conecte-se conosco


Agricultura

Embrapa desenvolve biofertilizantes à base de algas marinhas

Publicado

Quando o trator vem aplicando o biofertilizante na lavoura, já se sabe que aumentará a sua produtividade em torno de 10% a 15%, afirma o diretor comercial da Dimiagro, Gregori Vieira. Em parceria com a empresa, a Embrapa Agroenergia (Brasília, DF), a Embrapii (Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial)e o Sebrae promovem o desenvolvimento de uma pesquisa iniciada no ano passado de biofertilizantes a partir de macroalgas da costa brasileira. Em vídeo produzido pela Embrapa, é possível ver na prática como funciona a aplicação do produto.

Vieira explica que a grande vantagem para o investimento nessa tecnologia é a redução de custos da importação do extrato de algas oriundas de países com baixas temperaturas, como o Canadá e do bloco europeu. De acordo com o diretor, o objetivo é  atuar na produção em larga escala de extrato de algas no país, reduzindo a dependência de importação. Uma das vantagens ainda é que pode ser desenvolvida em ambientes próprios próximos aos locais onde será aplicada, preservando a alga que nasce naturalmente na costa.

Leia mais:  Contratação de crédito agropecuário soma R$ 119 bi em oito meses, em alta de 12%

César Miranda, pesquisador da Embrapa Agroenergia, explica o funcionamento e como o produto age nas plantações. “O extrato de algas é muito empregado em culturas perenes e também anuais, em países da Europa e nos Estados Unidos”.

“Estamos produzindo um extrato de alga totalmente brasileiro, por isso buscamos a Embrapa. E, com o apoio da Embrapii, isso é possível”, conta Gregori.

Outras tecnologias também podem ser geradas por meio de parcerias como essa. Nesse modelo, a empresa parceira aporta um terço do investimento, a Embrapa entra com seu quadro técnico e a sua estrutura, além de aportar valor equivalente, e o restante foi proveniente da Embrapii.

“São tecnologias personalizadas e que estão de acordo com o produto de interesse da empresa”, destaca Patrícia Abdelnur, pesquisadora da Embrapa Agroenergia e coordenadora dessa Unidade Embrapii.

Saiba como ser parceiro

Para conhecer mais sobre a tecnologia, assista ao vídeo:

  

Daniela Collares (MTb 114/01/RR)
Embrapa Agroenergia

Contatos para a imprensa
[email protected]
Telefone: (61)3448-1581

Mais informações sobre o temaServiço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Leia mais:  TRIGO/RETRO 2018: Apesar de maior produção, clima prejudica qualidade em 2018

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
publicidade

Agricultura

Governo Federal lança 2ª edição do Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais

Publicado

por

O edital da 2ª Edição do Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais será lançado no Rio de Janeiro, na próxima quinta-feira (23), durante a programação da Green Rio, evento que ocorre anualmente como uma plataforma de negócios sustentáveis. O lançamento contará com a presença da ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento- Mapa) e do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, entre outras autoridades. 

O objetivo da premiação é reconhecer, divulgar e dar visibilidade às boas práticas de salvaguarda e conservação dinâmica de bens culturais imateriais associados ao agro e à sociobiodiversidade nos sistemas agrícolas tradicionais (SAT) do Brasil. As práticas reconhecidas contribuem para a sustentabilidade ambiental, social e econômica de agricultores familiares e de povos e comunidades tradicionais.

A iniciativa do BNDES tem parceira do Instituo do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Mapa, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

Serão premiadas até dez ações consideradas boas práticas de salvaguarda e conservação dinâmica de Sistemas Agrícolas Tradicionais já realizadas, ou com etapas concluídas, tendo como base a data de publicação do edital.
Os três primeiros colocados receberão R$ 70 mil e os demais sete colocados receberão R$ 50 mil. Será realizado evento de premiação e capacitação aos vencedores, promovido pelas instituições organizadoras do Edital.

Leia mais:  PIB AGRO SP/CEPEA: PIB do agronegócio paulista recua 5,73% em 2018

Inscrições

As inscrições ficarão abertas entre 10 de junho e 31 de outubro. Podem se candidatar instituições de direito privado, sem fins lucrativos, com existência mínima de dois anos, contados na data de publicação do edital. As instituições devem, ainda, comprovar composição ou parceria com comunidades de agricultores tradicionais.

As regras e o formulário para a inscrição da segunda edição do Prêmio BNDES SAT estarão disponíveis no site: www.bndes.gov.br/premiosat2 a partir de 10 de junho. Dúvidas e questões podem ser enviadas para o e-mail premiosatbndes [email protected]

Os vencedores da primeira edição não poderão concorrer no novo edital. No ano passado, foram contemplados 15 sistemas agrícolas tradicionais. Os cinco primeiros colocados foram: A Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Médio Mearim (Maranhão), Associação dos Produtores Rurais de Vereda (Minas Gerais), Associação dos Remanescentes de Quilombo de São Pedro (São Paulo), Associação Comunitária Rural de Imbituba (Santa Catarina) e o Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (Bahia).

Conheça mais sobre a primeira edição

Leia mais:  Contratação de crédito agropecuário soma R$ 119 bi em oito meses, em alta de 12%

Serviço:Lançamento da 2ª edição do Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais
Horário: 16h
Local: Green Rio, Marina da Glória, Rio de Janeiro
http://www.greenrio.com.br/

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana