conecte-se conosco


Política

Fiemt disponibiliza plataforma de pesquisa para Câmara Setorial da ALMT

Publicado

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O gerente de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), Lucas Barros, apresentou em reunião realizada na tarde de segunda-feira (30) a plataforma digital desenvolvida pelo setor de tecnologia da informação daquela entidade para consulta de informações sobre o fluxo de importações e exportações.

A plataforma – que além de servir à própria Fiemt também será disponibilizada para uso da Câmara Setorial Temática de Relações Internacionais (CST-RI) da Assembleia Legislativa de Mato Grosso -, permite consultas sobre produtos importados e exportados, com filtros para cada estado brasileiro, assim como para diversos países. Além disso, possui gráficos ilustrativos e outras ferramentas.

VIAGENS OFICIAIS

Na ocasião, a coordenadora do Núcleo de Assuntos Internacionais do governo do estado de Mato Grosso, Rita de Cássia Oliveira Chilletto, fez breve explanação sobre as visitas oficiais do governador Mauro Mendes aos Estados Unidos e à Bolívia.

Ela criticou a atuação da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), representada pela indígena Sônia Guajajara, que questionou as ações governamentais contra queimadas e desmatamento, assim como acusou morticínio de silvícolas no estado – o que de fato ocorreu, mas no vizinho Mato Grosso do Sul. Sônia é militante do PSOL e foi candidata a vice-presidente da República em 2018 na chapa de Guilherme Boulos, do mesmo partido.

Leia mais:  Projeto de lei incentiva empreendedorismo de empresas startups e scaleups em MT

“Mesmo sem tomar posição, temos que reconhecer certa razão quando o presidente Bolsonaro acusa algumas ONGs de prestar desserviços ao país”, comentou Rita Chilletto.

Ela também falou da participação mato-grossense na 44ª Expocruz, maior feira de negócios da América Latina, realizada no departamento (equivalente boliviano aos estados brasileiros) de Santa Cruz de La Sierra.

Willian Moraes, da Assembleia Legislativa, também comentou a viagem ao país vizinho, da qual participaram o presidente da Casa, deputado Eduardo Botelho (DEM), a vice-presidente, Janaina Riva (MDB), o primeiro-secretário Max Russi (PSB), além dos pares Paulo Araújo (PP) e Ondanir Bortolini “Nininho” (PSD).

Na ocasião, foi assinado um Termo de Acordo de Sociedade, que estabelece as diretrizes dos estudos que serão realizados sobre a criação efetiva de uma sociedade para fornecimento do combustível.

O contrato prevê o fornecimento de 1,5 milhões de metros cúbicos mensais até dezembro de 2020. Há uma cláusula no contrato especificando que haverá renovação automática do fornecimento por mais dez anos, caso não se concretize a formação da sociedade.

Leia mais:  Senado define membros do Conselho de Ética

Com a retomada do fornecimento, as indústrias que possuem conversor para funcionamento com gás natural terão o combustível disponível. O contrato abrange também o fornecimento de gás natural veicular (GNV) para abastecer a frota de Cuiabá.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
publicidade

Política

Audiência pública discute revalidação de diplomas de universidades estrangeiras em Mato Grosso

Publicado

por

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

Com o objetivo de debater a questão da revalidação dos diplomas de cursos superiores e de pós-graduação “stricto senso” expedidos por instituições estrangeiras, o deputado Faissal Calil (PV) presidiu, na tarde de quinta-feira (5), uma audiência pública na Assembleia Legislativa. O evento contou com presença de representantes de instituições públicas e privadas de ensino superior, OAB, Defensoria Pública, estudantes e ex-alunos de universidades estrangeiras.

No discurso de abertura do evento, Faissal afirmou que a audiência pública nasceu da necessidade de se ampliar a discussão e fomentar a comunicação entre os diversos segmentos sociais envolvidos e afetados pela formação acadêmica em universidades estrangeiras, especialmente os estudantes que lutam pelo reconhecimento de seus diplomas em nosso País. O parlamentar também destacou que o estado de Mato Grosso e o Brasil possuem a necessidade de suprir com mão-de-obra especializada várias áreas do mercado de trabalho, enquanto profissionais com boa formação em universidades estrangeiras, tanto da região fronteiriça do Mercosul como de outros países, enfrentam entraves de natureza legal e burocrática para terem o direito de exercerem a profissão que lutaram muito para conquistar.  

Leia mais:  Senado deve definir votação de aposentadoria para trabalho de risco

O palestrante da audiência Pública, Dayvison Bandeira de Moura, doutor em ciência da educação, explanou sobre a legitimidade dos processos de revalidação de diplomas baseados na legislação brasileira pertinente ao tema. Segundo ele, as dificuldades encontradas por estudantes de universidades estrangeiras para revalidarem seus diplomas no Brasil são ocasionadas  pelo desconhecimento das instituições públicas locais, quanto aos direitos assegurados na LDB e em vários decretos aprovados pela Câmara Federal e o Senado normatizando a questão.

“Estas leis, por si, já deveriam garantir um andamento mais claro e unificado para os processos de revalidações de diplomas em todos os estados brasileiros e universidades públicas e privadas qualificadas para este fim, infelizmente isso não vem acontecendo. O que não se pode é cercear o direito de qualquer cidadão mato-grossense, que ingresse com seu pedido de revalidação legalmente documentado, de alcançar seu objetivo. Existe ainda muito preconceito contra universidades, as vezes mais qualificadas que instituições brasileiras de ensino. E este fato tem criado entraves burocráticos e acadêmicos que prejudicam quem obteve diplomas fora do Brasil”, frisou Dayvison.

Leia mais:  Projeto de lei sugere que municípios tenham condições de comprar máquinas usando o Fethab como garantia

No encerramento foram ouvidos depoimentos emocionados de estudantes que conquistaram seus diplomas em universidades estrangeiras e que encontram dificuldades para revalidá-los no País. A médica Fabiola, formada em medicina na Universidad Católica Boliviana San Pablo, contou que há mais de ano tenta, sem sucesso, o reconhecimento de sua profissão em Mato grosso. Segundo a médica, a audiência realizada apontou caminhos e trouxe esclarecimentos para quem enfrenta o problema vivenciado por ela.

Para o advogado, Iran Araújo, simpatizante da causa dos estudantes formados no exterior, o evento trouxe encaminhamentos importantes e foi um primeiro passo para organização de ações integradas, junto às instituições e poderes com capacidade fazer cumprir a legislação e dar o direito a quem tem direito de exercer livremente sua profissão no Brasil.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana