conecte-se conosco


Política

Dilmar Dal Bosco acompanha vice-governador em visita a escolas de Sinop

Publicado

Foto: Ronaldo Mazza

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) vai receber o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta (PDT), numa visita oficial da vice-governadoria a Sinop para tratar sobre educação. A agenda está programada para sexta-feira (31) de manhã e deve contar com lideranças municipais e regionais, que vão se reunir na prefeitura e vistoriar duas escolas que estão em construção. A implantação da Escola Militar Tiradentes, reivindicada por Dilmar e vereadores de Sinop desde 2017, deve entrar na pauta de discussão.

A programação prevê saída do vice-governador de Cuiabá às 7h30, reunião na prefeitura de Sinop às 9h30 e visita às escolas às 10h30. Dal Bosco, que, junto com o deputado federal Juarez Costa (MDB), convidou Pivetta para a agenda, disse que vai estender o convite a prefeitos de outros municípios da região norte para que estes possam, também, fazer suas reivindicações à vice-governadoria, que, na gestão do governador Mauro Mendes (DEM), auxilia nos trabalhos das secretarias estaduais de Educação e de Infraestrutura.

Leia mais:  Por maioria dos votos, Câmara arquiva pedido de Comissão Processante contra o prefeito

“Vamos fazer um levantamento de todas as reinvindicações que fizemos para Sinop e para a região e vamos reforçar os pedidos ao vice-governador. É uma oportunidade que teremos para nos encontrar com tempo e já estou mobilizando os prefeitos da região norte para que possamos fazer uma grande reunião não só como Pivetta, mas com o governo do estado, representado por ele”, explicou Dal Bosco.

A implantação da Escola Militar Tiradentes, solicitada por Dal Bosco desde a gestão passada e que já esteve próxima de acontecer, vai ser reforçada. “Eu acredito no modelo desta escola e tenho trabalhado muito para que Sinop seja contemplada com uma unidade. Já estivemos perto de fazer acontecer, mas, infelizmente, não avançamos. Agora teremos uma boa oportunidade e, junto com a classe política de Sinop que defende a ideia, como os vereadores Luciano Chitolina, Billy Dal Bosco, Adenilson Rocha, Joacir Testa, Leonardo Visera e Ademir Debortoli, que sempre nos cobraram em Cuiabá, vamos reforçar os pedidos e oferecer alternativas de parceria para a implantação”, concluiu Dilmar. 

Leia mais:  PEC da Reforma da Previdência recebeu mais de 480 sugestões de emenda

Comentários Facebook
publicidade

Política

Bolsonaro convida Temer para chefiar missão humanitária no Líbano

Publicado

O presidente Jair Bolsonaro participou, na manhã deste domingo (9), de uma videoconferência com outros chefes de Estado e de governo para tratar das ações de apoio ao Líbano. Na última terça-feira (4), uma grande explosão na zona portuária de Beirute, capital do país, deixou um saldo de centenas de mortes e milhares de feridos. Ao detalhar as ações do governo brasileiro, Bolsonaro disse que convidou o ex-presidente Michel Temer, que tem ascendência libanesa, para coordenar a missão. 

“Nos próximos dias, partirá do Brasil, rumo ao Líbano, uma aeronave da Força Aérea Brasileira com medicamentos e insumos básicos de saúde, reunidos pela comunidade libanesa radicada no Brasil. Também estamos preparando o envio, por via marítima, de 4 mil toneladas de arroz, para atenuar as consequências da perda dos estoques de cereais destruídos na explosão. Estamos acertando, com o governo libanês, o envio de uma equipe técnica, multidisciplinar, para colaborar na realização da perícia da explosão. Convidei, como o meu enviado especial e chefe dessa missão, o senhor Michel Temer, filho de libaneses e ex-presidente do Brasil”, afirmou Bolsonaro.

Leia mais:  Projeto de Bussiki para incluir a Conferência Arena Jovem no Calendário Oficial é aprovado

Em nota, a assessoria de Temer informou que o ex-presidente “está honrado” com o convite. “Quando o ato for publicado no Diário Oficial serão tomadas as medidas necessárias para viabilizar a tarefa”, diz a nota.

A videoconferência foi iniciativa do presidente da França, Emmanuel Macron, e contou com a participação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, do presidente do Líbano, Michel Aoun, além dos líderes de países como Egito, Catar e Jordânia, entre outros. Em seu breve pronunciamento, Bolsonaro classificou a reunião como necessária e urgente, reafirmou suas condolências às famílias das vítimas da tragédia e destacou a relação histórica entre Líbano e Brasil.

“O Brasil é lar da maior diáspora libanesa no mundo, 10 milhões de brasileiros de ascendência libanesa formam uma comunidade trabalhadora, dinâmica e participativa, que contribui de forma inestimável com o nosso país. Por essa razão, tudo que afeta o Líbano nos afeta como se fosse o nosso próprio lar e a nossa própria pátria”, disse.

Ouça na Radioagência Nacional:

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana