mil cestas básicas e está em processo de aquisição de mais 534 mil.
Entregou 200 mil máscaras aos servidores e população.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana