conecte-se conosco


Brasil / Mundo

Dia de todos os Santos teve origem na Antioquia, no século IV, diz CNBB.

Publicado

O arcebispo emérito de Mariana (MG) e presidente para a Comissão Especial para a Causa dos Santos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Geraldo Lyrio da Rocha falou ao portal da CNBB sobre o dia de Todos os Santos, festa que teve origem na Antioquia, no século IV, com a celebração de todos os mártires.

“O dia de Todos os Santos é 1º de novembro. A Igreja Católica transfere a celebração deste dia para o domingo seguinte”, reforça dom Geraldo, que foi eleito presidente da CNBB em maio de 2007, na 45ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em Itaici (SP), cumprindo seu mandato até 2011.

O religioso acentua que o sentido desta solenidade, introduzida em Roma no século VI, está explicitado na oração da Missão de Todos os Santos: “Numa só festa, celebramos os méritos de todos os Santos e Santas”. Desta forma, a liturgia reúne numa só solenidade os santos venerados ao longo do ano, assim como os demais que não comparecem no calendário litúrgico, incluindo também a multidão daqueles que já chegaram à glória do céu.

Leia mais:  Pânico se espalha por mercados e leva dólar a R$ 3,7480; Bolsa cai mais de 2,5%

Gaudete et Exultate – Dom Geraldo lembra que, com essa celebração, a Igreja recorda a santidade à qual os cristãos são chamados, como apresentao papa Francisco em sua Exortação Apostólica Gaudete et Exultate sobre o chamado à santidade no mundo atual: “O Senhor nos quer santos e espera que não nos resignemos com uma vida medíocre, superficial e indecisa” (GE, 1).

Atualmente, na CNBB, o bispo-emérito de Mariana, preside a Comissão Especial para as Causas dos Santos. Segundo ele, essa comissão, criada pelo Conselho Permanente da CNBB, tem como finalidade assessorar as dioceses e outras entidades que desejam introduzir (ou já introduziram) alguma causa de beatificação ou canonização junto aos órgãos competentes da Cúria Romana.

Também integram essa comissão dom Diamantino Prata de Carvalho, dom Giovanni Crippa, monsenhor Roberto Natali Starlino (assessor) e padre Leonardo José de Souza Pinheiro (secretário). Além de assessoria e informações, a comissão também promove cursos de preparação de peritos nessa matéria, bem como divulga as causas em andamento, informa sobre a situação em que se encontram as causas já introduzidas e programa outras iniciativas de acordo com as necessidades ou solicitações por parte das dioceses, congregações religiosas ou Institutos de Vida Consagrada.

Leia mais:  De capitão a presidente: conheça a trajetória de Jair Bolsonaro

Comentários Facebook
publicidade

Brasil / Mundo

PRF/ MT avalia ações da Operação Proclamação da República; Ouça áudio

Publicado

por

Números são satisfatórios  durante a Operação Proclamação da República deste ano, diz a Polícia Rodoviária Federal. Segundo a Instituição não houve nenhuma morte, 759 abordagens realizadas e algumas pessoas encaminhadas para a delegacia por embriagues ao volante. Fiscalizados  por radares 1586 veículos em excesso de velocidade. Foram 21 acidentes, dentre eles 27 pessoas feridas.

O Superintendente de Mato Grosso, inspetor Aristóteles Cadidé , falou numa breve entrevista da ação da PRF em MT, Ouça

Comentários Facebook
Leia mais:  Para especialistas, Bolsonaro adota visual simples como tática; Olhe vídeo
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana