conecte-se conosco


Entretenimento

Fashionismo na TV: O estilo das protagonistas das novelas da Globo

Publicado

O estilo das protagonistas das novelas da Globo é um dos assuntos que vem chamando a atenção para quem acompanha os folhetins na televisão brasileira. Usando peças que fazem toda a diferença no guarda-roupa de uma mulher, as mocinhas e vilãs mostram que a moda
delas é de arrasar.

Leia também:A fórmula das novelas das sete para fazer sucesso: manter-se ruins


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo

Com uma identidade própria, as personagens – interpretadas por excelentes atrizes – abusam de tendências e estampas, comprovando que as roupas que elas usam refletem nas histórias de suas vidas e no universo da moda . Diante disso, veja e se inspire no estilo das protagonistas das novelas da Globo
!

Leia também:Famosas arrasam nos looks em semana de premiações na música

As estrelas de “Segundo Sol”

Karola (Deborah Secco)


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo

A personagem Karola, protagonizada por Deborah Secco, é uma das mulheres que se destaca entre o estilo das protagonistas das novelas da Globo.  Na trama de João Emanuel Carneiro, a personagem usa acessórios incríveis. Entre suas escolhas estão lindas chokers, piercings fake e anéis. 

Além dos assessórios a personagem investe em roupas que valorizam suas curvas do corpo e a deixam ainda mais sexy. Vestidos justos, saias na altura do joelho, calças flare, alfaiataria e peças que acompanham as principais tendências da moda estão entre suas escolhas.

Em meio as roupas estilosas e o estilo tão marcante, uma das coisas que é mais perceptível sobre o estilo de Karola é que ela tem uma grande preferência por peças douradas. Sem medo de brilhar, a moça mostra que adora causar nas vestimentas.  

Rosa ( Leticia Colin)


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo


A personagem Rosa, interpretada por Leticia Colin, vai do básico ao moderno. No dia a dia a moça aparece com looks
  simples e mais ligadas à praticidade como shortinhos, top e calças jeans. Já em eventos mais importantes, Rosinha consegue se destacar muito bem e geralmente usa cores neutras para facilitar a produção. 

Leia mais:  Após desmaiar ao vivo, repórter da Globo carrega “kit de sobrevivência”

Laureta (Adriana Eteves)


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo

A vilã de “Segundo Sol”, além de uma das personagens mais forte da novela, também é responsável por dar uma aula de etiqueta entre uma maldade e outra. Dona de um estilo mais clássico, Laureta é o tipo de mulher que adere ao estilo mais formal e chic.

Seus looks geralmente são conservadores, compostos por peças de alfaiataria, bem estruturados com cores sóbrias e frias que dão um ar de poder. Estre suas escolhas estão, macacões e vestidos em estampas de animal print.

Leia também: Atrizes de “Segundo Sol” vão às ruas para conversas com eleitores indecisos

Luiza (Giovanna Antonelli)


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo

Luiza é mais uma que se destaca na lista sobre o estilo das protagonistas das novelas da Globo. A moça que começou a novela com roupas básicas e usando muitos vestidos levinhos, impressionou o público ao dar uma repaginada no guarda-roupa. A personagem interpretada por Giovanna Antonelli atualmente investe em um visual bem cool e sempre aparece nas telinhas com peças que são mega tendência.

Entre seus looks estão peças compostas por uma pegada urbana e totalmente moderna, como blazers, camisas de botão, couro sintético, transparência e decotes. A personagem também investe em diversos mix de colar, que a deixam com um toque elegante e jovial.

O estilo das protagonistas das novelas da Globo em “O tempo não para”

Marocas (Juliana Paiva )


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo

Em “O Tempo Não Para” Juliana Paiva interpreta a divertida, inteligente, curiosa e corajosa Marocas. A jovem que veio diretamente do século XIX começou a novela usando roupas antigas e contemporâneas. No entanto, após se adaptar a atualidade chamou a atenção ao investir em um estilo que é uma mistura de romântico com moderno.

Leia mais:  Astros de “Game of Thrones” estrelam novo suspense de Brian De Palma

Seus looks são compostos por vestidos e saias rodadas que marcam a cintura, deixando a silhueta mais fluida e levemente desestruturada. Marocas também gosta de combinar peças rendadas e tons claros, tudo com muita delicadeza e personalidade.

Betina (Cleo)


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo

Falar do estilo das protagonistas das novelas da Globo e não citar o nome de Cleo Pires é impossível. Amante da moda, Betina, personagem de Cleo em “O Tempo Não Para” é a grande aposta fashion da novela das 19h da Rede Globo
. Com uma personalidade forte a moça une peças simples com apostas modernas que fazem toda a diferença na hora de montar um look.

Entre suas produções estão casacos de pelo, calças de veludo e acessórios de animal print. Com um estilo criativo, Betina consegue se manter criativa e levar o título de descolada da trama. Sem medo de ousar e abusar do mix das tendências, a personagem ainda gosta de estampas, texturas, cores e sobreposições.

Estilo com harmonia em “Espelho da Vida”

Julia e Cristina (Vitória Strada )


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo


Em “Espelho da Vida”, novela das 18h, Vitória Strada interpreta três personagens: além de ser a Cristina na atual encarnação, Vitória também da vida a Julia Castelo, que é a própria Cris em uma vida passada. E para completar a moça ainda interpreta a jovem da encarnação anterior em um filme.

O estilo de Julia se resume ao estilo da época, onde se usava muitos vestidos midi e com estampas românticas. Já Cris, possui um estilo de garota do interior que prioriza conforto e praticidade. Sem muitas joias, a personagem investe em acessórias mais casuais como cintos e bolsas e gosta de usar camisas xadrez e jeans.

Isabel (Alinne Moraes)


O estilo das protagonistas das novelas da Globo
Montagem por reprodução

O estilo das protagonistas das novelas da Globo

O estilo das protagonistas das novelas da Globo
também se destaca em meio as atuações de Alinne Moraes. A atriz da vida à Isabel, uma mulher muito bonita e atraente. A jornalista é amante de vestidos leves e peças fluidas sempre linkando com sapatilhas e rasteirinhas. Com uma pegada mais verão, seu estilo se enquadra dentro do boho, que tem uma grande influência Hippie e é marcado por estampas florais miúdas, batas, colares e anéis com pedras.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Juliana Paes erra o texto e Globo exibe palavra obscena em “A Dona do Pedaço”

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Astros de “Game of Thrones” estrelam novo suspense de Brian De Palma

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana