conecte-se conosco


Entretenimento

Filho de Mauricio de Souza rebate comentário homofóbico nas redes sociais

Publicado

Mauro Sousa, filho de Mauricio de Sousa, usou as redes sociais para denunciar um comentário homofóbico que recebeu em um post no Facebook. No Instagram, o diretor de espetáculos, parques e eventos da Mauricio de Sousa Produções publicou sua resposta às palavras do seguidor.

Leia também: Maurício de Sousa posa com filho e namorado: “Meu genro”

Maurício de Sousa com o filho e o genro
Reprodução/Instagram

Maurício de Sousa com o filho e o genro


“Em uma reportagem recente, eu comentei, sim, que havia planos de um personagem gay na ‘Turma da Mônica’ e, por conta disso, o infrator fez o comentário homofóbico acima. A diferença entre ontem e hoje é que ontem ele era apenas mais um hater. Mas hoje, ele é um criminoso e pode ir para a cadeia. Não, eu não vou ficar calado. Não, eu não quero mais aceitar que me chamem de ‘viadinho’. Só quem pode me chamar assim sou eu mesmo. E sim, a LGBTfobia agora, é crime. Beijos coloridos”, escreveu o herdeiro de Mauricio de Sousa.

Leia mais:  Fãs tentam entender a função de Bran na batalha de Winterfell em “GoT”

Leia também: Maurício de Sousa e Fundação Dorina Nowill para cegos lançam livro inclusivo
O comentário do seguidor foi bastante ofensivo. “Tenho 56 anos, fui fã da revistinha da ‘Turma da Mônica’. Infelizmente, hoje Mauricio, sem forças pra decidir sua vida, vai deixar um ‘viadinho’ desfazer seu sucesso de décadas”, escreveu o anônimo.

Comentário feito por seguidor de Mauro Sousa
Reprodução/Instagram

Comentário feito por seguidor de Mauro Sousa


Leia também: Filme ‘Turma da Mônica: Laços’ ganha mais um trailer

Recentemente, o próprio Mauricio de Sousa publicou a foto ao lado do filho, Mauro Sousa, e do genro, Rafal Piccin. “Em casa, com o filho Mauro, que inspirou o personagem Nimbus, e o companheiro dele, meu genro, Rafael”, publicou o cartunista.

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Roteirista de “Bright”, da Netflix, recebe novas acusações de abuso sexual

Publicado

por

Max Landis, roteirista do filme “Bright”, foi acusado novamente de abuso sexual. De acordo com uma reportagem especial do site Daily Beast , oito mulheres contaram seus relatos, detalhando os abusos. 

Leia também: Acusado de assédio, Cuba Gooding Jr. alega inocência; investigação continua

Max Landis
Reprodução/Instagram

Max Landis é acusado de abuso sexual por oito mulheres


A reportagem começa com a declaração de Ani Baker, ex-namorada do roteirista, que publicou uma mensagem em seu Instagram. “Se você encontrou minha página via Max Landis , oi. Eu vou te falar algumas informações sobre ele, porque a experiência/relacionamento com essa pessoa é realmente destrutivo, cheia de dor e um trabalho emocional que você não precisa gastar a sua energia e tempo”, declarou.

Leia também: Caio Blat curte comentário de fã e renova polêmica de assédio

Baker recebeu diversas histórias de outras mulheres que também acusaram o cineasta de ter sido abusivo. Umas delas, Julie (que teve seu nome verdadeiro trocado), contou que se relacionou com Landis por dois anos.

Leia mais:  Poderosa! Gracyanne Barbosa exibe o bumbum em clique na praia

“Isso se tornou obscuro e sombrio, conforme nosso relacionamento se tornava mais tumultuado. Isso me levou a ser mais abusada. Ele disse que me ver chorando o excitava e ele gritava e me humilhava até que eu chorava. Depois, ele fazia sexo comigo enquanto eu continuava a chorar, sem nenhum respeito ou esforço para fazer as coisas direito. Ele me sufocou até eu desmaiar e fez coisas degradantes que eu não consigo escrever no papel”, afirmou.

Leia também: Kevin Spacey comparece, de surpresa, a julgamento por assédio

Uma outra jovem, Verônica, também relatou ter sido abusada por Max, dizendo que ele tentou fazer sexo com ela em um hotel. “Eu disse que estava desconfortável com a situação e não queria novamente. Ele ficou furioso e começou a gritar comigo, e jogou as coisas no quarto do hotel. Eu encolhi em um canto do quarto e ele se queixou que eu não estava sendo um bom encontro”, disse.

Esta não é a primeira vez que Max é acusado de algo tão grave. Em 2017, após o lançamento de “ Bright ”, ele também foi acusado de abuso sexual e assédio por uma atriz, Anna Akana. A partir daí, outras acusações contra ele vieram à tona.

Leia mais:  Marina Ruy Barbosa troca afeto com marido e fãs especulam gravidez

Além do filme da Netflix, Max Landis também escreveu “Poder Sem Limites”, estrelado por Michael B. Jordan em 2012. Além disso, ele é filho do lendário cineasta John Landis, diretor de “Um Lobisomem Amricano em Londres”. Os dois, inclusive, trabalham num remake do filme. 

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana