conecte-se conosco


Mato Grosso

Empresários são conduzidos à delegacia por fabricação ilegal de reboques

Publicado

Nesta quarta-feira (19), foram presos em Juína os empresários E.P.S. e R.P.S., sócios proprietários da empresa Procópio Carretas e Artefatos de metal, especializada na fabricação de reboques, que produzia os equipamentos com nota fiscal de uma empresa de Goiânia/GO. Os empresários irão responder pelo crime de falsidade ideológica.

De acordo com a equipe da Coordenadoria de Fiscalização de Credenciados (Cfisc) do Detran, após denúncias, houve uma investigação preliminar em que foi solicitado informações  sobre a fabricação dos equipamentos. O proprietário afirmou que os reboques, ou carretinhas, como são conhecidos, seriam fabricados por ele mesmo, bem como a marcação de chassi.

Para constatar as informações, as equipes da Unidade Setorial de Correição e a Cfisc do Detran, em conjunto com a Polícia Civil, Militar e Politec de Juína, realizaram fiscalização na empresa e foram constatados a presença de vários modelos de reboques produzidos de forma irregular, contrariando a Portaria do Detran Nº 22/1999, tendo em  vista que a empresa não é credenciada ao órgão e não segue as regras estipuladas pela  Portaria.

Leia mais:  Primeira etapa regional dos Jogos Escolares é finalizada em Alto Garças

A empresa também não possui o certificado de segurança veicular, expedido por entidade credenciada ao INMETRO, e nem um engenheiro legalmente habilitado pelo CREA para assinar os reboques fabricados, contrariando a Resolução do Contran Nº 63/1998.

A equipe encontrou no local vários veículos sem numeração de chassi e outros sem numeração de motor, além de verificar várias irregularidades que contrariam a legislação vigente. Os suspeitos foram conduzidos à delegacia de Juína para esclarecimento dos fatos apurados.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Escola Especial de Cuiabá confecciona materiais didáticos de baixo custo

Publicado

por

A Escola Estadual Especial Raio de Sol, localizada em Cuiabá, realiza uma oficina de criação de materiais didáticos adaptados com parâmetros da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).  O foco da oficina é criar e produzir materiais didáticos adaptados que possibilitem as práticas pedagógicas, para que todos os alunos tenham acesso ao currículo e também para que seja possível realizar intervenções adequadas às necessidades dos estudantes.  

A escola atende exclusivamente alunos com vários tipos de deficiências. O curso terá sua última etapa na terça-feira (27.08).

Segundo a diretora, Leila Bacani Barbosa, desde o início do ano letivo de 2019 os professores vêm fazendo avaliações dos seus alunos para ter clareza da necessidade de cada um. E com isso, é possível definir as estratégias de ensino, bem como os materiais didáticos necessários que facilitarão o processo de desenvolvimento global de cada um.

“A proposta é utilizar tecnologia assistiva de baixo custo, ou seja, utilizar os materiais que existem na escola, sem a necessidade de grande investimento de recurso financeiro. Estas tecnologias estão sendo confeccionadas pelos professores, atendendo as necessidades apresentadas pelos alunos”, destaca.

Leia mais:  Mulher é presa com maleta bloqueadora de sinal usada em assaltos a banco

Os professores elogiaram o curso, pois conseguiram jogos que serão utilizados pelos alunos. Uma das mais entusiasmada é a professora Andréia Maria, do Projeto Práticas Desportivas.

“Construí o jogo de vai e vem com garrafa pet e fio de nylon. A ideia é fazer um jogo que todos participem e que seja prazeroso. Ele foi concluído com sucesso, pois todos os alunos, incluindo os cadeirantes gostaram porque é fácil de manusear”.

No entendimento da professora Iraci Torquato, a oficina está sendo fundamental para que todo o corpo docente tenha melhores condições de trabalho em sala de aula, pois uma vez que o professor conhece a deficiência de cada estudante e nem sempre tem um material que corresponde ao que necessita para o trabalho.

“Pensamos naquilo que vem ao encontro das necessidades do aluno para que ele possa progredir. Esses materiais didáticos vão enriquecer nossas aulas”, ressalta.

A professora Célia Martins acredita que os materiais são imprescindíveis para avançar no processo do ensino-aprendizagem. “Nossos alunos gostaram, se sentem úteis e mais inclusos quando participam dessas atividades”, comemora.

Leia mais:  Primeira etapa regional dos Jogos Escolares é finalizada em Alto Garças

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana