conecte-se conosco


Brasil / Mundo

Deputados Federais eleitos tomam posse nesta sexta-feira

Publicado

EQuase metade dos novos parlamentares chegam à Câmara pela primeira vez

Os deputados eleitos para a 56ª legislatura da Câmara dos Deputados serão empossados nesta sexta-feira (1), às 10 horas, em sessão no Plenário Ulysses Guimarães.

A eleição de 2018 trouxe a maior renovação à Câmara desde a democratização: 47,37%, segundo cálculo da Secretaria-Geral da Mesa (SGM). Em números proporcionais, é a maior renovação desde a eleição da Assembleia Constituinte, em 1986.

O presidente Rodrigo Maia vai presidir a sessão. Segundo o Regimento Interno, cabe ao presidente da legislatura anterior, se reeleito, comandar a sessão.

No Plenário, os 513 eleitos responderão à chamada nominal e farão o juramento de “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”.

Documentos Para tomar posse os deputados diplomados pela Justiça Eleitoral devem ter apresentado à Câmara o diploma original do TSE, e cadastrado o nome que usarão como parlamentar. Também é obrigatório apresentar a declarações do Imposto de Renda Pessoa Física.

Leia mais:  Aprosoja-MT pede integração entre ministérios em prol do setor de produção de alimentos

Além disso, os parlamentares devem declarar que não têm contrato com pessoa jurídica de direito público, autarquia, empresa pública, sociedade de economia mista ou empresa concessionária de serviço público, salvo quando o contrato obedecer a cláusulas uniformes. Essa é uma exigência constitucional.

A partir da posse o eleito fica proibido de ter, controlar ou dirigir empresa que goze de favor decorrente de contrato com pessoa jurídica de direito público, ou nela exercer função remunerada; e, também, não pode ocupar cargo ou função em empresas públicas ou com vínculo com o elas; ou, ainda, ser titular de mais de um cargo ou mandato público eletivo.

Por força regimental, só poderão entrar no Plenário Ulysses Guimarães deputados federais eleitos, senadores, chefes de Poderes, chefes de Estado e autoridades do primeiro escalão dos Três Poderes.

Cada parlamentar deverá direito a quatro convidados. Esse número é limitado por causa da disponibilidade de espaço, por restrições regimentais de acesso à Casa e recomendações da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).No dia da posse, os convites serão substituídos por hologramas de acesso aos locais definidos para o acompanhamento da solenidade: Salão Negro, auditório Nereu Ramos e plenários das comissões.

Leia mais:  Bancada feminina precisa ocupar espaço no Congresso, dizem senadoras

Traje  Segundo o Regimento Interno da Câmara, o traje indicado para os deputados é o passeio completo (calça, camisa, paletó e gravata). Para as mulheres, tailleur (blazer e saia) ou vestido e sapato social.

Também serão aceitos trajes típicos regionais, desde que atendam às normas do decoro parlamentar. Não é permitido o uso de jeans, tênis ou chinelos.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier

Comentários Facebook
publicidade

Brasil / Mundo

Jornalista Boechat, um farol para várias gerações de jornalistas até denunciando presidiário golpista: Olhe vídeo

Publicado

por

Ricardo Boechat era um exímio jornalista e tinha uma grande habilidade em revelar notícias. Durante a carreira, ganhou três prêmios Esso de jornalismo, a mais importante premiação do Brasil.

Uma das reportagens foi “Sinal verde para o contrabando”, escrita para o jornal “O Globo” e publicada em 2001 em parceria com Bernardo de La Peña e Chico Otavio. Nela, Boechat e os outros dois jornalistas revelaram as fragilidades da alfândega brasileira e a facilidade que os importadores encontravam para trazer suas mercadorias para o país sem qualquer endosso formal.

Ricardo Boechat trabalhou com o colunista Ibrahim Sued de 1970 a 1983.

Neste vídeo é possível ver a habilidade de Boechat mesmo no momento de fazer denúncia.  O Jornalista conversa  com presidiário que aplica golpes através de mensagens de celular, de dentro da Casa de Privação Provisória de Liberdade IV ( CPPL IV), no município de Itaitinga, Ceará.

Comentários Facebook
Leia mais:  Bolsonaro assina decreto que fixa salário mínimo em R$ 998 em 2019
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana