conecte-se conosco


Sem categoria

Em greve há quase 2 meses, profissionais da educação fazem manifestação em Rondonópolis (MT)

Publicado

Os servidores da educação, que estão em greve há 54 dias, fizeram um protesto, nesta sexta-feira (19), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. Os manifestantes se reuniram na Praça Brasil, no Centro, e percorreram algumas das principais avenidas da cidade. Eles caminharam com faixas e bandeiras com palavras de ordem.

Os professores exigem o cumprimento da Lei 510 de 2013, que assegura a dobra do poder de compras dos salários, a convocação dos aprovados no concurso público, reforma das escolas em condições precárias e aplicação de leis que asseguram recursos para a educação.

O governador Mauro Mendes (DEM) alega que o reajuste reivindicado pela categoria pode estourar o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e, por isso não pode conceder o aumento.

A manifestação em Rondonópolis reuniu cerca de 50 professores. Segundo João Eudes, presidente da subsede do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), o governo do estado cortou os salários dos professores que estão em greve e, por isso, estão protestando. A categoria arrecadou recursos para os profissionais que estão sem renda.

Leia mais:  Chuva interdita Estrada de Chapada e provoca estragos em Cuiabá e VG

“Estamos na rua denunciando o corte dos salários e solicitando donativos para apoiar os servidores que não estão recebendo salário em razão da paralisação”, comentou.

Confusão da ALMT

Na quinta-feira (18), numa sessão realizada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), em Cuiabá, houve uma confusão na porta do plenário, porque profissionais da educação foram impedidos de entrar e acompanhar a votação.

Enquanto os deputados estavam reunidos no plenário para votar o projeto de revisão dos incentivos fiscais e tributos. Do lado e fora, houve um desentendimento entre seguranças e servidores.

Desde a semana passada, vários representantes da educação estavam acompanhando as sessões, inclusive fazendo barulho na tentativa de impedir as votações e fazer com que, tanto governo quando deputados dessem atenção às reivindicações da categoria.

De acordo com o presidente estadual do Sintep, Valdeir Pereira, os parlamentares não estão cumprindo o compromisso assumido com a categoria.

Por meio de nota, a ALMT informou que a situação não aconteceu e que os grevistas teriam sido impedidos de entrar no plenário pois não é permitido.

Leia mais:  Casal que matou motorista de Uber a facadas foi ao velório.

Comentários Facebook
publicidade

Sem categoria

Bolsonaro participa de entrega de obra em MT

Publicado

por

Para por fim a guerra de palavras com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o governador Mauro Mendes (DEM) vai acompanhar o chefe maior da nação na entrega do trecho de 51 quilômetros da BR-163 que liga Moraes Almeida a Novo Progresso, no Pará.

 

O único trecho que ainda não era pavimentado entre Sinop (um das cidades mais produtoras de Mato Grosso) e Miritituba (PA) onde fica estão localizados portos de escoamento da produção. O asfalto foi concluído pelo Exécito Brasileiro, depois de uma promessa do ministro Tarcísio Freitas de que não faltariam recursos para concluir o trecho.

 

O presidente havia feito no início do mês um desafio aos governadores para cortar, ou mesmo, mudar a forma de tributação dos combustíveis. Mauro Mendes foi um dos que responderam ao desafio e disse que cortadia se houver a compensação real das perdas da Lei Kandir e o pagamento do FEX ao Estado (os valores de 2018 e 2019 não foram pagos pela União).

 

Leia mais:  A alegada extinção do CONAD e o direito fundamental ao uso religioso do Chá Hoasca

O ministro da Economia, Paulo Guedes e os governadores decidiram tratar o tema na reforma tributária que está no Congresso.

Este será o primeiro encontro entre os dois depois da troca de farpas.

 

Bolsonaro em Mato Grosso também é esperado por conta da eleição suplementar ao Senado. Partidos e candidatos se movimentam para ter o apoio do presidente, ao mesmo tempo, outra corrente bolsonarista quer que presidente fique neutro.

 

O presidente deve descer em Sinop e seguir até o ponto de inauguração da rodovia. No ano passado, Jair Bolsonaro esteve na cidade de Barra do Garças, lançando projeto na área ambiental.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana