conecte-se conosco


Polícia

Empresário e caminhoneiro são presos por corrupção ativa ao tentarem subornar policiais civis

Publicado

Assessoria PJC | MT

Dois homens que tentaram subornar uma equipe da Polícia Civil de Nova Bandeirantes (1.026 km ao Norte) foram presos em flagrante e autuados por corrupção ativa. O fato ocorreu na tarde de quinta-feira (18) e as prisões foram realizadas em trabalho integrado das equipes de Nova Bandeirantes e Nova Monte Verde (956 km ao Norte). 

Policiais civis retornavam de uma ocorrência em que um traficante de drogas foi preso em Nova Monte Verde, quando depararam com um caminhão, de uma empresa madeireira. Por haver suspeita de se tratar de veículo proveniente de roubo/furto foi realizada ordem de parada e solicitação de documentação pessoal, veicular e de regularidade do produto fiscal. Apenas foi apresentado o documento da madeira transportada.

Em verificação foi constatado que o caminhão Tractor Iveco / Strallis e semi reboque Guerra Nacional, com restrição “Finan”,estava com documentação atrasada desde o ano de 2014. Além disso o motorista Vilmar Luiz This, 53, não possuía habilitação para dirigir tal veículo.

Na rodovia MT-417, ao ser conduzido para a delegacia de Nova Bandeirantes, o motorista perguntou ao investigador que seguía com ele no caminhão, se tinha “condições de fazer um acertinho”.

Leia mais:  Polícia Civil indicia estudante por atuar ilegalmente como nutricionista

De modo discreto, o policial entrou em contato com os colegas, que seguiam em viatura pela rodovia, retornando de ocorrência paralela, e passou a gravar a conversa em áudio no celular.

O investigador questionou ao motorista exatamente do que ele estava falando quando se referiu a “acerto”. O detido em conversa telefônica com o proprietário da madeireira foi orientado que oferecesse R$ 5 mil aos policiais para que liberassem o condutor e também o veículo.

Na delegacia, já na presença do delegado Vinícius de Assis Nazário, o suspeito repetiu a oferta de suborno, momento em que recebeu da autoridade policial a voz de prisão em flagrante por corrupção ativa. A cena foi registrada em vídeo gravado pelo delegado.

Em seguida, os policiais civis de Nova Monte Verde diligenciaram até a maior empresa madeireira do município e realizaram a prisão, também em flagrante de corrupção ativa, do proprietário do estabelecimento Edemilson Marino dos Santos, 34.

Ambos suspeitos foram conduzidos para audiência de custódia e ficarão a disposição da Justiça. 

 

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Delegados de Mato Grosso ganham o maior salário do Brasil

Publicado

Um levantamento realizado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) mostrou que os delegados de Mato Grosso são os que ganham o maior salário da categoria no país. O salário mensal de um delegado da Polícia Civil no estado é de R$ 24,5 mil.

Enquanto o salário dos delegados de Mato Grosso é o maior do país, o vencimento de escrivães e investigadores – as outras carreiras da Polícia Civil-, está bem longe do primeiro lugar.

Para os escrivães, profissionais responsáveis pelo registro de ocorrências e pela documentação das investigações, o salário é de R$ 5,5 mil, o 11º no ranking brasileiro.

Já para os investigadores, policiais que coletam provas sobre os crimes, localizam e interrogam suspeitos e mantém a segurança dos locais de investigação, o vencimento inicial é de R$ 5,5 mil, o 9º maior na comparação com o mesmo cargo em outros estados.

Dados da Polícia Civil mostram que no quarto trimestre de 2020 havia 400 cargos para delegados, porém, 158 estavam vagos. Já para escrivão de polícia, são 1,2 mil vagas, mas só 2.056 ocupados. E para investigador são 4 mil vagas, com 1.944 cargos vagos.

Leia mais:  Polícia Civil identifica e prende autor de homicídio que vitimou taxista em Novo Mundo

Por ser uma carreira típica de Estado, ou seja, que não podem ser substituída por profissional contratado, os cargos da Polícia Civil só podem ser ocupados através de concurso público. No entanto, para conseguir benefícios com o governo federal durante a crise, o Estado se comprometeu a não criar novos gastos até 2022, o que incluem os concursos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana