conecte-se conosco


Saúde

Dez capitais apresentam sinais de crescimento de covid-19, diz Fiocruz

Publicado

O boletim InfoGripe, divulgado semanalmente pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz),  mostra que dez capitais brasileiras apresentam sinal de crescimento moderado, probabilidade maior que 75%, ou forte, probabilidade maior que 95% na tendência de longo prazo (seis semanas) de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e de covid-19. 

Os casos notificados e óbitos no país apresentam ocorrência muito alta, segundo o boletim. O coordenador do InfoGripe, pesquisador Marcelo Gomes, observou que 20 das 27 capitais apresentam sinal de estabilidade ou crescimento na tendência de longo prazo.

Capitais

Em Aracaju, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Maceió  e Salvador há sinal forte de crescimento no longo prazo. Nas capitais, Belém, São Luís  e São Paulo, observa-se sinal moderado de crescimento do número de infectados para a tendência de longo prazo, acompanhado de sinal de estabilização na tendência de curto prazo.

As capitais, Belém, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Salvador e São Luís já completam ao menos um mês com manutenção do sinal de crescimento na tendência de longo prazo em todas as semanas.

Leia mais:  SOS AVC: Rede SUS Cuiabá capacita servidores para auxiliarem no rápido diagnóstico da doença

Já a capital paulista apresenta sinal de crescimento a longo prazo pela primeira vez desde o início do processo de queda, embora já venha dando sinais de possível interrupção da tendência de queda. Porto Alegre apresentou sinal de estabilização tanto na tendência de curto quanto de longo prazo.

Marcelo Gomes destacou a necessidade de cautela em relação às próximas semanas, especialmente em relação a eventuais avanços nas ações de flexibilização das medidas para diminuição do contágio na capital gaúcha.

Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, não confirmou sinal de estabilização na tendência de longo prazo, retornando ao sinal de queda nesse indicador. Segundo o coordenador do InfoGripe, embora a tendência de curto prazo tenha mantido sinal de estabilização, ainda é preciso cautela em relação a ações de flexibilização.

“Como já relatado em boletins anteriores, identificamos diferença significativa entre as notificações de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no estado do Mato Grosso registradas no sistema nacional Sivep-Gripe e os registros apresentados no sistema próprio do estado. Tal diferença se manteve até a presente atualização”, avaliou Marcelo Gomes.

Leia mais:  Jovem de VG é internada com infecção no pulmão e culpa uso do narguilé

Macrorregiões

Em 12 das 27 unidades federativas observa-se tendência de longo prazo com sinal de queda ou estabilização em todas as respectivas macrorregiões de saúde. Nos demais 15 estados, Amapá, Pará e Tocantins (Norte), Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, e Sergipe (Nordeste), Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo (Sudeste), Rio Grande do Sul e Santa Catarina (Sul), e Mato Grosso do Sul (Centro-Oeste) há ao menos uma macrorregião estadual com tendência de curto e/ou longo prazo com sinal moderado ou forte de crescimento.

Dados

A análise  refere-se à semana epidemiológica de 18 a 24 de outubro e tem com base os dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até o dia 27 deste mês.

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

MT registra 4.081 óbitos e 158 novos casos em 24 horas

Publicado

Foram registradas 158 novas confirmações da covid-19 em Mato Grosso e 8 óbitos. A informação é desta sexta-feira (20).

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), já existem 154.596 casos notificados da doença em Mato Grosso, além de 4.081 óbitos em decorrência do coronavírus. 5.215 estão em isolamento domiciliar e 144.878 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a covid-19, há 124 internações em UTIs públicas e 125 em enfermarias públicas. Isto é a taxa de ocupação está em 30,77% para UTIs adultos e em 14% para enfermarias adulto.

Cuiabá, Rondonópolis e Várzea Grande lideram a lista dos municípios com maior taxa de infecção. Porém, Sinop, Sorriso. Lucas do Rio Verde, Tangará da Serra, Primavera do Leste, Cáceres e Nova Mutum também têm índices alarmantes.

O boletim ainda aponta que um total de 121.383 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 217 amostras em análise laboratorial.

Em nível nacional, o governo federal confirmou o total de 5.981.767 casos da covid-19  e 168.061 óbitos oriundos da doença, até quinta-feira (19. Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de sexta-feira (20).

Leia mais:  Juíza tem pulmões comprometidos e faz alerta: Cuidado com máquina de cartão

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana