conecte-se conosco


Entretenimento

Empresa de cosméticos processa Kylie Jenner por plagiar linha de beleza

Publicado

A semana mal começou e Kylie Jenner já está roubando a cena. Considerada uma magnata da beleza, a modelo, influencer e reality star
fez fortuna aos 21 anos de idade fazendo dos cosméticos mais do que meros produtos, mas um estilo de vida a ser seguido.

Leia também: Irmãs Kardashian-Jenner estrelam campanha da Calvin Klein


Kylie Jenner é acusada de plágio por empresa de cosméticos
Divulgação

Kylie Jenner é acusada de plágio por empresa de cosméticos

Nesta segunda-feira (22) o site americano TMZ
divulgou que uma empresa de cosméticos estaria supostamente processando Kylie Jenner
, a pequena prodígio das Kardashians
, por copiar inteiramente uma linha de produtos dedicados à beleza.

Leia também: As fotos mais sensuais do aniversário de 21 anos de Kylie Jenner

Ainda de acordo com o veículo internacional, a empresa Sheree Cosmetics detalhou em sua acusação de plágio que a coleção que a empresa da estrela, Kylie Cosmetic, teria copiado é a “Born To Sparkle”, em tradução livre, “Nascida Para Brilhar” – que ainda está sendo exposta no site oficial da herdeira Jenner.

Leia mais:  Sertanejos são os mais tocados nas rádios no Brasil, segundo ranking Crowley

Nos documentos obtidos pelo site, a empresa afirma ter sua própria coleção, mas Kylie teria feito a dela com cores e embalagens similares. A linha de maquiagem de Kylie conta com gloss, batom e glitter para os olhos.

O problema é que a influencer lançou a coleção para festejar seu aniversário no início de agosto. A Sheree Cosmetics só licenciou a sua no dia 30 do mesmo mês, então será difícil provar que Kylie realmente roubou a ideia. Até o presente momento, a reality star não se posicionou sobre o assunto, mas os fãs estão em polvorosa.

Mais polêmicas de Kylie Jenner


Linha de Kylie Jenner que pode ter sido copiado de outra empresa
Divulgação

Linha de Kylie Jenner que pode ter sido copiado de outra empresa

Vinda do clã das Kardashians, onde a “polêmica” é praticamente o sobrenome, esta não é a primeira vez que Kylie ocupa os holofotes. Há algum tempo, a jovem chamou atenção da mídia ao esconder sua gravidez. Durante meses, suas aparições foram rápidas e tímidas.

Leia também: Kylie Jenner e Travis Scott protagonizam ensaio ousado para a revista

Além disso, o vai-e-vem de Kylie Jenner
e o pai de sua filha Stormi, o rapper Travis Scott, é outra temática que sempre que ocupa os tablóides. 

Leia mais:  Josias Teófilo quer convite oficial para ser secretário adjunto da Cultura

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Dennis Carvalho, Papinha e outros diretores têm seus salários reduzidos na Globo

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Ex-BBBs Carol Peixinho, Hariany, Paula e Isabella curtem Nordeste juntas

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana