conecte-se conosco


Política

Distritos de Barra do Garças não têm sinal de celular

Publicado

Max Russi busca formalizar uma cooperação para que o problema seja logo resolvido.

OLHANDO A NOTÍCIA

A indicação nº 921/2018, apresentada pelo deputado Max Russi (PSB) e aprovada em sessão ordinária, cobra soluções mais efetivas nos “entraves” para a implantação do sinal de telefonia móvel em distritos de Barra do Garças. A demanda foi apresentada pelo vereador do município, doutor Geraldino Alves, o popular “Neto”.

Neto explicou que o Vale dos Sonhos, Toriqueije e Indianápolis ainda não foram contemplados com o sinal de serviço. “Tem distrito que possui apenas um telefone para atender a todos os moradores. Esse é um problema que precisa urgentemente ser resolvido”, justificou.

O vereador lembra ainda que em 2014 foi aprovada a Lei nº 10.199/2014, de autoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Telefonia Móvel da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, que institui a formação do Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas (PPP) envolvendo o governo estadual, as prefeituras e as operadoras de telefonia de celular com atuação no estado, para viabilizar telefonia móvel em 18 distritos do Araguaia.

Leia mais:  Governo deve autorizar nova alta para o salário mínimo

“Dois desses distritos estariam na lista de contemplados, mas até agora não tivemos resultados concretos”, alegou.

Conforme o deputado Max Russi, é necessária uma ação política mais eficaz, cobrando maior atenção das empresas de telefonia celular, no sentido de formalizar uma cooperação para que o problema seja logo resolvido.

“A falta do sinal de celular tem causado grandes transtornos a população desses distritos. É necessário que haja essa colaboração das empresas, para que o povo não fique desassistido, uma vez que o celular é uma necessidade imperiosa nos dias de hoje”, analisou.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Governo autoriza vacinar professores após forças de segurança

Publicado

O governador Mauro Mendes (DEM) autorizou a reserva de 10% das vacinas contra a covid-19 que o Estado receber para a imunização dos profissionais da educação das redes públicas e privadas. A informação é do secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho. Segundo Carvalho, a decisão ocorreu na manhã desta segunda-feira (12) durante reunião com os secretários de Saúde, Gilberto Figueiredo (Saúde), e da Educação, Alan Porto.

“Estamos fazendo um ofício para a Secretaria de Saúde, solicitando que após a vacinação dos profissionais das forças de segurança, que também sejam imunizados os profissionais da educação”, disse durante entrevista ao programa Tribuna da rádio Vila Real FM.

A decisão tem por base a pressão por parte dos deputados estaduais e do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep). Isso porque na semana passada, os deputados aprovaram em 1ª votação a educação como serviço essencial na pandemia. Caso seja aprovada em 2ª votação, as aulas presenciais poderão retornar.

Com isso, muitos deputados cobraram que os professores entrassem na lista de prioridades para a vacinação no Estado, já que o retorno das aulas está em votação.  O projeto de retorno às aulas garante que a rede privada pode voltar com as aulas presenciais. Já  na rede pública poderia ocorrer de maneira virtual, até que se criem as condições para o retorno presencial.

Leia mais:  CNMP decide que não há ilegalidades em mensagens entre Deltan e Moro

O Sintep chegou ameaça greve em fevereiro, caso o governo determinasse o retorno das aulas presenciais. Atualmente as aulas continuam remotas e o governador Mauro Mendes (DEM) aprovou na Assembleia um projeto para a compra de notebooks e o auxílio internet para mais de 15 mil professores da rede pública estadual.

O valor depositado aos professores é de até R$ 6.020. Os profissionais terão que comprovar a compra dos computadores e a assinatura da internet.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana