conecte-se conosco


Mato Grosso

Estudantes e professores de escola estadual visitam aldeia para conhecer etnia Bororo

Publicado

Alunos e professores da Escola Estadual Elizabeth de Freitas Magalhães, em Rondonópolis (212 quilômetros ao sul de Cuiabá), celebraram o Dia do Índio de uma forma diferente. Sessenta estudantes do ensino médio e educação de jovens e adultos (EJA), acompanhados de 25 professores, visitaram nesta quarta-feira (17.04) a aldeia Tadarimana da etnia Bororo e passaram o dia realizando  diversas atividades.

Segundo o coordenador pedagógico Rodrigo Lemes, desde a chegada na aldeia, os alunos e professores participaram das festividades iniciada com as boas-vindas, por meio da dança de festa conhecida como “tóro”. Durante a tarde, as festividades incluíram danças e conhecimentos da etnia Bororo.

“Tivemos uma aula sobre os índios da etnia Bororo. Num dos grandes momentos de nossa aula de campo, o cacique e um representante indígena responderam a todas as perguntas dos alunos. Eles tiveram a oportunidade de tirar dúvidas sobre vários assuntos, como religião, alimentação, aposentadoria e outros”, destaca.

A professora de história Márcia Salgueiro classificou a visita como muito proveitosa. “Não só para os professores como também para os alunos”, ressaltou.

Leia mais:  SES realizará evento em comemoração ao Dia Mundial de Doação de Leite Humano

Ela acrescenta que o bate-papo com o cacique foi enriquecedor, pois abriu as portas do local. “O maior momento foi quando os alunos puderam fazer as perguntas e todas foram respondidas. As danças também desmistificaram a imagem que tínhamos dos indígenas”, explica.

Para a professora, a visita à aldeia foi uma forma de, tanto os alunos como os professores, conhecerem melhor a cultura dos Bororo e trazer de lá uma imagem menos preconceituosa para os demais alunos.

O professor de sociologia André Brandão concorda. Ele explica que, apesar da Escola Elizabeth receber alunos Bororo há bastante tempo, levar os estudantes não indígenas até a aldeia foi uma experiência enriquecedora. A Escola tem 62 alunos da etnia Bororó, matriculados nos três períodos, que utilizam o transporte escolar para o deslocamento de cerca de 60 quilômetros diários.

“Foi um passo extremamente importante para superarmos a visão folclorizada que ainda se tem dos povos indígenas. O aprendizado se tornou mais efetivo quando mergulhamos em uma realidade local que nem sempre é abordada nos livros didáticos, as falas dos Bororos sobre sua organização social, suas perspectivas e seus desafios atuais nos fazem refletir sobre mais ações de integração que vão para além da Semana do dia 19 de Abril”, ressaltou.

Leia mais:  PM de Mirassol D´Oeste prende homem com diversas passagens criminais

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Setor de alimentação escolar da Seduc realiza curso sobre prestação de contas

Publicado

por

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc), por meio da Coordenadoria de Alimentação Escolar (CAE), realizou nesta segunda-feira (20), um curso de capacitação de prestação de contas da alimentação escolar, nas dependências da Escola Estadual Leovegildo de Melo, no CPA, na Capital. Participaram 30 profissionais da educação da rede estadual de ensino, entre diretores, secretários escolares e assessores pedagógicos de Cuiabá. 

Segundo a supervisora Leila Abutakka, da CAE, o curso foi focado na parte física da prestação de contas. Os participantes aproveitaram para tirar todas as dúvidas, pois no caso de prestação com erro, a documentação volta à unidade escolar para que as incorreções sejam sanadas.

“A parte física começa desde o pregão, que é o chamamento dos fornecedores, que são habilitados a vender os produtos. Nossa formação é no sentido de fazer a prestação de contas correta, desde o início da compra”, destaca. Ela cita o caso de comprar em gramas e pagar por quilo. Nesse caso, é necessária a conversão, pois, caso contrário, o gestor acaba tendo prejuízo”, frisa.

Leia mais:  Ouvidoria do Estado atende 4,4 mil demandas no início de 2019

Outro detalhe ressaltado no curso foi a questão da doação de produtos, como carne fresca, leite in natura, que precisam de comprovação de origem, com o registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A supervisora lembra que existe uma lista de produtos que podem ser doados, mas é preciso anexar uma declaração junto com a prestação de contas.

Para os participantes, o curso foi de suma importância, pois muitas dúvidas foram esclarecidas. “Achei esclarecedor, pois, foi feito um passo-a-passo de tudo. Estou começando como gestora e como saí da sala de aula para a direção, estou encontrando algumas dificuldades, por isso, anotei tudo”, avalia Sylvana Alexandre Redes, diretora da Escola Estadual Djalma Ferreira de Souza.

O diretor da EE Leovegildo de Melo, Olício Dias Moreira Filho, que está em seu segundo mandato, também saiu satisfeito do curso. “Muito interessante a formação. Eu já sabia alguns temas, mas é importante relembrar. O importante é não deixar a prestação de contas voltar”, frisa.

Leia mais:  PM de Mirassol D´Oeste prende homem com diversas passagens criminais

Três polos

O curso prosseguiu na terça-feira (21), na EE Estevão Alves Corrêa, no Tijucal, com participação de escolas da região sul da Capital; e na quarta-feira (22), na EE Presidente Médici, com escolas da região oeste de Cuiabá.    

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana