conecte-se conosco


Sem categoria

Estilingue sendo reconhecido como modalidade desportiva em Mato Grosso

Publicado

Por:Silvana Pompeu

Brincadeira de criança que hoje se tornou coisa séria, um esporte que tem até Confederação e Campeonato Mundial. E quem nunca brincou com isso, vai poder brincar e praticar a partir de hoje mesmo. É atiradeira, estilingue ou na região de Cuiabá conhecida como funda.

Estilingue é igual a bicicleta, aprendeu não esquece nunca mais, um jogador contra o outro, cinco chances para cada um, vence quem acertar mais vezes o alvo, é um esporte como os outros, precisa de muito treino e ser apaixonado pelo estilingue.

O atleta para participar do campeonato tem que assinar e reconhecer firma em cartório, um prontuário fornecido pela Confederação Brasileira de Estilingue (C.B.E.), com sede no município de Chapada dos Guimarães-MT, preenchido com regras, entre elas:  não matar e nem maltratar animais, não retirar madeira (GANCHO) em Y da mata ciliar, apenas das árvores domésticas, como goiabeira ou jabuticabeira. A confecção do gancho em Y poderá ser de madeira retirada de manejo sustentável sobre cautela das leis ambiental, de alumínio, ferro, plástico reciclável e de sobra de madeira, desde que seja madeira que não afeta o meio ambiente, e não efetuar o disparo com estilingue em vias públicas, apenas em local seguro.

Leia mais:  Estado decreta ponto facultativo nesta quinta e cria feriadão de 4 dias

Sobre a Lei 

Lei municipal 1629/2015 de 27 de março de 2015, que reconhece como atividade folclórica, esportiva, patrimônio cultural e imaterial no âmbito do município de Chapada dos Guimarães – MT, Brasil, para a prática do estilingue de forquilha e estilingue de dedeira, bodoque e boleadeira.

Betão Nascimento, presidente e idealizador da C.B.E. desenvolve projeto social com estilingue em Chapada dos Guimarães-MT. Destaca que, “o esporte não tem qualquer conotação com matança de animais, como alguns podem supor. Pela normativa da lei, cada pai é responsável direto pelos menores na prática desse esporte, por si muito saudável. Realizamos palestras instrutivas acerca da importância da preservação ambiental, o que implica diretamente em não ferir animais, além de protegê-los o máximo possível”.

Além de palestras a C.B.E. desenvolve projetos sociais como “Além da minha visão” que abrange os portadores de necessidades especiais, seja na área de mobilidade urbana ou mesmo visual e o projeto “No bico da caneta na ponta da mira”, jogos escolares no incentivo dos alunos terem melhores notas.

Leia mais:  Justiça vê ganhos ilegais de R$ 3,8 milhões e interdita cartório no interior de MT

Praticar esportes, não maltratando os animais, acertando no alvo e preservando a natureza, no Shopping Popular é possível, com diversos modelos de estilingues comercializados nas lojas especializadas em materiais de pesca, uma possibilidade de resgatar a cultura relacionada a prática do estilingue e ao ecologicamente correto.

O Shopping Popular está localizado na Av. Manoel José de Arruda, s/n – Dom Aquino, Cuiabá MT. Horário de funcionamento: 7h00 às 19h, de segunda a sábado e aos domingos das 7h às 13h.
Telefone: (65) 3624-8020
Estacionamento amplo para clientes em compras.

Comentários Facebook
publicidade

Sem categoria

Adolescente cria grupo em aplicativo de mensagens e ‘planeja’ massacre em escola de MT

Publicado

por

A denúncia foi feita à polícia após a diretora de uma escola de Cáceres ser alertada pelo pai de um dos integrantes do grupo. Polícia Civil investiga o caso.

A diretora de uma Escola Estadual do município de Cáceres (220 km de Cuiabá) procurou a Polícia Civil na última sexta-feira (15) para denunciar um grupo criado no aplicativo Telegram, administrado por um menor, identificado como H.A.A., de 17 anos, que traz supostas ameaças de ataque à unidade.

A diretora, que não pode ter o nome divulgado por questão de segurança, contou aos policiais que ficou sabendo após o pai de um aluno denunciar que o grupo – que possui 18 integrantes – estaria estimulando um massacre na escola.

Em um trecho das conversas, ao qual a reportagem teve acesso, é possível ver o momento em que os suspeitos falam em “fumar maconha” e “roubar lanches” na cidade. Em seguida, outro membro pergunta: “Vamos fazer massacre mesmo, rs [risos]?”.

15514862425c79cd22eee8b_1551486242_3x2_lg-9915815.jpg

Parte da conversa no grupo denominado “Massacre na …*”

Leia mais:  Desagrada a todos os setores', diz presidente da AL sobre pacote de medidas do governador de MT para contornar crise

Segundo consta no boletim de ocorrência, no grupo denominado “Massacre na….*”, há conversas horríveis sobre a tragédia na Escola Raul Brasil, em Suzano (São Paulo), onde atiradores, sendo um menor de idade, mataram oito pessoas e suicidaram em seguida.

Após o registro da ocorrência, o caso foi encaminhado com urgência ao Delegado de Polícia, Alex Cuyabano, que apura o caso. Para não atrapalhar as investigações e proteger a identidade dos alunos e denunciantes o , a pedido da polícia, não vai divulgar o nome da escola nem dos acusados, neste momento.

Tragédia de Suzano

No último dia 13, por volta das 9h, a dupla de atiradores Guilherme Taucci Monteiro e Luiz Henrique de Castro, invadiu a Escola Raul Brasil e mataram cinco estudantes e duas funcionárias. Ambos eram ex-alunos da escola.

O ataque demorou cerca de 20 minutos. Após a chegada dos policiais, os criminosos decidiram cometer suicídio.

Por RepórterMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana