conecte-se conosco


Mato Grosso

Festival Tudo Sobre Mulheres promove debate sobre gênero e atuação da mulher no audiovisual brasileiro

Publicado

Mais que um festival de cinema feminino que promove a visibilidade e valorização das mulheres do audiovisual brasileiro, o ‘Tudo Sobre Mulheres’ se consolida a cada ano como um espaço para o debate e reflexões sobre gênero, o protagonismo e o empoderamento feminino na sociedade. Nesta 7ª edição, além da mostra competitiva com 31 filmes, o evento encantou o público com apresentações artísticas, lançamento de livros, e rodas de conversa sobre o papel e a condição atual da mulher nas artes e na política.

“Estou muito feliz, foram meses de trabalho e tudo que planejamos aconteceu. Tivemos sucesso de público e participação nos debates e oficinas, e, acima de tudo, conseguimos promover importantes reflexões sobre as várias temáticas acerca do universo feminino”, destacou a realizadora do Festival Tudo Sobre Mulheres, Danielle Bertolini.

Em um primeiro momento, o festival ofereceu capacitações sobre cinema de guerrilha e crítica cinematográfica, além de oficina de oratória e a representação da mulher no cinema brasileiro. Como já é tradição, o evento homenageou uma mulher brasileira, dessa vez a produtora executiva e ex-diretora da Agência Nacional de Cinema (Ancine), Débora Ivanov, com exibições de filmes produzidos por ela: “Querô”, “Que Horas Ela Volta?”, “Chega de Saudade”, “O Lobo Atrás da Porta”. 

Leia mais:  Leilão supera expectativa e arrecada mais de R$ 600 mil

Nas rodas de conversa, o debate ficou concentrado nos temas Protagonismo Feminino nas Artes, Gordofobia na Mídia Audiovisual, Cenário do Audiovisual Brasileiro – com participação da homenageada Débora Ivanov e o Protagonismo Feminino na Política. Além disso, houve lançamento dos livros Passagem Estreita, de Divanize Carbonieri; Revolução Laura e Por que Lutamos?, de Manuela D´Àvila.

O secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec Benitez, prestigiou a programação desta quinta-feira (31.10), último dia do festival, no Cine Teatro Cuiabá. Ele ressaltou a importância do Festival para promover o diálogo sobre gênero e o empoderamento feminino. “O Festival proporciona esse importante momento de encontro com lideranças da cultura e da política para debater e refletir sobre a participação da mulher na sociedade”.

Na mostra competitiva foram premiados oito filmes de curta metragem nas categorias Melhor Filme, Melhor Filme Universitário, Melhor Filme de Estreia, Melhor Filme Região Conne, Melhor Filme Região Fames, Melhor Filme RJ/SP. O evento contou também com apresentações artísticas de Estela Ceregatti, Coral Desvendar a Voz, Luisa Lamar, Paulo Monarco, CravoCanel, Laura Paschoalick, Jéssica Sabiá, Banda Coronela e Hendson Santana.

Leia mais:  Operação de fiscalização apreende 321 kg de pescado irregular

Para a realização do Festival em 2019, foram 43 empresas e instituições parceiras, entre elas a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), além do trabalho de voluntários.

Confira a lista dos premiados:

Prêmio Melhor Filme – Guaxuma (BR/FR), direção de Nara Normade

Prêmio EloCompany – Melhor Filme – Egrégora (SP), direção de Etienne Tavares

Prêmio melhor filme – Juri Popular – Filhas de lavadeiras (DF), direção de Edileuza Penha de Souza

Prêmio Mistika: Melhor filme eixo Rio/São Paulo – Quântica (SP), direção de Tati Lena

Prêmio Mistika: Melhor Filme região Fames – Essas Mulheres que não envelhecem (RS), direção Yamini Benites e Jonas Lunardon

Prêmio Mistika: Melhor Filme região Conne – Filhas de Lavadeiras (DF), direção de Edileuza Penha de Souza

Prêmio AIC – Melhor filme de estréia – A Bicicleta (GO), direção de Milena Ribeiro

Prêmio AIC – Melhor filme de universitário – A Bolsa (SP), direção de Deborah Pereira

Para mais informações sobre o Festival, acesse o site e a rede social do evento.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Quase 108 mil motoristas em Mato Grosso utilizam a CNH digital

Publicado

por

O documento é a versão eletrônica da Carteira Nacional de Habilitação e tem o mesmo valor jurídico da versão impressa

Desde quando lançado, em fevereiro de 2018 até o último dia 26 de maio, a versão eletrônica da Carteira Nacional de Habilitação – CNH Digital, já foi instalada em aparelhos celulares de 107.982 motoristas de Mato Grosso.

O documento eletrônico tem o mesmo valor jurídico da versão impressa. A comerciante Jéssica Alves está entre os condutores que utilizam essa tecnologia. “Ter a versão digital é muito prático pois, muitas vezes, deixamos de portar a CNH impressa, por esquecer o documento em casa, por exemplo”.

A CNH digital não tem custos. Para obtê-la, o condutor deve renovar a habilitação no novo modelo, com o sistema QRCode localizado no verso da habilitação, que contém todos os dados do condutor.

Depois, basta instalar o aplicativo “Carteira Digital de Trânsito” no celular, disponível nas lojas Play Store e App Store.

Ao baixar o aplicativo, o motorista deve realizar o cadastro de usuário e ativar a conta pelo link enviado para o e-mail cadastrado. Após esse procedimento, deve gerar a “Chave de Acesso” com 4 dígitos (PIN). Essa senha será utilizada toda vez que precisar acessar sua CNH pelo celular.

Leia mais:  Suspeito de homicídio de mulher é preso em menos de 24h

“Esse é um serviço para os condutores que não querem dispor da CNH impressa, e poder andar com sua habilitação no próprio celular”, disse o diretor de Habilitação do Detran-MT, Alessandro de Andrade.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana