conecte-se conosco


Encontros com Cinema volta ao Cine Teatro Cuiabá com produções regionais

Publicado

O Cine Teatro Cuiabá retoma este mês o projeto Encontros com Cinema, lançado em 2017 para difundir produções cinematográficas que estão fora do circuito comercial. Em homenagem aos 300 anos de Cuiabá, a primeira exibição será com a Sessão Realizadores de Mato Grosso, que traz opções de filmes de produtores regionais, exibidos sempre às terças-feiras, até maio.

A programação começa nesta terça-feira (02.04), às 19h30, com duas produções de Luiz Marchetti: Horário obrigatório da poesia, uma série de vídeos poemas com obras da literatura mato-grossense, e o média metragem Resgate: quem está no Centro da América do Sul.

“Aproveitamos que abril é aniversário de Cuiabá e maio, da fundação de Mato Grosso, e decidimos começar o ano com a Sessão Realizadores de Mato Grosso. Serão dois meses, abril e maio, dedicados ao cinema realizado em Mato Grosso. Assim, acredito que essa compilação é um ponto de entrada para divulgar obras audiovisuais de alguns realizadores do Estado”, destaca o curador de cinema do Cine Teatro Cuiabá, Diego Baraldi.

Além disso, ele explica que incluiu no Encontros com Cinema uma sessão da Mostra Vitrine Filmes, sempre na última terça de cada mês. A Mostra já integra a programação do Cine Teatro desde janeiro deste ano. “A proposta é promover o contato do público local com filmes brasileiros recém lançados no circuito independente e que invariavelmente não encontram espaço no circuito comercial da cidade”.

O projeto Encontros com Cinema é uma ação de extensão realizada em parceria entre o Cine Teatro Cuiabá e o Cineclube Coxiponés, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). A atividade ocorre sempre nas terças-feiras, às 19h30, e consiste em exibições semanais de filmes com contextualização da obra e do autor. No dia, é promovido um debate com o público, mediado por Diego Baraldi e Aline Wendpap. Para a entrada é cobrada uma taxa simbólica de R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia).

Serviço

O Cine Teatro Cuiabá é um dos equipamentos culturais da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). Está localizado na Avenida Presidente Getúlio Vargas, 247, Centro de Cuiabá. Telefone: (65) 2129-2848. Email: [email protected]

Confira a programação disponível no site do Cine Teatro Cuiabá: http://cineteatrocuiaba.org.br/programacao/ 

02/04

Sessão Realizadores de Mato Grosso. Luiz Marchetti

Horário obrigatório da poesia (Luiz Marchetti, 2009, 8’)

Resgate: quem está no Centro da América do Sul (projeto e pesquisa: Wanda Marchetti; direção: Luiz Marchetti, 2007, 52’)

Cuiabano, Luiz Marchetti é diretor, roteirista, curador audiovisual e produtor. Desde garoto trabalha nas artes cênicas e no audiovisual em Cuiabá. Formado na CAL – Casa de Artes de Laranjeiras/RJ, é graduado em Belas Artes com especialização em Filme e Vídeo na Central Saint Martins em Londres e possui Mestrado em Arte pela Westminster de Londres (premiado pelo AHRB- Arts e Humanity Research Board).  Residindo no Centro Histórico de Cuiabá há 16 anos, criou o CALM – Centro Audiovisual Luiz Marchetti -, empresa com pesquisa e execução de vídeos, peças e instalações de multimeios. Classificação indicativa: 10 anos.

Leia mais:  Primeira escola tradicional de Cuiabá completa 139 anos

09/04

Sessão Realizadores de Mato Grosso. Eduardo Ferreira

Eunóia (Eduardo Ferreira & Joel Sagardia, 2007, 9’)

Cerimônias do esquecimento (Eduardo Ferreira, 2004, 54’)

Eduardo Ferreira é artivista multimídia. Atua na literatura, música, audiovisual, teatro, jornalismo e política cultural. Publicou poemas, crônicas, contos e resenhas em jornais, sites, revistas e livros, entre eles a novela “Eunóia” (2007, A Fábrika). Roteirizou e dirigiu curtas e documentários. Foi diretor de TV, editor de jornal, articulador do site Overmundo em Mato Grosso. Criador do bando musical Caximir, que ocupa os palcos até hoje, desde a década de 1980, além de outros projetos musicais. Atualmente é produtor e apresentador artístico da Rádio Assembléia (89,5 FM) e foi um dos idealizadores do coletivo cultural Cidadão Cultura (www.cidadaocultura.com.br). Classificação indicativa: 16 anos.

16/04

Sessão Realizadores de Mato Grosso. Coletivo Audiovisual Negro Quariterê

Sob os pés (Juliana Segóvia e Neriely Dantas, 2015, 20’)

Abecedário: encontros e desencontros nas letras mato-grossenses (Jonathan César, 2017, 30’)

Pandorga (Maurício Pinto, 2017, 17’)

Como ser racista em dez passos (Isabela Ferreira, 2018, 13’)

Estreia do curta: Minha madrugada (Rodolfo Luiz, 2019, 10’)

O Coletivo Audiovisual Negro Quariterê é formado por produtores de audiovisual de Mato Grosso e tem como foco reunir profissionais da área e demais pessoas interessadas em discutir temáticas relacionadas às questões raciais e suas intersecções com outros aspectos que podem agravar preconceitos, tais como gênero, idade e classe social. Nesse sentido, como fruto do aprofundamento dessas discussões, desenvolve ações ideológicas e concretas voltadas a promover a equidade de gênero e raça por meio de materiais audiovisuais. Para tanto, o Coletivo participará de editais e busca sua inserção nos espaços oficiais de circulação a fim de garantir que atuem profissionais negros em todas as etapas da produção. Classificação indicativa: 14 anos.

23/04

Sessão Realizadores de Mato Grosso. Coletivo Miraluz

Primeira morte de Pedro (Felippy Damian, 2015, 10’)

Se acaso a tempestade fosse nossa amiga eu me casaria com você (Wuldson Marcelo & Felippy Damian, 2015, 20’)

Risos na Madrugada (Valdecy Azambuja & Felippy Damian, 2015, 11’)

Aquilo que me Olha (Felippy Damian, 2018, 25’)

A Miraluz se apresenta como um coletivo de gente-amiga que produz audiovisual a partir de um agir colaborativo e orgânico, cada um com seu olhar e potência. O grupo se formou nos arredores da UFMT e já realizou cinco curtas, dois deles ainda em finalização. Por essas primeiras produções serem sem recursos financeiros, as funções dentro de cada filme sempre ganharam rotatividade e foi preciso procurar soluções alternativas em meio à indisponibilidade de alguns elementos estruturais. Atualmente, o grupo vem somando a estes primeiros trabalhos outros já realizados por meio de editais de financiamento público. Classificação indicativa: 18 anos.

30/04

Sessão Vitrine – A Nossa espera (Guillaume Senez, Bélgica/França, 2018, 99’)

Sinopse: Olivier faz o melhor que pode para combater as injustiças em seu trabalho. Mas de um dia para o outro, sua esposa Laura inesperadamente abandona a família, e ele se vê sozinho tendo que lidar com as necessidades de seus filhos pequenos, os desafios do cotidiano e as demandas de seu trabalho. Diante de novas responsabilidades, Olivier e os filhos lutam para encontrar o equilíbrio à espera de Laura. Classificação indicativa: 14 anos

Leia mais:  Treinamento orienta gestores e técnicos municipais sobre o Sistema do CadÚnico

07/05

Sessão Realizadores de Mato Grosso. Amauri Tangará & Tati Mendes

Ao sul de setembro (Amauri Tangará, 2005, 80’)

Amauri Tangará é roteirista, dramaturgo, cineasta, diretor teatral, preparador de atores, provocador cultural e ator. Amauri é um autodidata que se dedicou as artes desde cedo. Líder firme e generoso de suas equipes, circula à vontade entre palcos e sets, privilegiando sempre o “angariar afetos”. Tati Mendes é administradora, gestora cultural, parecerista, facilitadora de oficinas de cinema, produtora. Responsável por realizar os “sonhos” e tirá-los do papel, para que virem produtos de qualidade para as plateias do mundo. Deste 1997, Amauri e Tati  lideram a Cia D´Artes do Brasil, que atualmente finaliza dois projetos para a TV: a série “O Pantanal e outros bichos” e o documentário “Mata Grossa”. Classificação indicativa: 10 anos.

14/05

Sessão Realizadores de Mato Grosso. João Carlos Bertoli

Sua vida é você quem faz (João Carlos Bertoli, 2015, 15’)

Céu e água (João Carlos Bertoli, 2007, 52’)

João Carlos Ferreira Bertoli é cineasta formado pela FAAP/SP (1995). Sócio-proprietário da produtora de audiovisual Lamiré Cinema e Vídeo Ltda,  Bertoli possui ampla experiência no campo do audiovisual, atuando como roteirista, diretor e diretor de fotografia. Dirigiu e roteirizou o curta “Sua vida é você quem faz” (2015) e o média documentário “Céu e Água” (2007). Entre seus trabalhos estão a direção de fotografia dos curtas “Le Mur” (Severino Neto, 2014), “Licor de Pequi” (Maria Thereza Azevedo, 2015) e Filhos da lua na terra do sol” (Danielle Bertolini, 2016); Bertoli é o diretor de fotografia dos longas “Nenhures” (Amauri Tangará, 2014), do documentário “De volta pra casa” (Danielle Bertolini, 2015) e do telefilme documentário “As cores que habitamos” (Maria Thereza Azevedo, em finalização). Classificação indicativa: 14 anos.

21/05

Sessão Realizadores de Mato Grosso. Bárbara Fontes

Sayonara (Bárbara Fontes, 2008, 20’)

Vila Bela: terra de colores (Bárbara Fontes, 2005, 55’)

Bárbara Fontes é jornalista, cineasta documentarista, roteirista, produtora, fotógrafa e poetisa. Em 25 anos de carreira, trabalhou em mais de 60 obras audiovisuais, seja como diretora, roteirista, produtora, co-produtora ou como consultora. Entre as principais  estão “Arne Sucksdorff: uma vida documentando a vida”; “Vila Bela: terra de colores”; “Canção Mato-Grossense (Hino de Mato Grosso)”. Fez a Direção Geral do documentário “Sayonara”, fruto de um curso de cinema documentário. Em 2017, dirigiu o vídeo-poema “A Mangueira”, que fez parte da exposição de arte “Natureza: Substantivo Feminino”. É editora do blogdabarbarafontes.com. Classificação indicativa: 10 anos

28/05

Sessão Vitrine – Lembro mais dos corvos (Gustavo Vinagre, Brasil, 2018, 80’)

Sinopse: Júlia conta histórias para atravessar uma noite de insônia. Classificação indicativa: 18 anos

Comentários Facebook
publicidade

Assembleia prorroga recesso das atividades administrativas

Publicado

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), prorrogou o recesso das atividades administrativas até a próxima sexta-feira (14). A determinação, publicada no Diário Oficial Eletrônico de sexta-feira (7), mantém as atividades estritamente essenciais para o funcionamento do Parlamento.

Esse prazo, de acordo com a Resolução Administrativa nº 45/2020, pode ser prorrogado caso continue a evolução das condições sanitárias em Cuiabá e Várzea Grande. Nas duas cidades, voltaram a aumentar os casos de contaminação pelo novo coronavírus.

Na última determinação, publicada no DOE/AL do dia 29 de julho, por meio da Resolução Administrativa nº 42/2020, o recesso administrativo teve início em 3 de agosto e seguiu até o último dia 8. O documento descreveu a alteração das condições de funcionamento da Assembleia Legislativa nesse período de enfrentamento da Covid-19.

O documento mantém como atividades essenciais as sessões plenárias (ordinárias e extraordinárias), as reuniões das comissões permanentes e temporárias, as reuniões do Colégio de Líderes e da Mesa Diretora. Os horários do expediente dessas atividades legislativas serão das 8 horas até as 14 horas, com exceção das quartas-feiras, quando o expediente será das 8 horas até as 12 horas e, à tarde, das 13 horas até as 17 horas.

As atividades do Plenário ocorrerão através do Sistema de Deliberação Remota, instituído pela Resolução nº 6.719/ 2020, utilizando da plataforma digital Zoom ou equivalente, como medida excepcional destinada a viabilizar o funcionamento do Plenário durante a emergência de saúde pública.

Leia mais:  Empaer atende mais de 47 mil agricultores familiares em 2019

Em dias de sessão, apenas será permitido o acesso ao Plenário de Deliberações, o presidente da Assembleia Legislativa, que será auxiliado pelos 1º e 2º secretários ou por parlamentares designados para tal incumbência e até mais um parlamentar a ser convocado, devendo todas as proposições serem remetidas ao e-mail [email protected]

A medida adotada pelo presidente Botelho está embasada no artigo 4º do Decreto Federal nº 10.282, de 20 de março de 2020, que regulamenta a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que define os serviços públicos e as atividades essenciais dos Poderes Legislativos.

De acordo com o documento, os servidores que não estiverem em afastamento médico, em gozo de férias ou licenças, devem desempenhar suas atividades funcionais designadas pela chefia imediata em regime de trabalho home office, devendo permanecer durante o horário de expediente acessíveis e disponíveis.

De acordo com a resolução, apenas dois servidores terão acesso a cada um dos 23 gabinetes. Já nos gabinetes da Presidência, da Secretaria de Serviços Legislativos, da Secretaria Parlamentar da Mesa Diretora, dos Núcleos de Comissões Permanentes e da Coordenadoria de Segurança Militar, será autorizado o ingresso de servidores em quantidade essencial para o efetivo desempenho das atividades.

O documento restringe ainda o acesso de servidores nas secretarias administrativas e na Procuradoria. Nesses setores, será permitida a entrada do secretário e do procurador, respectivamente, e de até dois servidores.

Leia mais:  Atuação da PGE nas Secretarias evita falhas em processos de aquisições e contratos

Na Superintendência de Contratos, Convênios e Correlatos e na de Licitação, será permitido o acesso dos superintendentes e de até três servidores. Na Gerência de Manutenção e Serviços Gerais, será permitido o acesso do gerente e de até quatro servidores.

Na Supervisão de Saúde e Qualidade de Vida, será permitido o acesso do supervisor e de até dois servidores. Na TV Assembleia, será facultado o acesso de até quatro servidores por turno. Já na Rádio FM 89,5 será permitida a entrada de até dois servidores por turno.

Outra determinação da resolução é de os secretários, responsáveis pelos referidos setores, remeterem à Coordenadoria Militar a relação nominal única dos servidores, indicando as atividades essenciais a serem executadas. O acesso será submetido à autorização formal da Secretaria de Administração de Patrimônio.

No período de pandemia, a resolução autoriza a realização de obras, reformas e manutenções necessárias nas dependências do Parlamento durante o período de pandemia da Covid-19. Cabe à Secretaria de Administração e Patrimônio adotar as medidas necessárias para evitar a propagação interna da Covid-19. A secretaria deve intensificar a limpeza e desinfecção de superfícies nas dependências da Assembleia Legislativa, especialmente banheiros, elevadores, corrimões e maçanetas. O setor deve também adotar medidas que visam renovar a circulação de ar e da abertura periódica das janelas em locais com uso de ar condicionado.

 

 

Por: HiperNoticias

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana